Posts Tagged ‘show’

Celso Borges apresenta espetáculo de poesia e música no Maloca

1 setembro 2009

A posição da poesia é oposição reúne cerca de 20 poemas do artista maranhense, que será acompanhado por Christian Portela (guitarra) e Luiz Cláudio (percussão). A performance terá a participação especial da poeta Lúcia Santos. 

O poeta e letrista Celso Borges apresenta dia 5 de setembro no bar Maloca, na Lagoa, show em que interpreta poemas de seus dois livros-CDs, XXI (2000) e Música (2006), entre eles Linguagem, Persona Non Grata, Chacal e Pária. A posição da poesia é oposição tem trilhas e interferências sonoras executadas pelos instrumentistas Franklin Portela (guitarra) e Luiz Cláudio (percussão), que trabalharam separadamente nos dois livros-CDs de Borges.

“A poesia falada pode ser uma experiência mais rica do que as tradicionais leituras de palco, que lembram antigos jograis das montagens teatrais escolares. Esse show é uma festa sonora da música da palavra, palavra musicada, música falada, palavra cantada, uma celebração de música e poesia”, diz o poeta.

No espetáculo, voz, guitarra e percussão proporcionam uma estrutura sonora ao poema além da sua própria musicalidade, ampliando o texto para além da página do livro. A idéia é valorizar a linguagem falada em diversas possibilidades. Celso Borges investe em experimentações em torno da palavra dita, saída do papel, ganhando vida em voz e arranjos instrumentais com o objetivo de fortalecer o diálogo entre a música e a poesia.

“Ao fortalecer as duas linguagens e dar uma estrutura sonora ao texto, além de sua própria sonoridade, A posição da poesia é oposição abre novas possibilidades de leitura para a poesia e mina o desgaste que as linguagens faladas têm sofrido nos últimos anos, sobretudo o rap, que vem se repetindo, tanto no discurso como em sua forma sonora”, diz Celso.

A posição da poesia é oposição apresenta um painel de experiências, fruto da inquietação do artista e sua busca pelas diversas possibilidades de dizer o poema. Ao abrir um leque inovador de diálogo entre a palavra e a música, o artista assume uma posição contemporânea no mapa da poesia brasileira. Celso Borges quer mostrar que sua poesia coloca em discussão possibilidades formais no palco, com elementos que colaboram para enriquecer o universo da poesia brasileira falada/cantada no começo do século 21.

A performance estreou em abril deste ano, na 6ª edição do projeto Catarse – reunião de artistas de todas as linguagens no palco do Sesc Pompéia, em São Paulo. Na ocasião, o poeta Celso Borges foi acompanhado pelo guitarrista paulistano Rafael Agra.

E-flyer de divulgação do show de poemúsica de Celso Borges. Foto: Cláudio Lima

E-flyer de divulgação do show de poemúsica de Celso Borges. Foto: Cláudio Lima

*

A posição da poesia é oposição

Dia 5 de setembro (sábado), às 22h, na Maloca (Lagoa)

Celso Borges – voz e poesia
Christian Portela – guitarra
Luiz Cláudio – Percussão
Participação especial – Lúcia Santos

Duração do espetáculo: 45 minutos

Discotecagem: Pedro Sobrinho

*

Os artistas 

Celso Borges é de São Luís do Maranhão, onde nasceu em 1959. Poeta, jornalista e letrista, viveu em São Paulo durante 20 anos e está retornando a São Luís. Parceiro de Chico César e Zeca Baleiro, entre outros, tem sete livros de poesia publicados, entre eles Pelo avesso (1985); Persona non grata (1990); Nenhuma das respostas anteriores (1996), XXI (2000) e Música, os dois últimos no formato de livro-CD, com a participação de mais de 50 poetas e compositores de várias cidades brasileiras.

No palco, desenvolveu com o DJ paulistano Otávio Rodrigues o projeto Poesia Dub, que se apresentou, entre outros eventos, no Tim Festival (SP-2004) e no projeto poético musical Outros Bárbaros, do Itaú Cultural (2005 e 2007). Seu terceiro livro-CD, Belle Époque, será lançado ainda este ano.

*

Christian Portela, multi-instrumentista maranhense (São Luís, 1976), toca gaita, guitarra, baixo, teclado e bateria. Começou no grupo Bota O Teu Blues Band, uma das primeiras bandas de blues e rock a fazer um circuito de bares na Ilha. Em 1998, aproximou-se do rap e foi um dos fundadores da T. A. Calibre 1, banda  referência do cenário alternativo do Maranhão e um dos destaques do livro-CD Música, de Celso Borges, participando da faixa São Luís: Segundo Movimento.

A T.A. Calibre 1 venceu dois prêmios Universidade e foi indicada para o prêmio Hutus de rap, como uma das melhores bandas do Norte/Nordeste, pelo lançamento do CD Balaio. O disco mistura as rimas engajadas do rap, as cadências de jazz e a fúria do rock, aos ritmos regionais de bumba-meu-boi e tambor de crioula.

*

Luiz Cláudio, paraense, percussionista, arte-educador e pesquisador da cultura popular. Radicado em São Luís desde o final dos anos 1970, desenvolveu aqui extenso trabalho de pesquisa de campo, coletando material e aprendendo junto a grandes mestres de tambor de crioula como Felipe e Leonardo, entre outros. Em 1987 dirigiu o Beat and Beach, I Encontro de Percussão no Maranhão, que reuniu Robertinho Silva, Layne Redmond e Marco Suzano. Nesse mesmo ano criou o grupo de percussão Fogo de Mão, que participou do Percpan, em Salvador (1995).

Tocou e gravou com Nelson Ayres, Zeca Baleiro, Ceumar, Rita Ribeiro e Naná Vasconcelos, entre outros. Atualmente trabalha no projeto Som da Lata, oficinas de reciclagem de lixo para confecção de instrumentos de percussão e faz assessoria para empresas privadas em programas sociais e workshops de percussão. Luiz Cláudio participou de algumas faixas do primeiro livro-CD de Celso Borges, XXI, lançado em 2000.

Um a Zeca

11 agosto 2009

Um a Zero e Zeca do Cavaco são os convidados da 90ª. edição do Clube do Choro Recebe.

Noventa. Este é o longevo número de edições a que chega o projeto Clube do Choro Recebe neste sábado (15). Os saraus acontecem aos sábados, às 19h30min, no Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama) e trazem sempre dois shows por noite: um grupo de música instrumental e um convidado – cantor, cantora, instrumentista ou, mais raramente, outro grupo de música instrumental –, além das canjas, onde acontecem os mais variados, inusitados e improvisados encontros musicais.

Neste terceiro sábado de agosto o Regional Um a Zero recebe o cantor Zeca do Cavaco, dono de bela voz e fino repertório. O flautista João Neto, por motivo de força maior não poderá participar do sarau e será substituído por Elton (do grupo Chorando Calado). Completam o Um a Zero Henrique Jr. (violão), Leozinho (pandeiro) e Roquinho (bandolim, banjo e cavaquinho), da formação original.

Zeca do Cavaco retorna ao palco do Clube do Choro Recebe acompanhado do Regional Um a Zero. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão

Zeca do Cavaco retorna ao palco do Clube do Choro Recebe acompanhado do Regional Um a Zero. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão

Em alguns momentos da apresentação, Zeca também se integrará ao Um a Zero empunhando seu cavaquinho, além de cantar – no repertório, Paulinho da Viola, Lupicínio Rodrigues e, entre outros, Noel Rosa e Cesar Teixeira. A estes dois últimos, Zeca do Cavaco já prestou tributo no Clube do Choro Recebe.

“Nunca imaginávamos chegar tão longe”, afirma o produtor e apresentador Ricarte Almeida Santos, sobre o projeto, que em setembro próximo completará dois anos e, em outubro, cem edições. “Estamos pensando em uma programação especial para festejar estes acontecimentos”, conclui.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 90ª. edição.
Quem: o Regional Um a Zero recebe o cantor Zeca do Cavaco.
Quando: dia 15 de agosto (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 8,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e/ou clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.

Após o sucesso em Imperatriz, Gildomar Marinho lança “Olho de Boi” na capital

6 agosto 2009

Público lotou o teatro Ferreira Gullar em Imperatriz para assistir ao lançamento de Olho de Boi, disco de estreia do músico Gildomar Marinho.

Depois de Imperatriz, São Luís recebe Gildomar Marinho e seu "Olho de Boi" amanhã (7). Foto: Paulo Caruá

Depois de Imperatriz, São Luís recebe Gildomar Marinho e seu "Olho de Boi" amanhã (7). Foto: Paulo Caruá

Os 170 lugares do Teatro Ferreira Gullar, principal palco da cidade de Imperatriz/MA, estavam completamente lotados para o primeiro show de lançamento de Olho de Boi, disco de estreia do músico maranhense Gildomar Marinho, ontem (5).

Acompanhado dos músicos Rui Mário (sanfona), João Neto (flauta), Michael James (violão), Aziz Jr. (percussão) e Mauro (contrabaixo), o próprio Gildomar Marinho também ao violão, apresentou todo o repertório do disco, em show que contou com a abertura de Wilson Zara.

“O Zara é, de longas datas, um importante batalhador cultural do Maranhão. Poder contar com seu auxílio no reencontro com esse público maravilhoso é muito importante”, agradeceu Gildomar. Problemas de saúde impediram a participação da poeta Lilia Diniz, também escalada para o show. “Infelizmente ela também não terá condições de viajar à São Luís, onde também participaria da apresentação, uma pena”, lamentou Gildomar.

Gildomar Marinho se apresenta amanhã (7), às 20h, no Teatro João do Vale (Rua da Estrela, Praia Grande), acompanhado pela mesma banda, com exceção do percussionista, que será Luiz Cláudio. “Por conta de outros compromissos, nem todos os integrantes do Choro Pungado, que tocam comigo no disco, poderão abrilhantar o espetáculo, mas vai ser muito bom repetir aqui em São Luís o que fizemos em Imperatriz contando com a força e a musicalidade de Rui Mário, João Neto, Luiz Cláudio, do Pungado, e mais o Mauro e o Michael”, entusiasma-se o músico.

Os ingressos para Olho de Boi, o show, estão à venda na bilheteria do teatro, e custam R$ 10,00. Estudantes com carteira, pessoas com mais de 60 anos e interessados que enviarem e-mail para a lista amiga (pedradecantaria@gmail.com) até 18h de hoje pagam metade.

Em São Luís, Olho de Boi, o disco, pode ser adquirido na Livraria Poeme-se (Rua João Gualberto, Praia Grande) e na locadora Chico Discos (Rua Sete de Setembro, Centro), além de pela internet, pelo mesmo endereço de e-mail da lista amiga.

OLHO DE BOI, DISCO E SHOW – Fruto de mais de vinte anos de maturação artística, construído entre o Maranhão e o Ceará (onde Gildomar, funcionário do Banco do Nordeste, morou), Olho de Boi apresenta variadas possibilidades sonoras, mesclando a cultura popular, sobretudo a maranhense, às antenas da modernidade. Tango, funk, coco, baião, xote, samba, choro, reggae e martelo são alguns desses elementos.

A estreia de Gildomar Marinho tem patrocínio do Banco do Nordeste, através do programa Cultura da Gente, e apoio cultural da Elétrica Milênio, de Imperatriz/MA.

Todo o repertório de Olho de Boi é autoral. O reggae Lembra? é assinado em parceria com o jornalista Zema Ribeiro e o samba-choro Alegoria de saudade tem participação especial da cantora mineira Ceumar, cuja voz foi gravada em Amsterdã, Holanda.

SERVIÇO

O quê: Olho de Boi, show de lançamento do disco.
Quem: Gildomar Marinho e banda.
Quando: amanhã (7), ás 20h.
Onde: Teatro João do Vale (Rua da Estrela, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (metade para estudantes, pessoas com mais de 60 anos e lista amiga: pedradecantaria@gmail.com).
Maiores informações: pelo e-mail pedradecantaria@gmail.com e/ou telefones (98) 8818-3626, 8888-3722.

Um a Zero recebe Zé Lopes no Clube do Choro

13 maio 2009

Com a apresentação adiada pelas chuvas, o cantor Zé Lopes e o Regional Um a Zero são as atrações da 80ª. edição do Clube do Choro Recebe, neste sábado (16).

O cantor e compositor bacabalense Zé Lopes é o convidado da 80ª. edição do Clube do Choro Recebe. Na ocasião, o músico será acompanhado pelos bambas do Regional Um a Zero: Henrique Jr. (violão), João Neto (flauta), Leozinho (pandeiro) e Roquinho (cavaquinho e bandolim).

Mais conhecido na cena reggae, onde é habituado a vencer vários festivais – é, para se ter um exemplo, o maior vencedor do Unireggae, um dos mais tradicionais do Maranhão –, Zé Lopes mostrará sua faceta de sambista e chorão, gêneros por onde também incursiona, cantando, tocando e compondo, a exemplo de não poucos mestres da música brasileira.

Jovem e versátil, o Um a Zero receberá o cantor Zé Lopes. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão

Jovem e versátil, o Um a Zero receberá o cantor Zé Lopes. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão

O grupo Um a Zero destaca-se na cena choro ludovicense pelo alto astral que marca suas apresentações. Composto por jovens músicos, seus shows são sempre descontraídos, leves, inovadores e bonitos.

Em 80 edições do Clube do Choro Recebe é a primeira vez que Zé Lopes sobe ao palco como convidado do já tradicional sarau realizado aos sábados pelo Clube do Choro do Maranhão. Antes, o músico já deu canjas no projeto, com boa receptividade do público presente.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 80ª. edição.
Quem: o Regional Um a Zero recebe o cantor Zé Lopes.
Quando: dia 16 de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 6,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.

Um “Sinhô” músico

24 março 2009

Um dos grandes violonistas brasileiros em todos os tempos, João Pedro Borges, o Sinhô, é o convidado da 74ª. edição do Clube do Choro Recebe.

Experiência. Assim pode ser traduzido o encontro do sarau deste sábado, 28, quando se realizará a 74ª. edição do Clube do Choro Recebe, no Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama), a partir das 19h.

O Regional Tira-Teima, mais antigo grupo de choro em atividade em São Luís, receberá o não menos hábil e ágil João Pedro Borges, um dos grandes nomes do violão do Brasil e do mundo.

Após passar por várias formações, o Regional Tira-Teima hoje conta com os afinados Paulo Trabulsi (cavaquinho solo), Zeca do Cavaco (cavaquinho centro), Francisco Solano (violão sete cordas), Serra de Almeida (flauta) e Zé Carlos (percussão).

João Pedro Borges: lenda viva do violão é o convidado do Clube do Choro Recebe

João Pedro Borges: lenda viva do violão é o convidado do Clube do Choro Recebe. Foto: Pedro Araújo. Acervo do Clube do Choro do Maranhão

Sinhô – apelido que João Pedro Borges ganhou ainda na adolescência – integra a tríade sacrossanta do violão maranhense, ao lado de Joaquim Santos, de quem foi professor, e Turíbio Santos, de quem foi aluno. Outro professor seu foi Jodacil Damasceno. Entre os alunos, diversos nomes do violão e da música popular brasileira: Raphael Rabello, Guinga, Cesar Teixeira e Josias Sobrinho, entre outros.

Temas autorais estão entre as peças que João Pedro Borges executará no Clube do Choro Recebe

Temas autorais estão entre as peças que João Pedro Borges executará no Clube do Choro Recebe. Foto: Pedro Araújo. Acervo do Clube do Choro do Maranhão

DISCOGRAFIA – Ao lado de Turíbio Santos, gravou diversos discos, merecendo destaque Choros do Brasil (1977) e Valsas e Choros (1979), onde os dois dão novas luzes à obra de nomes como Dilermando Reis, Heitor Villa Lobos, Ernesto Nazareth e João Pernambuco, entre outros.

Em 1985, com participação do compositor, gravou o disco A obra para violão de Paulinho da Viola, disco-brinde nunca relançado em cd. Foi um dos dois maranhenses integrantes, em tempos distintos (o outro foi Joaquim Santos), da Camerata Carioca, do genial Radamés Gnattali, grupamento responsável por inovadoras revoluções na estética musical do choro. Tributo a Jacob do Bandolim (1979) e Vivaldi e Pixinguinha (1980) são alguns dos títulos lançados pela Camerata Carioca tendo Sinhô ao violão. Outros clássicos da música brasileira que contam com a participação especial do músico são Mistura e manda (Paulo Moura, 1983) e Shopping Brazil (Cesar Teixeira, 2004).

Atualmente, diretor da Escola de Música do Estado do Maranhão Lilah Lisboa de Araújo, João Pedro Borges já morou na França, onde realizou concertos em diversos palcos importantes daquele país. Em 2009 realizará 80 apresentações no projeto Sonora Brasil, do SESC. Nestes concertos, o repertório será de temas eruditos.

Sua apresentação no Clube do Choro Recebe trará composições de nomes como Dilermando Reis, João Pernambuco, Heitor Villa Lobos, Paulinho da Viola, Ernesto Nazareth, além de temas autorais, incluindo a valsa Maria Luiza, composta em homenagem à filha do amigo Ricarte Almeida Santos, coordenador do Clube do Choro Recebe e apresentador do Chorinhos e Chorões (domingo, às 9h, na Rádio Universidade FM, 106,9MHz). A apresentação terá participação especial do violonista Luiz Jr.

O Projeto Clube do Choro Recebe tem Apoio Cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria. A entrada custa apenas R$ 6,00.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 74ª. edição.
Quem: o Regional Tira-Teima recebe o violonista João Pedro Borges.
Quando: dia 28 de março (sábado), às 19h.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 6,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com e clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line e Rádio Universidade FM.
Parceria: Solar Consultoria.