Posts Tagged ‘praia grande’

Outros 400: qual será sua programação nesta quinta-feira?

16 outubro 2011

OUTROS 400 – Na sétima edição da temporada, o compositor Joãozinho Ribeiro terá como convidados Anna Cláudia, Josias Sobrinho e o poeta Beto Scansette. O Regional 400, que os acompanhará, é formado por Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical) Fleming (bateria), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete). Ingressos: R$ 10,00. No Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande). Dia 20 (quinta-feira), às 21h.

Anúncios

Outros 400 homenageará Cartola

30 setembro 2011

Léo Spirro lança cd com repertório dedicado ao mestre de Mangueira em show. Outros convidados são a cantora Milla Camões e o poeta Herberth de Jesus Santos, que autografará seis livros de sua autoria

Clique para ampliar

O Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande) será palco de mais um show da temporada Outros 400, capitaneada pelo compositor Joãozinho Ribeiro, que se apresenta acompanhado do Regional 400, formado pelos músicos Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Jeff Soares (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete).

Na sexta edição da série, Joãozinho Ribeiro terá como convidados especiais os cantores Léo Spirro e Milla Camões. Participa ainda da noite o jornalista e poeta Herberth de Jesus Santos, que lançará alguns títulos de sua autoria, entre poesia e prosa.

Betinho – como o autor é conhecido entre os amigos – autografará aos interessados seis títulos de sua lavra: Antes que Derramem a Lua Cheia (crônicas), São Luís em PreAmar: Ainda Assim, há um Azul! (poesia), Peru na Missa do Galo (contos de Natal), A Segunda Chance de Eurides (novela), Serventia e os Outros da Patota (contos) e Ofício de São Luís: Bernardo Coelho de Almeida (Coração em Verso e Prosa).

Milla Camões, que prepara disco de estreia com direção musical de Celson Mendes, o “maestro” de Outros 400, participará com repertório que inclui samba, choro, jazz e bossa nova.

Cartola – A noite reverenciará o gênio de Mangueira, Angenor de Oliveira, o Cartola. O sambista será lembrado por ocasião do lançamento do disco de estreia de Léo Spirro: A canção de Cartola na voz de Léo Spirro, que tem direção musical de Arlindo Pipiu.

O cantor setentão será acompanhado pelo Regional Passeio Serenata: Arlindo Pipiu (violão sete cordas e direção musical), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho), Chico Chinês (tantã) e Zé Carlos (pandeiro). No repertório, clássicos de Cartola, entre outros Alvorada, Cordas de aço, As rosas não falam e Autonomia, entre outros.

Com o passeio de tantos talentos, esta edição de Outros 400 certamente vai se transformar em uma grande jam – para ninguém botar defeito.

Serviço

O quê: Outros 400 – 6ª. edição.
Quem: o compositor Joãozinho Ribeiro, Regional 400 e convidados: o poeta e jornalista Herberth de Jesus Santos, os cantores Milla Camões e Léo Spirro e o Regional Passeio Serenata.
Quando: quinta-feira (6/10), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00.

Música e poesia em Outros 400

17 setembro 2011

Pocket show A palavra voando, de Celso Borges e Beto Ehongue, integra o programa da quinta edição da temporada musical de Joãozinho Ribeiro. Compositor terá como convidados Chico Saldanha e Lenita Pinheiro, além da participação do Tambor Show da Sociedade Artística e Cultural Beto Bittencourt

“O nosso amor/ virou pedaço de linha puída/ meu peito é frágil carvão de varinha/ no fundo de um cofo querendo quebrar”. Versos de um clássico da música popular produzida no Maranhão, Linha puída, de Chico Saldanha, música que certamente será lembrada na quinta edição de Outros 400 em que o compositor reencontra, no palco, Lenita Pinheiro, cantora com quem divide a regravação desta música em seu mais recente disco, Emaranhado (2007).

Chico Saldanha e Lenita Pinheiro são os convidados de Joãozinho Ribeiro, que retorna aos palcos, após breve interrupção na temporada. Eles serão acompanhados pelo Regional 400, formado por Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete).

A noite contará com a abertura do Tambor Show da Sociedade Artística e Cultural Beto Bittencourt, garantindo animada recepção aos presentes.

A palavra voando – Outro destaque da noite é o pocket show A palavra voando, em que o poeta Celso Borges e o dj Beto Ehongue dissecam letras do cancioneiro popular brasileiro, transformando-os em poemas, ditos pelo primeiro sobre trilhas criadas pelo segundo. O show já foi apresentado nos Centros Culturais Banco do Nordeste, em Fortaleza, Juazeiro (CE) e Sousa (PB), e no Cine Ímpar (em São Luís).

 

Serviço

O quê: Outros 400.
Quem: Joãozinho Ribeiro. Participações especiais: Chico Saldanha e Lenita Pinheiro. Abertura: Tambor Show da Sociedade Artística e Cultural Beto Bittencourt e pocket show A palavra voando, com Celso Borges e Beto Ehongue.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande).
Quando: dia 22 (quinta-feira), às 21h.
Quanto: R$ 10,00.

23 agosto 2011

Caso não consiga visualizar a imagem abaixo, clique aqui.

Detalhes aqui.

Outros 400: um grande encontro

7 agosto 2011

Joãozinho Ribeiro recebe parceiro e intérprete em mais uma edição da série

Quase um repeteco do Baile do Parangolé, a lendária festa que celebrou os 32 anos da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH), em fevereiro passado. Apenas duas diferenças: a ausência da cantora Rosa Reis, que participará de outra edição da série, e o repertório, que não será exclusivamente carnavalesco.

“Mas é claro que traremos alguma coisa de carnaval, além da alegria que a gente tem em realizar este encontro”. É o que diz o compositor Joãozinho Ribeiro (foto), às vésperas de subir ao palco para mais um show da temporada Outros 400, que vem realizando quinzenalmente às quintas-feiras no Novo Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande), sempre a partir das 21h.

É que neste terceiro espetáculo, os convidados do autor de Erva Santa serão o compositor Cesar Teixeira e a cantora Lena Machado. Ele, seu parceiro, entre outras, em Samba do Capiroto, música bem humorada que cantaram juntos em Bandeira de Aço, show recentemente apresentado pelo primeiro, sucesso de público e crítica; ela, intérprete de ambos, já tendo gravado músicas como Oração Latina, Flanelinha de Avião e Botequim, de Teixeira, e Milhões de Uns e Tempo Mau, de Ribeiro, em seus dois discos, Canção de Vida (2006) e Samba de Minha Aldeia (2010).

Joãozinho Ribeiro e seus convidados serão acompanhados pelo Regional 400: Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Jeff Soares (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete).

Serviço

O quê: Outros 400.
Quem: Joãozinho Ribeiro e Regional Outros 400. Participações especiais: Cesar Teixeira e Lena Machado.
Quando: dia 11 de agosto (quinta-feira), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande).
Quanto: R$ 20,00 (R$ 10,00 para estudantes com carteira).

Série “Outros 400” continua nesta quinta (28)

26 julho 2011

Temporada de Joãozinho Ribeiro e convidados continua, no Novo Armazém (Praia Grande).

 

Lançada há duas semanas, a série Outros 400 teve um show inaugural de sucesso: aliás, vários shows, dentro de um mesmo show. Joãozinho Ribeiro (foto) e o Regional 400 receberam 10 convidados especiais durante a primeira noite de apresentações do poeta e compositor – acontecerão até novembro, quinzenalmente às quintas-feiras, no Novo Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande), sempre às 21h.

Nesta quinta, 28, Joãozinho Ribeiro volta ao palco, acompanhado do Regional 400, formado por Antonio Paiva (contrabaixo), Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria) e Miranda Neto (trompete).

O autor de Paisagem feita de tempo terá como convidados especiais Adler São Luís, Célia Maria e João Madson, numa noite que irá do choro ao baião, do reggae ao xote, do samba ao Merengue, este, aliás, título de uma das mais conhecidas músicas do primeiro, seu primo, já gravado pela potiguar Terezinha de Jesus (Couraça), cantora que vem sendo redescoberta, ainda que tardiamente, como rezam as palavras de ordem de outra bandeira.

Célia Maria imortalizou o choro Milhões de uns, que deu a Joãozinho Ribeiro o troféu de melhor compositor maranhense em um Prêmio Universidade FM do início do século – a mais importante premiação da música produzida no Maranhão.

A exemplo da diva, João Madson participou da edição de estreia de Outros 400. Uma de suas interpretações, o xote Kid Jabotão, de sua autoria, que conta a história de um jabuti que come umas pílulas de Viagra e vira… Kid Jabotão, foi um dos grandes momentos – bem humorados – da noite.

Instrumental – Outra atração extra para a segunda noite de Outros 400 é a participação da dupla Hugo Barbosa (trompete) e Nelma Carafunim (saxofone): eles apresentarão, no início do espetáculo, um repertório instrumental de choro. Detalhe: os tarimbados músicos são sobrinhos de Joãozinho Ribeiro.

Ambos participaram do circuito musical Samba da minha terra, com que Joãozinho Ribeiro percorreu 18 bairros de São Luís apresentando sambas e choros autorais, com a participação de inúmeras personalidades da música popular produzida no Maranhão. “Se à época, começando, eles já tocavam muito, imagine agora!”, provoca o tio, que com eles dividiu o palco em fevereiro passado, no Baile do Parangolé, em comemoração aos 32 anos da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.

“As participações de Madson e Adler também me deixam muito contente. É uma feliz coincidência as estadas deles, que moram em São Paulo, pela Ilha quando do início desta empreitada cultural”, continua Joãozinho Ribeiro. “Vamos fazer mais uma grande festa e ainda muitas outras”, finaliza.

Serviço

O quê: Outros 400.
Quem: Joãozinho Ribeiro. Participações especiais de Adler São Luís, Célia Maria, Hugo Barbosa, João Madson e Nelma Carafunim.
Quando: quinta-feira (28), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande).
Quanto: R$ 20,00 (R$ 10,00 para estudantes com carteira).
Maiores informações: facebook.com/outrosquatrocentos, outros400@hotmail.com

Com Joãozinho Ribeiro são “Outros 400”

9 julho 2011

Compositor inicia temporada de apresentações no Novo Armazém. Música, cinema, teatro, artes visuais, literatura e declarações de amor à São Luís irão compor o cardápio artístico da série.

 

O compositor Joãozinho Ribeiro (foto) decidiu voltar aos palcos. Após anos dedicados à gestão cultural, ao ensino superior e ao ofício de funcionário público, o artista resolveu tirar a poeira do baú e mostrar que são regras as exceções – o circuito musical Samba da Minha Terra (2003), o lançamento de seu livro-poema Paisagem Feita de Tempo (2006) e mais recentemente os shows Noel, Rosa secular (2010/2011), em que dividiu o palco com Cesar Teixeira, Chico Saldanha e Josias Sobrinho, e Baile do Parangolé (2011), aniversário da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, de que é sócio, em que dividiu o palco com Cesar Teixeira (também sócio), Lena Machado e Rosa Reis.

Na série Outros 400, Joãozinho Ribeiro se cercará de amigos-artistas, irmãos de copo & alma, para brindar São Luís, cidade que tanto ama, com boa música. Um dos compositores mais gravados do Maranhão, ele tem colecionado parceiros e intérpretes desde 1979, ano da histórica greve da meia passagem em que militou e de sua estreia musical, em festivais universitários.

Além da música, outras linguagens artísticas se somarão à aritmética cujo resultado são Outros 400: artes visuais, teatro, literatura e cinema, entre outros. “Trata-se de uma série, que será apresentada quinzenalmente às quintas-feiras, no Novo Armazém. A cada quinta, um convidado ou uma convidada e uma turma de outras expressões ocupando o espaço com o que fazem de melhor”, explica e anuncia Joãozinho Ribeiro.

Cinema – A estreia de Outros 400 acontece dia 14 de julho, às 21h. Uma mostra cinematográfica com curtas-metragens maranhenses, sob curadoria de Frederico Machado, inaugura a noite e a série: Outros 400 será também a festa oficial de abertura do Lume International Film Festival, maior festival de cinema de que a capital maranhense já teve notícia, que acontece em São Luís entre 14 e 23 de julho.

Após a mostra é a vez de Joãozinho Ribeiro encantar a plateia presente, acompanhado do Regional 400 (reza a lenda que o nome do grupo é o resultado da soma das idades de seus integrantes): Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete).

No repertório, clássicos da lavra de Joãozinho Ribeiro, a exemplo de, entre outras, Milhões de uns, Passamento, Erva santa e Esquina da solidão. Como convidados para a inauguração da série, uma constelação de primeira grandeza, um desfile de craques, uma seleção vitoriosa: a dupla Criolina (Alê Muniz e Luciana Simões, recentemente vencedores da categoria “Melhor álbum” – Cine Tropical – no Prêmio da Música Brasileira), Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Josias Sobrinho (trio com que apresentou o tributo a Noel Rosa), Anna Cláudia, Betto Pereira, Célia Maria, João Madson, Lena Machado e Lenita Pinheiro.

AniversárioOutros 400 é também uma celebração aos aniversários vindouros de São Luís, que completa 399 anos no próximo 8 de setembro. Datas comemorativas são sempre cheias de celebrações oficiais. A população que quiser dar os parabéns à São Luís pode, dentro dos Outros 400, completar o tradicional “parabéns a você/ nesta data querida/ muitas felicidades/ muitos anos de vida” com seus votos para o futuro de nossa capital.

“Disponibilizaremos cadernos para que sejam deixadas mensagens de próprio punho, registrando de forma simples, mensagens de amor à cidade de São Luís. O resultado disso será levado ao Arquivo Público do Estado para que no futuro nossos anseios sejam lembrados e possamos ver se nossos sonhos para a cidade se realizaram”, explica a produtora cultural Cássia Melo, mentora da ideia.

Serviço

O quê: Estreia da série Outros 400 e lançamentos do I Lume International Film Festival e do projeto Mensagens à São Luís.
Quem: o compositor Joãozinho Ribeiro e convidados, o cineasta Frederico Machado e a produtora cultural Cássia Melo.
Quando: dia 14 de julho (quinta-feira), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (ingresso individual).

Lena Machado no Dezembro de Paz

3 dezembro 2010

Acompanhada do regional Os Pregoeiros, cantora se apresentará no encerramento do programa da Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz

A cantora Lena Machado durante sua passagem pelo Feitiço Mineiro, em Brasília/DF, no último dia 30 de novembro

Após passagem por Brasília/DF, onde recentemente levou seu Samba de Minha Aldeia ao palco do Feitiço Mineiro, a cantora Lena Machado canta hoje (4), acompanhada do regional Os Pregoeiros, no encerramento do programa Quartas de Paz.

Desenvolvido pela Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz, as Quartas de Paz ocuparam a agenda de uma quarta-feira por mês, aprofundando o tema Economia e vida, da Campanha da Fraternidade, em 2010. O Dezembro de Paz realizou, desde ontem (3), exposição de economia popular solidária, oficinas, palestras, cinema, música e teatro.

“Precisamos entender como podemos colaborar com uma economia alternativa que promova a justiça e a paz; neste sentido ficamos muito felizes com a colaboração de todos e todas aqueles e aquelas que nos ajudaram nesta caminhada ao longo do ano de 2010. Certamente não é aqui que se encerram as Quartas de Paz, apenas as atividades deste ano. Em 2011 estaremos com forças e energias renovadas para continuarmos com o programa”, afirmou Cecília Amim, uma das coordenadoras da Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz.

A programação de hoje, que acontece no Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, na Praia Grande, inclui oficina de confecção de flores e borboletas em material reciclado, que será ministrada às 14h pelo grupo Jovens pela Paz, de São Luís. Às 16h será exibido o filme Diamante de Sangue, estrelado por Leonardo Di Caprio, que conta a história de graves conflitos na África provocados pela exploração ilegal de diamantes. Em sequência, às 18h, o tema Economia e vida será debatido sob a coordenação do Pe. Vitor Manoel, missionário comboniano. Lena Machado e Os Pregoeiros sobem ao palco às 19h30min.

Pregões – Lena Machado pregará a paz, com música. Mostrará o que aprendeu com os pregoeiros Lopes Bogéa e Antonio Vieira, entidades do samba, da música popular e da luta pelos direitos humanos no Maranhão, ambos já falecidos. Acompanhada por João Eudes (violão sete cordas), Wendell Cosme (cavaquinho solo), Rafael Guterres (cavaquinho centro), Arlindo Carvalho (percussão) e João Neto (flauta), mostrará ao público o que sabe fazer: levar a boa música popular produzida no Maranhão aonde o povo está, como cantou o poeta mineiro.

No repertório, criações de nomes como Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Joãozinho Ribeiro, João do Vale e Chico Maranhão, entre outros. Lena Machado iniciou-se na música cantando nas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) da Igreja Católica. Há dez anos trabalha na Cáritas Brasileira Regional Maranhão, cujos 50 anos foram celebrados em Canção de Vida, disco ao qual a cantora emprestou sua voz a diversos hinos do movimento social maranhense. Em 2010 lançou Samba de Minha Aldeia, que obteve repercussão nacional.

Mais – Lena Machado é uma das convidadas de Noel, Rosa secular, tributo ao compositor carioca Noel Rosa, que completaria 100 anos em 11 de dezembro, data do show que será apresentado por Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho, em homenagem ao Poeta da Vila.

Cáritas celebra 54 anos no 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca

9 novembro 2010

Arte de Zema Ribeiro

Festival tem início hoje (10) e vai até dia 12 (sexta-feira), data em que a Cáritas Brasileira completa 54 anos de atuação no País.

A Rede Mandioca atualmente articula mais de 70 grupos, comunidades e associações de produtores, fazendo-se presente em cerca de 35 municípios, em todas as regiões do Maranhão. Entre as premissas de sua Carta de Princípios, documento discutido e aprovado em plenárias estaduais, está a valorização da cultura da mandioca, elemento bastante importante na mesa do maranhense.

A Rede Mandioca e a Cáritas Brasileira Regional Maranhão realizam, entre hoje (10) e sexta-feira (12), em São Luís, o 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca. O evento integra a programação da Semana Nacional da Solidariedade, que celebra em todo o Brasil, os 54 anos de atuação da Cáritas no país. O organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil integra a rede Caritas Internationalis, presente em cerca de 200 países.

O Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho e a Praça Valdelino Cécio, ambos na Praia Grande, abrigarão as atividades ao longo dos três dias de festival: atividades de formação (debates, seminários, palestras), feira (comercialização da produção de grupos e associações filiadas à Rede Mandioca) e atividades culturais (shows musicais) compõem a programação.

Armando a Rede – A Rede Mandioca surgiu em 2004, inspirada em outras experiências bem sucedidas de articulação em rede, pautadas nos princípios da economia popular solidária. Sua área de atuação é o estado do Maranhão, embora vez por outra, dialogue com experiências em outros estados. A Cáritas Brasileira Regional Maranhão responde pela assessoria técnica à articulação.

Foi durante um encontro de planejamento da Cáritas, aliás, que surgiu a ideia de articular em rede, produtores, não só de mandioca: a Rede Mandioca congrega também artesãos, criadores de pequenos animais, extrativistas e agricultores, entre outros. O 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca terá representantes de todas as regiões do Maranhão. Veja a seguir sua programação completa.

Programação

Dia 10 (quarta-feira): 16h: Abertura oficial do 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca > Lançamento da nova logomarca da Rede Mandioca > Feira (Praça Valdelino Cécio) > 19h: Show de Chico Nô (Praça Valdelino Cécio).

Dia 11 (quinta-feira): Seminário Estadual sobre Produção, Beneficiamento, Comercialização e Consumo Ético Solidário (Auditório Rosa Mochel, Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho). 9h: Mesa: Produção e beneficiamento da produção agroecológica (Rede de Agroecologia do Maranhão/RAMA, Associação em Áreas de Assentamento no Estado do Maranhão/ASSEMA, Associação dos Trabalhadores(as) Rurais da Comunidade de Cantos dos Bois/Vargem Grande/MA) > 10h30min: Mesa: Fundos Rotativos (Clarício dos Santos Filho/BNB/ETENE) > 15h: Feira (Praça Valdelino Cécio) > 19h: Show: Forró Pé no Chão de Seu Raimundinho (Praça Valdelino Cécio).

Dia 12 (sexta-feira): 10h30min: Mesa: Comercialização e Consumo Ético Solidário (Instituto Marista de Solidariedade/IMS, Companhia Nacional de Abastecimento/Conab, Cooperativas dos Trabalhadores Agroextrativistas de Vargem Grande/Coopervag, FNDE/PNAE) (Auditório Rosa Mochel, Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho) > 15h: Feira (Praça Valdelino Cécio) > Show: Cesar Teixeira (Praça Valdelino Cécio).

SEMANA DA SOLIDARIEDADE

POR DOM DEMÉTRIO VALENTINI*

O mês de novembro sempre evoca a Cáritas. Não é por menos. Ela faz aniversário no dia 12, lembrando sua fundação em 1956, por obra e graça de Dom Helder Câmara. No mês do seu aniversário, para festejá-lo bem, a Cáritas Brasileira promove a Semana da Solidariedade, tendo o dia 12 como referência para definir seu calendário.

Neste ano, a Semana da Solidariedade faz apelo a duas circunstâncias, ambas especiais, e que interpelam a Cáritas. A primeira é a importante definição política que o País acaba de realizar, com o término das eleições, que dessa vez foram amplas e gerais.

Definidos os comandos políticos, nas esferas nacional e estadual, sejam quais forem as composições resultantes, uma constatação salta aos olhos: o governo sozinho nunca resolverá todos os problemas do povo. Sempre haverá necessidade de iniciativas e de participações, que superam as restritas obrigações legais e apelam para a solidariedade.

A solidariedade não precisa ser eleita, mas sim reconhecida, incentivada, organizada e assumida. Ela motiva a cidadania, que lhe aponta as urgências prementes, dando-lhe os contornos definidos; oferece ao Estado os seus préstimos, que acabam viabilizando uma administração pública com plenas garantias de estar a serviço das verdadeiras causas do governo, é sempre bem-vinda, sempre tem seu lugar, sempre contribui com valores que passam a ser melhor integrados nos relacionamentos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Semente fecunda – A outra circunstância especial da Semana da Solidariedade desde ano é o Prêmio Odair Firmino, criado recentemente e que terá o seu primeiro ganhador nessa ocasião. O nome lembra a pessoa que todos recordam com saudade e admiração Odair Firmino. Ele esteve décadas ligado à Cáritas, deixando um inequívoco testemunho de humanidade, respeito, competência e identificação com os ideais dessa instituição. Odair foi a pessoa que todos gostariam de ter como companheiro de luta, como amigo de todas as jornadas, como figura a inspirar otimismo e confiança.

Realmente não podia ter sido escolhido nome mais adequado do que este, que recorda uma presença inesquecível para a Cáritas Brasileira. O objetivo do Prêmio Odair Firmino é incentivar a consolidação das Cáritas Diocesanas e impulsionar o surgimento das Cáritas Paroquiais, conforme meta estabelecida na última Assembleia da Cáritas Brasileira.

Enfim, cada vez mais se comprova que a semente fecunda da solidariedade encontra chão propício no seio das comunidades próximas à vida do povo, às paróquias, com suas ramificações comunitárias.

Neste chão, a solidariedade encontra mais facilmente condições propícias para a gratuidade, que enobrece sobremaneira a solidariedade e lhe dá o sabor especial da caridade consciente, atenta e organizada, permitindo iniciativas que dão motivações novas para as comunidades, despertando-as para a participação social adulta e comprometida.

A Semana da Solidariedade, com a concessão do Prêmio Odair Firmino, certamente deixará marcas especiais neste ano que tem muito de especial para a nossa realidade brasileira.

*Dom Demétrio Valentini é bispo de Jales (SP) e presidente da Cáritas Brasileira. Artigo originalmente publicado na Revista Família Cristã nº. 76, de novembro/2010.

Casa Fanti Ashanti lança documentário e cd nesta sexta-feira (13)

11 agosto 2010

Festa de lançamento contará com pré-estreia do documentário Pedra da Memória, mostra fotográfica, lançamento do cd Boi de Encantado e apresentações do Bumba meu boi Garotos do Cruzeiro e Tambor de Taboca da Casa Fanti Ashanti

Nesta sexta-feira (13), os ludovicenses poderão conferir os resultados do projeto Pedra da Memória, que levou Pai Euclides Talabyan e uma comitiva da Casa Fanti Ashanti do Maranhão ao Benin. Coordenado pela musicista e pesquisadora Renata Amaral (d’A Barca) o projeto recebeu o Prêmio Interações Estéticas da Funarte/MinC, promovendo um profundo diálogo entre as culturas dos dois países.

Cerimonia Geledé em Sakete. Foto: divulgação

Ao longo de um mês, a equipe visitou as cidades de Cotonou, Abomey, Ketou, Porto Novo, Ouidah, Allada, Pobe e Sakete, realizando encontros e registros audiovisuais de diversas tradições como os toques de vodum, Zangbeto, Egungun, cerimônias geledés, música kudo e as tradições dos agudás, os afrobrasileiros do Benin, descendentes de ex-escravos e trabalhadores do tráfico escravagista que retornaram à terra natal quando a escravidão foi abolida.

Esta experiência transformadora resultou no documentário e na mostra fotográfica que terão pré-estreia na Casa de Nhozinho (Rua Portugal, Praia Grande). Dirigido por Renata Amaral e editado por Diana Gandra, o documentário traz um diálogo estético entre as tradições populares do Brasil e do Benin (África Ocidental), em uma aproximação poética e reveladora conduzida pela memória de Euclides.

Fruto ainda da residência artística de Renata na Casa Fanti Ashanti, que se tornou Ponto de Cultura em 2006, também será lançado no evento o cd Boi de Encantado, do tradicional Bumba meu boi Garotos do Cruzeiro, um registro inédito que inclui mais de 20 toadas representativas dos 56 anos de atividades do grupo, compostas por Pai Euclides e seus encantados.

O grupo se apresentará na ocasião, ao lado do Tambor de Crioula de Taboca Veneradores de São Benedito. Ambos são da Casa Fanti Ashanti.

Serviço:

O quê: Lançamento do documentário Pedra da Memória e do cd Boi de Encantado.
Quando: dia 13 de agosto (sexta), às 19h30min.
Onde: Casa de Nhozinho (Rua Portugal, 185, Praia Grande, fone: (98) 3218-9951).
Quanto: entrada franca.

Assessoria de imprensa e redação: Benedita Freire

MinC lança em São Luís a coletânea “Drogas e Cultura: novas perspectivas

24 junho 2010

Obra será lançada em São Luís segunda-feira, 28. Capa. Reprodução.

O livro Drogas e Cultura: novas perspectivas (acima, reprodução da capa) será lançado na próxima segunda-feira, 28 de junho, às 19h, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio). 

A publicação, apoiada e financiada pelo Ministério da Cultura (MinC), contribui para o debate público sobre as drogas, à medida que não se restringe aos aspectos biomédicos dos produtos e de suas propriedades. A obra propõe ampliação nas discussões sobre o uso de substâncias psicoativas, a partir de 17 artigos de pesquisa e reflexão no âmbito das ciências humanas. Tem como co-organizadores Henrique Carneiro, Bia Labate, Edward MacRae, Sandra Goulart e Maurício Fiore, entre outros. A publicação tem parceria com a EDUFBA (Editora da Universidade Federal da Bahia).

O livro aborda majoritariamente a relação humana com tais produtos, as motivações e os sentidos ligados à produção e ao uso de sustâncias específicas. Traz elementos para ajudar a compreender a interpretação que os sujeitos dão à experiência com as drogas, de seu estado, da motivação que os impele a um consumo repetido de determinada substância, dos sentidos e razões pelas quais a considera importante e indispensável para satisfação de determinadas metas e necessidades.

Drogas e Cultura: novas perspectivas é um esforço no sentido de qualificar o debate sobre a descriminalização e a legalização das drogas, que hoje continua sendo depreciado e descartado como leviano, irresponsável e moralmente suspeito. O livro revela que a perspectiva cultural é uma forma qualificada para lidar e tratar a questão das drogas. A cultura é a manifestação das relações sociais, media diálogos, cria e reconhece a importância do saber popular sobre as drogas. O olhar social sobre essa questão não pode ser apenas o da criminalização policial ou da medicina psiquiátrica.

O evento de lançamento do livro contará com as presenças de Fabio Kobol (MinC), Henrique Carneiro (co-organizador do Livro e do NEIP), Euclides Moreira Neto (Fundação Municipal de Cultura), Paulo Alves Moreira (Pesquisador e escritor), Mivan Gedeon (Secretaria Municipal de Comunicação), Daniel Serra e Sérgio Ferreti (antropólogo e professor). Após a cerimônia haverá distribuição gratuita do livro, cuja versão eletrônica pode ser acessada neste link.

Serviço

O quê? Lançamento do livro Drogas e Cultura: novas perspectivas
Quando? segunda-feira, 28 de junho, às 19h
Onde? Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio)

[Release recebido do Ministério da Cultura]

Discotecassamba

10 março 2010

Palco dos projetos Mixando o Mundo, do DJ Pedro Sobrinho, e Chorinho no Cantinho, com o Regional Feitiço da Ilha, Cantinho da Estrela é opção certa para quem gosta de boa música.

Projeto realizado desde o ano passado, o Chorinho no Cantinho, capitaneado por Chico Nô (voz, violão, percussão) e pelos bambas do Regional Feitiço da Ilha – além dele, Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – já é referência na vida boêmia de São Luís, sobretudo no bairro da Praia Grande, onde está instalado o Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Todas as sextas, a partir das 19h, o Regional Feitiço da Ilha tem executado repertório de samba e choro e prestado tributos a grandes nomes destes gêneros brasileiríssimos: Roberto Ribeiro, João Nogueira, Chico Buarque e Pixinguinha, entre outros, já receberam homenagens. O grupo conta ainda com o auxílio luxuoso de diversos convidados: entre outros, já passaram pelo palco do projeto nomes como Josias Sobrinho, Lena Machado, Nivaldo do Cavaco, Cacá do Banjo, Léo Capiba, Chico Chinês e Neto Peperi. O couvert artístico individual custa apenas R$ 7,00.

Quinta – A novidade que o Cantinho da Estrela traz neste mês de março é o projeto Mixando o Mundo, que terá as pick-ups pilotadas pelo DJ Pedro Sobrinho. A primeira edição aconteceu dia 4 (quinta-feira passada) e as festas acontecerão todas as quintas de março.

Para o dia 11, a promessa é muito drum’n bass, world music, latina, eletrônica, samba, dub e acid jazz. Pedro Sobrinho discotecará ainda dias 18 e 25 de março, sempre a partir das 20h. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Maiores informações: (98) 8724 2940.

Chorinho no Cantinho reestreia na Praia Grande

3 março 2010

Restaurante Cantinho da Estrela retoma projeto musical após recesso carnavalesco.

Após uma pausa no período carnavalesco, prolongada por todo o mês de fevereiro, o projeto Chorinho no Cantinho retorna ao palco do Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, 175, Praia Grande (em frente à Praça Valdelino Cécio). Acontecerá, como antes, às sextas-feiras, porém, agora, mais cedo: às 19h.

Bambas do Feitiço da Ilha voltam ao palco do Cantinho da Estrela

O Regional Feitiço da Ilha volta a mostrar o melhor do choro e do samba brasileiros, em versões instrumentais e cantadas: Vandico (percussão), Chico Nô (voz, violão, percussão), Juca do Cavaco e Domingos Santos (violão sete cordas), na ordem em que aparecem na foto, animarão as noites de sexta, no já tradicional encontro de bambas que sempre acontece no Chorinho no Cantinho.

“A gente ‘tava com saudade desse palco. Vamos continuar fazendo samba e choro, aumentando a interação que já há entre o grupo e o público que sempre tem comparecido”, comenta Chico Nô, que levou o segundo lugar do Festival Maranhense de Música Carnavalesca, promovido pelo Sistema Mirante, com a marchinha Tô engarrafado, parceria com Neto Peperi (ex-Espinha de Bacalhau).

Proprietária do Cantinho da Estrela, a sorridente Dadá confessa: “O público já estava cobrando a ausência do projeto, que a gente retoma com muita alegria, cerveja gelada e o cardápio variado que sempre temos oferecido. Tudo isso regado pelo ótimo repertório do Feitiço da Ilha”.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho.
Quem: Regional Feitiço da Ilha: Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão).
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: sexta-feira, 5 de março, às 19h.
Quanto: R$ 7,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: [98] 8724-2940, 8814-1407.

Mixando o Mundo nas quintas de março

1 março 2010

Restaurante Cantinho da Estrela será o palco de projeto eclético do DJ Pedro Sobrinho.

Pick-ups de Pedro Sobrinho animarão noites de quinta no Cantinho da Estrela. Foto: http://tododjjasambou.virgula.uol.com.br

Depois de várias temporadas de sucesso por diversas casas pela Ilha, o projeto Mixando o Mundo está de volta em 2010. O mesmo vai aportar no Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio.

A re-estreia do Mixando o Mundo, sob a residência do DJ Pedro Sobrinho, será no próximo dia 4, quinta-feira, às 20h. No set-list canções que tocam o mundo para ouvir e dançar: coco dub, acid jazz, música brasileira contemporânea com pitadas eletrônicas, samba de raiz, reggae, dub, drum’n bass e muito mais. Também haverá espaço para intervenções espontâneas nas pick-ups de gente amiga e parceira da idéia.

O projeto terá continuidade todas as quintas-feiras de março: 11, 18 e 25. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Com informações de Pedro Sobrinho.

Rompendo Paradigmas, compondo ao vivo

1 março 2010

Anand Rao, músico brasiliense, apresenta em São Luís proposta inovadora: musicar, ao vivo, poemas, bilhetes, textos e o que mais aparecer.

Anand Rao musicará tudo o que o público levar

Você é poeta? Já escreveu um bilhete? Anotou um recado? Tudo isso é combustível para a música de Anand Rao (foto).

No dia 6 de março, sábado, às 21h, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), 21h, ele, jornalista, músico e compositor, vindo diretamente de Brasília, apresenta o show Rompendo Paradigmas. Durante o espetáculo, todas as músicas serão gravadas em mp3 e os parceiros (frequentadores que estiverem no local) receberão um cd matriz onde poderão fazer cópias do mesmo, vender ou distribuir as composições para os amigos.

Com 20 livros publicados e quatro cds lançados, Anand Rao que tem extrema facilidade rítmica, melódica, é um harmonista de mão cheia e viaja em sua guitarra acústica Gretsch. Ele não é solista, o seu solo está no canto, nas percussões de boca que faz, mas é um artista que gosta de musicar tudo o que vê pela frente. Recentemente, em evento realizado para advogados, musicou petições; em outro, para médicos, receitas. Enfim, é um destes que gostam de inovar.

Entre suas influências, destaca Chico Buarque, Pat Metheny, Hermeto Paschoal, Egberto Gismonti, Guinga, todos músicos de primeira linha.

Para que o evento seja norteado de novas músicas, único, ele solicita que todos os poetas da cidade compareçam, bem como, pessoas que escrevem prosa e/ou poesia e avisa: “vai ser uma viagem, tudo será musicado. Que todos levem seus textos em corpo 16. O ideal é que os poemas tenham no máximo 10 versos. E se você não for poeta, que leve sua declaração de amor para sua namorada, sua fala, enfim, o que quiser que virará música. É rap, é repente, de jeito algum, cada música geralmente tem 10 ou mais acordes e vários ritmos”, afirma. Em sendo assim, Anand define o seu gênero musical como MPJazz.

Com extensa agenda por todo o Brasil e exterior, Anand Rao tocará esse ano no festival de Jazz de Montreux e no Village em Nova York. Além de músico, Anand é assessor de imprensa portanto, fará entrevistas com os frequentadores atentos e colocará tudo no YouTube. O show será filmado na íntegra com este fim.

SERVIÇO

O quê: Show Rompendo Paradigmas.
Quem: o músico, jornalista e compositor Anand Rao que vai musicar poemas, recados, textos de todos que lá estiverem.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: dia 6 de março (sábado), às 21h.
Quanto: R$ 10,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: com Anand Rao – (61) 8164-4847 – e/ou Pedro Sobrinho – (98) 8153-3601.

Com informações de Pedro Sobrinho.

Baile do Parangolé celebrará 31 anos da SMDH

4 fevereiro 2010

O jornalista e compositor Cesar Teixeira será homenageado na ocasião.

A Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) completa 31 anos no próximo dia 12 de fevereiro. Para festejar a data – este ano a sexta-feira gorda de carnaval –, será realizado o Baile do Parangolé, a partir das 21h, no Sindicato dos Arrumadores (Rua da Estrela, Praia Grande, em frente à Faculdade de Arquitetura). A festa terá a animação do Tambor de Crioula Catarina Mina (abertura) e da Banda do Maestro Antonio Paiva, com participações especiais confirmadas (há outros artistas a confirmar) de Joãozinho Ribeiro e Cesar Teixeira, ambos sócios da SMDH. O autor do coco Parangolé, que batiza o baile, será homenageado na ocasião.

O aniversário da SMDH marcará também o lançamento da campanha Direitos Humanos em Movimento, que busca dar maior visibilidade à ação de defensores de direitos humanos no Maranhão, melhorando a aceitação do tema junto à população. Iniciando pelo Baile do Parangolé, a campanha terá vários momentos ao longo de 2010, culminando com o aniversário de 62 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 10 de dezembro.

As camisas para o Baile do Parangolé podem ser adquiridas na sede da SMDH (Rua Sete de Setembro, 156, Centro) e na União por Moradia Popular (Rua dos Afogados, 554, Centro). Maiores informações: (98) 3231-1601, 3231-1897, smdh@terra.com.br, http://www.smdh.org.br

SERVIÇO

O quê: Baile do Parangolé. Aniversário de 31 anos da SMDH. Lançamento da campanha Direitos Humanos em Movimento – 2010.
Quem: Banda do Maestro Antonio Paiva, Tambor de Crioula Catarina Mina e participações especiais de Joãozinho Ribeiro e Cesar Teixeira (homenageado).
Quando: dia 12 de fevereiro (sexta-feira gorda de carnaval), às 21h.
Onde: Sindicato dos Arrumadores (Rua da Estrela, Praia Grande, em frente à Faculdade de Arquitetura).
Quanto: R$ 30,00 (camisa).
Maiores informações: (98) 3231-1601, 3231-1897, smdh@terra.com.br, http://www.smdh.org.br

João dos Carnavais celebra João Nogueira

4 fevereiro 2010

Prestando homenagem ao sambista carioca, Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o músico Carlinhos da Cuíca.

Nogueira será homenageado em "João dos Carnavais"

O cantor e compositor carioca João Nogueira (foto) será o homenageado desta sexta-feira (5) no projeto Chorinho no Cantinho, que acontece a partir das 21h, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

No show João dos Carnavais, o Regional Feitiço da Ilha, formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão), com Chico Nô (voz, violão, percussão) à frente, terá como convidado o músico Carlinhos da Cuíca (Espinha de Bacalhau). O repertório focará as composições de Nogueira mais voltadas ao carnaval.

João Nogueira é autor de diversos clássicos da música brasileira, gravados por um sem-número de intérpretes. Entre outros, são de sua lavra músicas memoráveis como Clube do samba, Nó na madeira (com Eugênio Monteiro), Do jeito que o rei mandou (com Zé Catimba), Espelho, As forças da natureza, O poder da criação e Eu, hein, Rosa! (as quatro últimas em parceria com Paulo César Pinheiro).

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

CARNAVAL COM FEIJÃO – A roda de samba mais animada de São Luís tem endereço certo: o Restaurante Cantinho da Estrela, aos sábados, a partir das 17h. Em temporada pré-carnavalesca, o grupo Conversa de Botequim, além do tradicional repertório de sambas, também tem apresentado marchinhas e outros gêneros do período de momo.

A diversão é garantida. A entrada custa apenas R$ 10,00.

A volta de Chico Nô

20 janeiro 2010

Nivaldo da Estação será o convidado do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, no projeto Chorinho no Cantinho.

O Chorinho no Cantinho, já tradicional encontro de bambas que acontece todas as sextas-feiras no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), marca, dia 22, o retorno de Chico Nô ao seu palco – o repertório de sambas e choros começa a ser executado às 20h.

O cantor e compositor maranhense aproveitou o período das festas de Natal e Ano Novo para passar uma temporada no Rio de Janeiro, de onde retorna com novidades na bagagem – algumas serão mostradas sexta-feira.

Regional Feitiço da Ilha: os bambas do Chorinho no Cantinho

Chico Nô (voz, violão e percussão) e o Regional Feitiço da Ilha (foto) – Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – terão como convidado o cantor e cavaquinhista Nivaldo da Estação, que passeará por sambas-enredo e clássicos do carnaval, com destaque para os maranhenses.

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – O grupo Conversa de Botequim, a partir das 17h, continua realizado a mais animada roda de samba da Ilha, também no Restaurante Cantinho da Estrela.

Obras de nomes como Paulinho da Viola, Chico Buarque, Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Antonio Vieira e João Nogueira, entre outros, são os ingredientes do samba, que é acompanhado por uma feijoada com todos os ingredientes a que se tem direito.

A entrada custa apenas R$ 10,00.

Samba com Mandinga no Chorinho no Cantinho

17 dezembro 2009

Antes de embarcar para o Rio, Chico Nô apresenta repertório de seu disco no Restaurante Cantinho da Estrela.

Nesta sexta-feira, 18, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), a apresentação de Chico Nô, na noite batizada Chorinho no Cantinho, tem sabor de despedida.

Mas os apreciadores de choro, samba e música brasileira de qualidade em geral não precisam ficar tristes – a “despedida” é temporária: “Vou passar as festividades de fim de ano no Rio e fazer uma curtíssima temporada por lá”, explica o músico, casado com uma carioca.

O Regional Feitiço da Ilha, com Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) segurarão a peteca, recebendo alguns convidados nas próximas sextas-feiras – Chico Nô não informou ainda sua data de retorno.

No show de sexta, Chico Nô, entre clássicos da música brasileira, mostrará o repertório de seu primeiro disco, Samba com Mandinga, já mostrado em alguns palcos ludovicenses, a exemplo do projeto Clube do Choro Recebe e do Teatro Alcione Nazaré.

“Também estaremos vendendo e autografando o disco na ocasião, uma boa pedida a quem quiser presentear familiares e amigos com boa música produzida no Maranhão neste Natal”, provoca.

Festival – Chico Nô foi o vencedor do I Festival Universitário Som na Cuca, realizado na Universidade Federal do Maranhão, mês passado, com a música Berimbolado. “A gente faz música despretensiosamente e embora acredite em nosso trabalho é sempre uma agradável surpresa vencer um festival”, diz o músico, que teve o primeiro lugar concedido pelo júri técnico.

Sábados – Aos sábados, no mesmo endereço do Chorinho no Cantinho, Chico Nô comanda animada roda de samba acompanhado do grupo Conversa de Botequim. A animação começa às 17h. Para ambas as apresentações, o couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho.
Quem: Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 18 de dezembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Chico Nô, Feitiço da Ilha e Vinicius Queiroz no Cantinho da Estrela, nesta sexta

9 dezembro 2009

Repertório autoral, instrumental, cantado e clássicos de Martinho da Vila e Zeca Pagodinho serão lembrados pelos músicos.

Acompanhado do Regional Feitiço da Ilha, o cantor, compositor e violonista Chico Nô continua comandando a música às sextas-feiras no Bar e Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio.

Nesta sexta, 11, a partir das 19h30min, o bamba receberá, como convidado, o cantor e instrumentista Vinicius Queiroz, que cantará sambas autorais e pérolas dos repertórios de Martinho da Vila e Zeca Pagodinho, entre outros.

O Regional Feitiço da Ilha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão), além do próprio Chico Nô (voz, violão, percussão).

Sábado – No mesmo endereço, aos sábados, é a vez de Chico Nô comandar roda de samba regada a feijoada. O bom barulho tem início às 17h e o músico é acompanhado pelo grupo Conversa de Botequim.

Tanto sexta quanto sábado o couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00. Maiores informações: (98) 8814-1407, 8724-2940.

“Tem muito samba, muito choro e futebol”

25 novembro 2009

Chico Buarque e Tom Jobim recebem homenagem de Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha. Exposição sobre futebol será inaugurada no espaço Cantinho da Estrela.

Nesta sexta-feira (27) é a vez do cantor e compositor Chico Nô (voz, violão, percussão), acompanhado do Regional Feitiço da Ilha, render homenagens a Chico Buarque e Tom Jobim, sem dúvidas dois dos maiores mestres da canção brasileira. O tributo acontece dentro do projeto Chorinho no Cantinho, que acontece às sextas-feiras, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio)

Clássicos como Águas de março, Meu caro amigo, Lígia, As vitrines, Chega de saudade, A Rita, Eu sei que vou te amar e Valsinha, entre muitos outros, serão lembrados pelas mãos habilidosas de Domingos Santos (violão sete cordas), Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão).

“Eis um grande desafio, para o qual contaremos com as participações especialíssimas de Lena Machado, Joãozinho Ribeiro, Zezé Alves e Neto Peperi, para dividirmos as responsabilidades. Será uma noite especialíssima”, antecipa Chico Nô.

Na ocasião será aberta ainda a exposição Emoção e paixão em campo, do jornalista e fotógrafo mineiro Valdez Maranhão. Um conjunto de 35 fotografias retratando momentos de Atlético Mineiro, Cruzeiro e América – os três maiores clubes de Minas Gerais – enfrentando outros grandes clubes brasileiros.

Duas das imagens que compõem e exposição "Emoção e paixão em campo"

“O Brasil sempre é lembrado como o país do futebol, o país do samba, o país do choro. O espaço do Cantinho da Estrela casa perfeitamente com as três temáticas, então é mais que oportuno, realizar essa exposição aqui e mais, inaugurá-la ao som da homenagem a estes dois grandes mestres”, convida Chico Nô.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho, com Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha. Tributo a Chico Buarque e Tom Jobim. Participações especiais de Lena Machado, Neto Peperi, Joãozinho Ribeiro e Zezé Alves. Abertura da exposição fotográfica Emoção e paixão em campo, do fotógrafo mineiro Valdez Maranhão.
Quando: dia 27 de novembro (sexta), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Encontro de gigantes

17 novembro 2009

Lena Machado e Zeca do Cavaco, recepcionados pelo Regional Tira-Teima reservam surpresas ao público do Clube do Choro Recebe.

Zeca do Cavaco é um dos mais elegantes intérpretes da música produzida no Maranhão

Duas das mais belas vozes do Maranhão têm encontro marcado este sábado (21) no Clube do Choro Recebe: Lena Machado e Zeca do Cavaco terão como anfitriões os mestres do Regional Tira-Teima, também integrado pelo cantor. O projeto acontece na Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande).

Paulo Trabulsi (cavaquinho solo), Serrinha de Almeida (flauta), Francisco Solano (violão sete cordas), Zeca do Cavaco (cavaquinho centro) e Zé Carlos (percussão) fazem a primeira parte do sarau, dividindo-se entre temas instrumentais e cantados – sim, já na primeira parte Zeca do Cavaco brindará o público com sua interpretação certeira para diversos clássicos do samba e choro.

Lena Machado lançará em breve "Samba de minha aldeia", seu segundo disco

Com o segundo disco já finalizado, a ser lançado em breve, Lena Machado divide a segunda parte da noite com Zeca do Cavaco: fará alguns números acompanhada do Regional Tira-Teima e em outros fará dueto com o cantor que está gravando seu disco de estreia.

O encontro traduz, no palco, uma mútua admiração artística. O público fiel do Clube do Choro Recebe pode esperar diversas surpresas agradáveis. Isso sem falar nas canjas, quando tanto artistas talentosos quanto anônimos sempre dão o ar da graça.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO
O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 103ª. edição.
Quem: o Regional Tira-Teima recebe os cantores Lena Machado e Zeca do Cavaco.
Quando: dia 21 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

Chico Nô do choro e do samba

17 novembro 2009

Músico comanda homenagem a grandes mestres da música brasileira e roda de samba, às sextas e sábados, no Cantinho da Estrela.

Já consolidado como mais novo palco do choro e samba de São Luís, o Restaurante Cantinho da Estrela volta a abrir suas portas aos mais brasileiros dos gêneros musicais. A festa começa às 19h30min, às sextas-feiras, sob a batuta de Chico Nô e dos bambas do Regional Feitiço da Ilha, formado, além dele (voz, violão e percussão), por Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão). O restaurante fica na Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio.

A cada sexta, Chico Nô e o Feitiço da Ilha têm prestado tributo a um ou dois mestres da música brasileira. E contado com a participação especial de ao menos um nome da cena ludovicense. Nesta sexta, o homenageado será Paulinho da Viola e o convidado será Oberdan Oliveira.

“Há vários nomes a que ainda prestaremos tributo. Paulinho da Viola é dono de uma obra vastíssima, bastante diversificada e, no entanto, é por vezes reconhecido como um compositor menor, se comparado a outros figurões da MPB, talvez justamente por ser diretamente identificado como sambista”, diz Chico Nô. “Nossa ideia, ao homenageá-lo, é justamente tentar desmitificar isso”, conclui.

As apresentações de Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha, às sextas-feiras, no Cantinho da Estrela, são divididas em duas partes: na primeira, instrumental, os músicos passeiam por clássicos do choro; na segunda, Chico Nô canta clássicos do samba e da música popular brasileira, recebendo um convidado especial.

Sábados – Aos sábados, com o grupo Conversa de Botequim, é a vez do cantor e compositor comandar animada Roda de Samba regada a feijoada. “O restaurante funciona normalmente, servindo tudo o que está disponível em nosso cardápio”, explica Dadá, proprietária do espaço. O “samba com feijão” tem início às 17h, sob a sombra das árvores da Praça Valdelino Cécio, localizada em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. Tanto sexta quanto sábado, o couvert artístico custa apenas R$ 5,00.

SERVIÇO

Sexta-feira, 20
O quê: Chorinho no Cantinho
Quem: o cantor e compositor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha e convidados.
Quando: dia 20 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Sábado, 21
O quê: Samba com Feijão
Quem: o cantor e compositor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 21 de novembro (sábado), às 17h.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Pixinguinha, Mestre Vieira e o Feitiço da Ilha

11 novembro 2009

Grupo liderado por Chico Nô homenageará os mestres.

Pixinguinha e Mestre Antonio Vieira receberão homenagens do cantor e compositor Chico Nô e do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, 13, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Chico Nô celebrará Pixinguinha e Mestre Vieira, sexta

Alfredo da Rocha Viana, o Pixinguinha, terá músicas tocadas tanto na parte instrumental da noite, quanto na parte cantada. “Pixinguinha é um dos maiores mestres do choro e da música brasileira como um todo. Tem muitas peças instrumentais bastante conhecidas e populares, mas também muitos compositores puseram letras em suas belíssimas melodias”, adiantou Chico Nô (foto), citando, entre outras, Lamentos, Rosa, Carinhoso e Iaô, entre outras que estarão no repertório de sexta-feira.

Formado pelo próprio Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão), o Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o cantor Neto Pepperi, um dos grandes sambistas maranhenses, formado na escola da noite, sempre prestigiando grandes mestres, como o homenageado Antonio Vieira, falecido em abril aos 88 anos, Cesar Teixeira e Josias Sobrinho, entre outros.

Já tendo feito homenagens a Noel Rosa e Cartola, as noites de sexta-feira no Cantinho da Estrela já se tornaram o novo point da Praia Grande para os apreciadores de boa música. Eis uma boa pedida. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – Também integrado por Chico Nô, o grupo Conversa de Botequim realiza, aos sábados, a partir de meio-dia, uma roda de samba regada a feijoada. No mesmo endereço. Neste sábado, 14, o grupo ocupará a praça Valdelino Cécio, em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. “Com o fechamento da Padaria do Francês, esse importante cartão postal, que tem o nome de um importante poeta, está abandonada, escura, maltratada. Nosso samba-ocupação é uma tentativa de reanimá-la e para isso a gente conta com a presença dos amigos e dos apreciadores de boa música”, explicou Chico Nô, fazendo um chamamento ao público.

SERVIÇO SEXTA 13

O quê: Homenagem a Pixinguinha e Mestre Vieira.
Quem: o cantor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 13 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

SERVIÇO SÁBADO 14

O quê: Roda de Samba com Feijoada.
Quem: o cantor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), ao meio-dia.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

Léo Capiba e Os Cinco Companheiros no Clube do Choro Recebe

10 novembro 2009

Clássicos do samba e choro recebem roupagem de gafieira em noite que promete dança e alegria.

Capiba relembrará grandes mestres do samba e choro em clima dançante 

Léo Capiba (foto) é o convidado da 102ª. edição do Clube do Choro Recebe, que acontece este sábado (14), a partir das 19h30min, na Pousada Portas da Amazônia/La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande). Atualmente o cantor está gravando seu disco de estreia, que terá arranjos do violonista João Pedro Borges, onde interpretará diversos nomes do samba produzido no Maranhão. Cearense de nascimento e maranhense de coração, Capiba tem uma vasta experiência acumulada na noite ludovicense.

“O sorriso mais largo da paróquia”, como Capiba também é conhecido, terá como anfitriões Os Cinco Companheiros: Osmar do Trombone, Osmarzinho (clarinete e saxofone), Rafael Guterres (cavaquinho), João Soeiro (violão) e Wanderson (percussão). Natural de Cajari, o líder do grupo também está gravando seu disco de estreia, cujo repertório é instrumental e, em grande parte autoral, intitulado Cinco gerações, as de músicos de sua família. Osmar do Trombone tem sempre mostrado com boa aceitação o choro-título de seu disco.

Os sopros d’Os Cinco Companheiros garantem a cada apresentação que fazem um clima de gafieira que pode render bons passos de dança ao público – no palco, Capiba não se faz de rogado. A interpretação firme, a ginga e o bom humor de Capiba dão o tom no passeio pelo repertório de grandes mestres do samba e do choro, como Cartola, Cesar Teixeira, Tom Jobim, Jackson do Pandeiro, João Nogueira e tantos outros.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 102ª. edição.
Quem: o grupo Os Cinco Companheiros recebe o cantor Léo Capiba.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

Chico Nô e Urubu Malandro são as atrações do Clube do Choro Recebe

4 novembro 2009

Clássicos do choro nacional e de grandes mestres do Maranhão serão lembrados sábado (7).

A 101ª. edição do projeto Clube do Choro Recebe leva ao palco da Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande), a ginga dos bambas do Regional Urubu Malandro, que outrora tinha entre seus integrantes o saudoso mestre Antonio Vieira: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. A apresentação acontece neste sábado, 7, a partir das 19h30min.

Chico Nô

Clube do Choro Recebe integra agenda intensa do músico

O grupo batizado por um clássico do choro – Urubu Malandro, de Pixinguinha, Loro e João de Barro – reviverá outros. Na ocasião, terão como convidado o cantor, compositor e violonista Chico Nô (foto), maranhense de Imperatriz, há muito radicado na Ilha capital. Entre obras de nomes como Pixinguinha – Rosa, Lamentos –, Tom Jobim e Chico Buarque, o artista reserva repertório de nomes maranhenses para sua apresentação. Antecipa temas como Saiba, rapaz (Joãozinho Ribeiro), Terra de Noel (Josias Sobrinho), além de Chorinho de Herança, parceria sua com Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe, música que já havia sido lançada como single e foi novamente gravada por Lena Machado – a mesma cantora que a lançou – em seu segundo disco, Samba de Minha Aldeia, a sair ainda em 2009.

Agenda intensa – O cenário musical, gastronômico e boêmio da Praia Grande, aos poucos, está mudando de endereço: deixou o antigo Largo do Comércio (Rua da Estrela) e ocupa agora, principalmente, a Rua do Giz. Chico Nô é bamba que lidera rodas de samba e choro no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 129, Praia Grande), ao lado dos regionais Feitiço da Ilha e Conversa de Botequim, ambos integrados por ele. Apresenta-se naquele palco todas as sextas (a partir das 19h30min) e sábados (a partir das 13h30min).

Músico autodidata, afirma: “Meu maior prazer é tocar e cantar. Então o público não deve esperar cansaço, apesar da agenda intensa. O Urubu Malandro tem integrantes comuns aos regionais com que tenho me apresentado com mais frequência, o que já garante entrosamento, além de ginga. Todos nós temos muito prazer em tocar, é uma diversão, uma festa”, promete e garante Chico Nô.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 101ª. edição.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe o cantor, compositor e violonista Chico Nô.
Quando: dia 7 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

“Onde está a honestidade?” mostra a atualidade de Noel Rosa e Gonzaguinha

27 outubro 2009

Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha prestam tributo a Noel Rosa e Gonzaguinha com participações especiais de Josias Sobrinho, Lena Machado e Chico Chinês.

Chico Nô

Foto: Paulo Socha

À frente do Regional Feitiço da Ilha – que já traz no nome explícita citação a Noel Rosa – o cantor e compositor Chico Nô (foto) tem animado as noites de sexta-feira no novo endereço de música, gastronomia e boemia da Praia Grande: o Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, em frente à Praça Valdelino Cécio – a casa funcionava na rua que lhe batizava, tendo mudado recentemente de endereço.

Nesta sexta, 30, a apresentação já tradicional ganha atrativos extras: Chico Nô prestará homenagens a dois compositores de sua admiração, os cariocas Noel Rosa e Gonzaguinha, no show Onde está a honestidade?

“Vivemos uma época em que os meios de comunicação não param de noticiar escândalos, principalmente políticos. Noel Rosa e Gonzaguinha foram, cada um a seu tempo e de sua maneira, tradutores em música da alma do povo, de seus reclames. Por isso suas obras permanecem tão atuais”, declarou Chico Nô explicando o título de seu espetáculo.

Como convidados, o músico nascido em Imperatriz receberá o compositor Josias Sobrinho, a cantora Lena Machado e o cantor e percussionista Chico Chinês. Chico Nô completa: “Eles também homenagearão Noel e Gonzaguinha, mas em suas participações a gente deverá cantar também coisas autorais. No disco de Lena, por exemplo, que está por sair, ela gravou coisas minhas e de Josias”.

Além de Chico Nô (voz e violão), o Regional Feitiço da Ilha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão).

SERVIÇO

O quê: Onde está a honestidade? Show com Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha com participações especiais de Lena Machado, Josias Sobrinho e Chico Chinês.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, em frente à Praça Valdelino Cécio, Praia Grande).
Quando: dia 30 de outubro (sexta-feira), a partir das 19h.
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).

Sessões para o nada estreia hoje

23 outubro 2009

Sessões para o nada é um projeto musical que tem como princípio de existência a divulgação de bandas maranhenses que produzem som original. Surgiu da necessidade de escoamento das produções autorais de bandas que participam do cenário musical de São Luis. Apesar de todas as dificuldades referentes à produção do evento (equipamento de som, principalmente), o projeto tem a pretensão de ser realizado duas vezes nos meses – com um espaço de 15 dias entre um evento e o outro – que restam no ano de 2009 e ao longo de todo o ano de 2010.

As apresentações têm horários fixos para começar e terminar – das 19h às 21h30min -, sendo reservado a cada banda 40min, e tendo apresentação de quatro bandas em cada edição.

As primeiras edições estão confirmadas para acontecer no Anfiteatro Beto Bittencourt, do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, Praia Grande, nos dias 23 de outubro e 6 de novembro do corrente ano. Pelo fato de ser um lugar aberto, a entrada será franca.

A princípio a realização do projeto depende da ajuda das bandas que queiram participar. A ajuda refere-se principalmente ao equipamento de som, não se trata de dinheiro, mas de equipamentos exclusivamente. Por exemplo: se uma banda tiver, pode ajudar, levando um cubo de baixo ou guitarra ou cabos ou pratos etc., visto as dificuldades financeiras em realizar um evento a cada 15 dias todo o mês.

A organização deixa claro que o único requisito para as bandas que queiram participar do projeto musical Sessões para o nada é a apresentação, em todos os eventos, de um repertório onde, pelo menos, metade das músicas sejam composições próprias.

Projeto estreia hoje, daqui a pouco, corre!

Projeto estreia hoje, daqui a pouco, corre!

A Madre Deus invade a Praia Grande

21 outubro 2009

Um dos grandes intérpretes de samba no Maranhão, Adão Camilo é o convidado da 99ª. edição do Clube do Choro Recebe, sábado (24).

Madredivino de coração, Adão Camilo é samba no choro, sábado

Madredivino de coração, Adão Camilo é samba no choro, sábado

Já reconhecido como um dos grandes intérpretes de samba no Maranhão, Adão Camilo (foto) é o convidado da 99ª. edição do Clube do Choro Recebe, a terceira do projeto em seu novo palco: a Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria, na Rua do Giz, Praia Grande.

Adão Camilo, um dos cantores da Turma do Quinto – tradicional escola de samba do bairro mais boêmio da capital, a Madre Deus, encravada na região central da ilha –, mostrará toda a sua ginga e versatilidade sábado, 24, a partir das 19h30min.

Em 2008, há quase um ano, Adão Camilo prestou, no palco do Clube do Choro Recebe, referência a dois grandes mestres do samba: o maranhense Cristóvão Alô Brasil e o carioca Cartola, seu conterrâneo: o convidado de sábado é carioca de nascimento e maranhense de adoção e paixão, hoje habitante da apaixonante Madre Deus. Os sambistas do Quinto e da Mangueira estão no repertório de sábado.

Como grupo anfitrião, Adão Camilo terá os bambas dOs Cinco Companheiros, sob a batuta de mestre Osmar do Trombone. O grupo se completa com Osmarzinho (saxofone), João Soeiro (violão), Rafael Guterres (cavaquinho) e Wanderson (percussão).

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 99ª. edição.
Quem: o grupo Os Cinco Companheiros recebe o cantor Adão Camilo.
Quando: dia 24 de outubro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

O clube do novo

13 outubro 2009

Novo endereço garante charme extra ao Clube do Choro Recebe. Sábado (17), o projeto apresenta a cantora Tássia Campos, pela primeira vez em seu palco.

O espaço é menor, garantindo mais aconchego. A arquitetura colonial de um dos prédios que formam o conjunto do patrimônio histórico da capital maranhense, garantindo-lhe o título de patrimônio cultural da humanidade, por seu centro histórico, dão, desde sábado passado, ao Clube do Choro Recebe, um charme extra.

Estamos falando da Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria, localizada na Rua do Giz, Praia Grande. “A casa já tinha fama de aconchegante, a pousada está entre as melhores da Ilha, e a pizzaria dispõe de um cardápio variadíssimo, de qualidade, cada pizza mais gostosa que a outra”, atestou Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe.

Na estreia do projeto em novo endereço [sábado passado, 10/10], o Regional Tira-Teima fez a base instrumental, servindo de grupo anfitrião. Como convidado, o clarinetista e saxofonista Fernando Machado, radicado em Brasília, professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabelo. Pelo palco passaram ainda os percussionistas Lazico, Arlindo Carvalho, a cantora Lena Machado, o cantor Zé Carlos (percussionista do Tira-Teima) e o compositor Joãozinho Ribeiro, ex-secretário de estado da cultura, atualmente coordenador executivo da II Conferência Nacional de Cultura, pelo Ministério da Cultura.

O pop no choro e vice-versa

Tássia Campos: o pop no choro e vice-versa

A cantora Tássia Campos (foto) é a convidada da 98ª. edição do Clube do Choro Recebe, a segunda do projeto no novo palco, quando será recebida pelos bambas do Regional Um a Zero. A apresentação acontece sábado (17), às 19h30min. Natural de São Luís, com 23 anos de idade e raras apresentações em diversos bares da Ilha desde os 16, ela é casada com o músico João Paulo (contrabaixista da banda Legenda) e está às voltas com a gravação de seu primeiro disco, de repertório completamente inédito – a previsão de lançamento é o início de 2010. Suas influências vão dos mestres tropicalistas a Sidney Magal, passando por Novos Baianos e novos nomes da cena brasileira, como Otto, Céu e Zeca Baleiro, entre muitos outros.

Ao lado da amiga Elen Mateus – que fará uma participação especial, sábado –, Tássia também está envolvida em um projeto bastante ousado: prestar, em São Luís, tributos a Itamar Assumpção (1949-2003) e Sérgio Sampaio (1947-1994), ditos malditos, dois dos mais geniais compositores que o Brasil já teve.

Para sábado, em sua primeira apresentação no Clube do Choro Recebe, Tássia Campos preparou um repertório de primeira – onde deixa claras suas influências: Tom Jobim, Moreno Veloso, Ismael Silva, Cartola, Ivan Lins e, entre outros, Itamar Assumpção.

O Regional Um a Zero, que a acompanhará, é formado por Henrique Jr. (violão), João Neto (flauta), Léo Caroço (pandeiro) e Roquinho (bandolim e cavaquinho).

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 98ª. edição.
Quem: o Regional Um a Zero recebe a cantora Tássia Campos.
Quando: dia 17 de outubro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.