Posts Tagged ‘pixinguinha’

Toca da Empada: a grife do choro

30 junho 2011

Saraus do happy hour de sexta-feira já integram o calendário musicultural de São Luís

Já completou dois meses a série Na Toca do Choro, cujas apresentações acontecem sempre às sextas-feiras, na Toca da Empada do Renascença (Edifício Executive Center, Rua Queops, ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumetos Musicais). O Regional Azeite Brasil, cuja formação recentemente mudou, tem dado conta do recado.

Juca do Cavaco, João Neto (flauta), Domingos Santos (violão sete cordas) e Sabujá (percussão) animam a plateia presente passeando por choro, bossa, samba e o que há de melhor na música instrumental brasileira – às vezes, os integrantes chegam até a arriscar um ou outro trecho cantado, para o deleite dos que prestigiam a iniciativa. Show à parte são também as didáticas intervenções de mestre Juca: professor da Escola de Música do Maranhão, ele conhece muito da história de diversas músicas que o grupo toca, em geral engraçadas, além de passagens hilárias das biografias de seus compositores e/ou executantes.

“A formação original do Azeite Brasil mudou, mas a proposta permanece a mesma. A Toca da Empada nos acolheu com muito carinho, criou o ambiente propício para esta animada roda de choro, gênero musical que tem recebido cada vez mais atenção do público, sobretudo do público jovem, o que nos deixa bastante contentes”, afirma o músico João Neto, único remanescente da formação original do Azeite Brasil.

Pixinguinha – A formação que hoje esbanja talento chegou a ser anunciada como Instrumental Pixinguinha. Explica-se: três de seus integrantes são do único regional maranhense de choro a ter um disco gravado – João Neto substitui o professor Zezé da Flauta, responsável por parte de sua formação musical. O aluno, hoje também já considerado um mestre do instrumento, conta: “O Instrumental Pixinguinha continua existindo, mas aqui é outro grupo. Raimundo Luiz [atual diretor da Escola de Música], um personagem importante dessa história, por exemplo, atualmente não está assumindo compromissos para além do grande compromisso que tem de tocar a EMEM. Por isso mudamos a formação mas mantivemos a grife Azeite Brasil”.

Azeite Brasil – Nome que tem tudo a ver com a proposta da casa, caindo-lhe bem mesmo como tempero. Se a boa música e a cerveja gelada são temperos dos dedos de prosa “gastos” pela plateia, o Regional é quem ajusta toda essa engrenagem. “Damos o melhor da gente como músicos paara que a plateia esteja confortável num ambiente agradável, pra que sintam vontade de voltar”, continua João Neto.

“A Toca da Empada se configura como um novo e importante palco para o choro em São Luís, o que por si só já seria louvável. Mas consegue juntar num mesmo espaço um bom atendimento, um cardápio delicioso e sobretudo boa música”, afirma Ricarte Almeida Santos, tido como embaixador do choro no meio musical da capital maranhense, habitué dos saraus da Toca da Empada.

Julho – Se a série Na Toca do Choro não foi interrompida no período junino, ela continuará nas férias. Sexta-feira, 1º. de julho, seu happy hour tem endereço certo: a Toca da Empada do Renascença, com o Regional Azeite Brasil. O sarau começa às 19h. O couvert artístico individual custa apenas R$ 10,00.

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Regional Azeite Brasil: Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas), Sabujá (percussão) e João Neto (flauta).
Quando: sexta-feira (1º. de julho), às 19h.
Onde: Toca da Empada (Edifício Executive Center, Rua Queóps, Renascença. Ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 10,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com
Redação: Zema Ribeiro.

Pixinguinha Na Toca do Choro

16 junho 2011

Choro em pleno São João na Toca da Empada

Duas novidades vão deixar você com ainda mais vontade de prestigiar o sarau Na Toca do Choro, na Toca da Empada do Renascença (Edifício Executive Center, Rua Queóps, ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).

O Instrumental Pixinguinha assume o palco, diante de compromissos juninos dos integrantes do Azeite Brasil, por assim dizer os titulares da casa. Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas), Sabujá (percussão) e João Neto (flauta), o ubíquo remanescente do outro grupo, não deixarão a peteca cair: música brasileira instrumental e cantada – Na glória! – com “historietas hilariantes” contadas por mestre Juca para animar as noites de sexta de junho, regadas a comida gostosa e cerveja gelada.

E por falar em cerveja gelada, eis a segunda novidade que a Toca da Empada tem o prazer de lhes apresentar: promoção da casa, Devassa 600 ml por apenas R$ 6,00. É ou não é uma boa pedida, juntar boa música, comida gostosa, bebida idem e(m) ambiente agradável? Sexta-feira o seu happy hour tem endereço certo: Na Toca do Choro na Toca da Empada! O couvert artístico individual custa apenas R$ 10,00.

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Instrumental Pixinguinha: Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas), Sabujá (percussão) e João Neto (flauta).
Quando: sexta-feira (17), às 19h.
Onde: Toca da Empada (Edifício Executive Center, Rua Queóps, Renascença. Ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 10,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com
Redação:
Zema Ribeiro

Te entoca na toca!

2 junho 2011

Na Toca do Choro na Toca da Empada. O melhor happy hour de São Luís.

Recorro à memória afetiva, sentimental, dos programas de rádio ouvidos na infância, para lembrar um slogan, jargão, ou algo que o valha, dito por um locutor de programa de reggae. Atualizando-o e trazendo a coisa do ritmo jamaicano ao mais brasileiro dos gêneros musicais, em verdade vos digo: te entoca na toca! Do choro!

Se a toca de que falava – ainda fala? – aquele locutor ainda estiver na ativa, perdoem-me a apropriação indébita. Mas em um mundo onde nada se cria e tudo se transforma – ou se copia? –, permitam-me, aqui, meu control c control v.

A Toca da Empada (Edifício Executive Center, Rua Queóps, Renascença, ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais) é o novo palco do choro na capital maranhense, uma das cidades brasileiras onde o choro tem ganhado mais vigor ao longo dos últimos anos.

O Regional Azeite Brasil, com o talento e o virtuosismo de seus integrantes, tem, a cada sexta-feira, temperado bem o ambiente perfeito para amigos, amigas, casais, pais e filhos, meninos, meninas, bambinos, bambinas, brasileirinhos e brasileirões, enfim, todos e todas que apreciam o gênero imortalizado por nomes como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo e Ernesto Nazareth.

Compositores e instrumentistas de primeira linha sempre lembrados pelo violão sete cordas de João Eudes, pela flauta de João Neto, pelo pandeiro e outros badulaques percussivos de Wanderson e pelo bandolim e cavaquinho de Wendell Cosme.

Tempere você também a noite de sua sexta-feira: relembrando o locutor das antigas: te entoca Na Toca do Choro, te entoca na Toca da Empada!

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Regional Azeite Brasil: João Eudes (violão sete cordas), João Neto (flauta), Wanderson (percussão) e Wendell Cosme (bandolim e cavaquinho).
Quando: sexta-feira (3), às 19h.
Onde: Toca da Empada (Edifício Executive Center, Rua Queóps, Renascença. Ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 10,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com
Redação: Zema Ribeiro

Choro volta a ter endereço em São Luís

3 maio 2011

Toca da Empada oferecerá ao público série Na Toca do Choro, às sextas-feiras.

Apreciadores de choro em São Luís têm o que comemorar: a Toca da Empada é o novo palco da boa música instrumental na capital maranhense. Na Toca do Choro, série de apresentações que será oferecida pela casa, tem estreia na próxima sexta-feira, 6 de maio, às 19h.

Formado pelos músicos João Eudes (violão sete cordas), João Neto (flauta), Wanderson (percussão) e Wendell Cosme (cavaquinho), o Regional Azeitona Brasileira será o primeiro grupo a esbanjar talento e versatilidade no novo palco.

“Onde se toca empada também se come choro”. O slogan pensado por Ricarte Almeida Santos, cuja alcunha no meio chorão da Ilha é “embaixador”, anuncia apenas parte do que prometem as noites de sexta-feira já a partir da próxima: boa música, ambiente aconchegante, cerveja gelada, as deliciosas e já conhecidas empadas da Toca, e um variado cardápio de petiscos, comidinha de boteco, frios e embutidos.

O bom e velho Pixinga será lembrado na estreia da "Na Toca do Choro". Foto: Google Images

No repertório da noite, destaque para clássicos da música instrumental, para chorão nenhum botar defeito. Peças de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, João Pernambuco e Joaquim Calado, entre outros, darão o tom da noite.

O couvert artístico individual é de apenas R$ 5,00. A Toca da Empada fica no Edifício Executive Center (Rua Queóps, Renascença, ao lado da Locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Regional Azeitona Brasileira: João Eudes (violão sete cordas), João Neto (flauta), Wanderson (percussão) e Wendell Cosme (cavaquinho).
Quando: sexta-feira, 6 de maio.
Onde: Toca da Empada: Edifício Executive Center (Rua Queóps, Renascença, ao lado da Locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: (98) 8888-3722, clubedochorodomaranhao@gmail.com

A música de Chico Nô na beleza do lugar

25 novembro 2010

Músico é atração de sexta-feira no Café Recanto Verde

Os centenários Noel Rosa e Adoniran Barbosa, ao lado de outros mestres, saudosos bambas, como Pixinguinha e Seu Antonio Vieira serão lembrados pelo cantor e compositor Chico Nô nesta sexta-feira (26). Samba, choro, bossa, baião, bumba-meu-boi e o melhor da música popular brasileira se farão presentes ao repertório do maranhense de Imperatriz.

Homem à frente de formações musicais como o Xaxados e Perdidos e o Feitiço da Ilha, Chico Nô estará acompanhado de seu violão. Ele sobe ao palco do Café Recanto Verde (Av. General Arthur Carvalho, 100, Miritiua/Turu) às 21h. Até a meia-noite é a atração principal do lugar. Antes e depois de seu show, a grande e bem cuidada área verde do lugar volta a roubar a cena.

O couvert artístico custa apenas R$ 5,00. O Café Recanto Verde dispõe de estacionamento próprio.

Capiba e Spirro: Clube do Choro Recebe os Léos

14 maio 2010

Duas das mais belas vozes do Maranhão se apresentam na 116ª. edição do projeto, na Associação do Pessoal da Caixa, no Calhau.

O encontro de duas das mais belas vozes da música do Maranhão em qualquer tempo. É isto o que promete a 116ª. edição do projeto Clube do Choro Recebe, que acontece neste sábado, 15, às 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).

Léo Capiba e Léo Spirro passearão por clássicos do samba e do choro, em inspirados duetos, com o luxuoso acompanhamento do Regional Tira-Teima, formado por Paulo Trabulsi (cavaquinho), Francisco Solano (violão sete cordas), Serra de Almeida (flauta) e Zé Carlos (percussão), a mais antiga formação instrumental do Maranhão em atividade.

No repertório da noite, nomes como Tom Jobim, Pixinguinha, Chico Buarque, João Nogueira e Jackson do Pandeiro, entre muitos outros. “Este encontro já aconteceu no projeto e seu retorno ao palco do Clube do Choro Recebe atende a muitos pedidos”, explica Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador da iniciativa.

Curiosidades – Spirro foi o primeiro convidado do projeto Clube do Choro Recebe, que iniciou as atividades em setembro de 2007. Teve como anfitrião, na ocasião, o Regional Tira-Teima. Léo Capiba, cearense de nascimento há muito radicado no Maranhão, também já esteve no palco do projeto, prestando tributo a João Nogueira, cantor e compositor que muito admira, e em outras oportunidades.

Juntos no palco, Léo Capiba e Léo Spirro sempre proporcionam ao público uma apresentação descontraída, vibrante, com um repertório alto astral, de gosto apurado. Ponto alto do espetáculo é a interpretação bem-humorada da dupla para o clássico Tereza da Praia, parceria de Billy Blanco e Tom Jobim.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 116ª. edição.
Quem: o Regional Tira-Teima recebe os cantores Léo Capiba e Léo Spirro.
Quando: dia 15 de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Um belo passeio musical

27 abril 2010

Recebido pelo Instrumental Pixinguinha, Chico Saldanha passeará pelo repertório de seus três discos e lembrará compositores que admira.

Feitos os ajustes que impediram a realização do já tradicional sarau do Clube do Choro Recebe logo no sábado subsequente ao Dia Nacional do Choro, quando se comemora o aniversário de Pixinguinha (1897-1973), o projeto volta ao palco da Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau, neste sábado, 1º. de maio, a partir das 19h30min.

A ilha, no entanto, não ficou órfã de saraus de qualidade para lembrar a efeméride. E a celebração ao mestre maior do mais brasileiro dos gêneros musicais não parou por ali. Batizado pelo gênio, o Instrumental Pixinguinha é o grupo que dará as cartas na noite festiva. Não faltarão clássicos de Alfredo da Rocha Viana Filho – nome de batismo do saudoso Pixinga – e de outros bambas, como Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim e muito mais.

Chico Saldanha mostrará todo seu talento no Clube do Choro Recebe

O Instrumental Pixinguinha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Lazico (percussão) e Raimundo Luiz (bandolim). O grupo terá como convidado o compositor Chico Saldanha (foto), um dos grandes nomes da nossa nada pequena constelação de craques da boa música.

Com repertório em sua maioria autoral, Saldanha passeará por seus três discos: Chico Saldanha (1988), Celebração (1998) e Emaranhado (2007). Sambas, choros, boleros, baladas e toadas compõem a paisagem musical do maranhense nascido em Rosário. Não faltarão temas como Itamirim (sua música mais conhecida), Linha puída (a mais gravada), Babalu (a mais executada em rádios, desde o lançamento do disco mais recente), além de composições alheias que Saldanha gosta de lembrar no palco, a exemplo de Araçagy (Cristóvão Alô Brasil) e Polícia bandido cachorro dentista (Sérgio Sampaio).

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 114ª. edição.
Quem: o grupo Instrumental Pixinguinha recebe o compositor Chico Saldanha.
Quando: dia 1º. de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Quatro vezes música (Ou: Um quarteto fantástico)

22 março 2010

Victor Castro Trio receberá Rui Mário em encontro que promete entrar para a história do choro do Maranhão.

Talento, técnica e improviso: Victor Castro Trio fará releituras de músicas brasileiras

Altas doses de virtuosismo darão a tônica do quarto sarau do Clube do Choro Recebe em 2010. O Victor Castro Trio (foto) recebe o acordeonista Rui Mário. O grupo é formado pelo português Victor Castro (violão, guitarra, guitarra portuguesa), Mauro Sérgio (contrabaixo) e Isaías Alves (bateria).

O domínio da técnica destes quatro músicos, cada um, destaque no cenário maranhense em seu instrumento, e o improviso correrão solto, mostrando ao público presente seus talentos individuais e coletivo.

Escola de Música – Os quatro virtuoses têm em comum a Escola de Música do Maranhão Lilah Lisboa: todos passaram por lá; Victor Castro e Mauro Sérgio são professores da EMEM.

Natural de Portugal, radicado no Brasil, Victor Castro já ficou por duas vezes com o segundo lugar no Festival Internacional de Interpretação Violonística. Tem formação erudita, mas já conta com grande vivência na área da música popular instrumental brasileira. Isaías Alves já foi premiado em diversos festivais internacionais de bateria e Mauro Sérgio foi músico destaque do São Luís Cover Baixo, festival que reuniu diversos contrabaixistas brasileiros e estrangeiros na capital maranhense.

“A ideia do Victor Castro Trio é difundir a música popular brasileira, fazendo releituras e arranjos inéditos e característicos do grupo, sobre temas de um vasto repertório que inclui Tom Jobim, Chico Buarque, Guinga, Ary Barroso, Garoto, Pixinguinha, Ernesto Nazaré, entre outros grandes ícones da música”, anuncia o português.

Rui Mário é o acordeonista predileto de dez em cada dez artistas maranhenses

Rui Mário – Acordeonista e tecladista, Rui Mário (foto) traz a música no sangue: é filho de Seu Raimundinho, sanfoneiro conhecido de longa data por quem aprecia forró de qualidade, o chamado pé de serra. Versátil, passeia com desenvoltura por estilos diversos, como choro, forró, tango e a música popular.

Unanimidade, o garoto prodígio do acordeom maranhense já tocou, em discos e shows de artistas como Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Gildomar Marinho e Lena Machado, entre outros. Se Dominguinhos encantou ao saudoso Luiz Gonzaga, Rui Mário despertou a atenção do afilhado do rei do baião em encontro recente que os dois tiveram, história que certamente será contada por Ricarte Almeida Santos, radialista, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe.

Ele antecipa: “A apresentação promete entrar para a história do choro do Maranhão, espero que não pela raridade, mas por ser o primeiro encontro, num palco, destes quatro músicos fenomenais. Vai virar uma daquelas histórias que quando a gente conta, quem perdeu só pode se perguntar: ‘onde é que eu estava?’, provoca.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 110ª. edição – 4ª. em 2010.
Quem: o grupo Victor Castro Trio recebe o acordeonista Rui Mário.
Quando: dia 27 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria.

Discotecassamba

10 março 2010

Palco dos projetos Mixando o Mundo, do DJ Pedro Sobrinho, e Chorinho no Cantinho, com o Regional Feitiço da Ilha, Cantinho da Estrela é opção certa para quem gosta de boa música.

Projeto realizado desde o ano passado, o Chorinho no Cantinho, capitaneado por Chico Nô (voz, violão, percussão) e pelos bambas do Regional Feitiço da Ilha – além dele, Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – já é referência na vida boêmia de São Luís, sobretudo no bairro da Praia Grande, onde está instalado o Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Todas as sextas, a partir das 19h, o Regional Feitiço da Ilha tem executado repertório de samba e choro e prestado tributos a grandes nomes destes gêneros brasileiríssimos: Roberto Ribeiro, João Nogueira, Chico Buarque e Pixinguinha, entre outros, já receberam homenagens. O grupo conta ainda com o auxílio luxuoso de diversos convidados: entre outros, já passaram pelo palco do projeto nomes como Josias Sobrinho, Lena Machado, Nivaldo do Cavaco, Cacá do Banjo, Léo Capiba, Chico Chinês e Neto Peperi. O couvert artístico individual custa apenas R$ 7,00.

Quinta – A novidade que o Cantinho da Estrela traz neste mês de março é o projeto Mixando o Mundo, que terá as pick-ups pilotadas pelo DJ Pedro Sobrinho. A primeira edição aconteceu dia 4 (quinta-feira passada) e as festas acontecerão todas as quintas de março.

Para o dia 11, a promessa é muito drum’n bass, world music, latina, eletrônica, samba, dub e acid jazz. Pedro Sobrinho discotecará ainda dias 18 e 25 de março, sempre a partir das 20h. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Maiores informações: (98) 8724 2940.

Pixinguinha, Mestre Vieira e o Feitiço da Ilha

11 novembro 2009

Grupo liderado por Chico Nô homenageará os mestres.

Pixinguinha e Mestre Antonio Vieira receberão homenagens do cantor e compositor Chico Nô e do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, 13, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Chico Nô celebrará Pixinguinha e Mestre Vieira, sexta

Alfredo da Rocha Viana, o Pixinguinha, terá músicas tocadas tanto na parte instrumental da noite, quanto na parte cantada. “Pixinguinha é um dos maiores mestres do choro e da música brasileira como um todo. Tem muitas peças instrumentais bastante conhecidas e populares, mas também muitos compositores puseram letras em suas belíssimas melodias”, adiantou Chico Nô (foto), citando, entre outras, Lamentos, Rosa, Carinhoso e Iaô, entre outras que estarão no repertório de sexta-feira.

Formado pelo próprio Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão), o Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o cantor Neto Pepperi, um dos grandes sambistas maranhenses, formado na escola da noite, sempre prestigiando grandes mestres, como o homenageado Antonio Vieira, falecido em abril aos 88 anos, Cesar Teixeira e Josias Sobrinho, entre outros.

Já tendo feito homenagens a Noel Rosa e Cartola, as noites de sexta-feira no Cantinho da Estrela já se tornaram o novo point da Praia Grande para os apreciadores de boa música. Eis uma boa pedida. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – Também integrado por Chico Nô, o grupo Conversa de Botequim realiza, aos sábados, a partir de meio-dia, uma roda de samba regada a feijoada. No mesmo endereço. Neste sábado, 14, o grupo ocupará a praça Valdelino Cécio, em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. “Com o fechamento da Padaria do Francês, esse importante cartão postal, que tem o nome de um importante poeta, está abandonada, escura, maltratada. Nosso samba-ocupação é uma tentativa de reanimá-la e para isso a gente conta com a presença dos amigos e dos apreciadores de boa música”, explicou Chico Nô, fazendo um chamamento ao público.

SERVIÇO SEXTA 13

O quê: Homenagem a Pixinguinha e Mestre Vieira.
Quem: o cantor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 13 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

SERVIÇO SÁBADO 14

O quê: Roda de Samba com Feijoada.
Quem: o cantor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), ao meio-dia.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

Chico Nô e Urubu Malandro são as atrações do Clube do Choro Recebe

4 novembro 2009

Clássicos do choro nacional e de grandes mestres do Maranhão serão lembrados sábado (7).

A 101ª. edição do projeto Clube do Choro Recebe leva ao palco da Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande), a ginga dos bambas do Regional Urubu Malandro, que outrora tinha entre seus integrantes o saudoso mestre Antonio Vieira: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. A apresentação acontece neste sábado, 7, a partir das 19h30min.

Chico Nô

Clube do Choro Recebe integra agenda intensa do músico

O grupo batizado por um clássico do choro – Urubu Malandro, de Pixinguinha, Loro e João de Barro – reviverá outros. Na ocasião, terão como convidado o cantor, compositor e violonista Chico Nô (foto), maranhense de Imperatriz, há muito radicado na Ilha capital. Entre obras de nomes como Pixinguinha – Rosa, Lamentos –, Tom Jobim e Chico Buarque, o artista reserva repertório de nomes maranhenses para sua apresentação. Antecipa temas como Saiba, rapaz (Joãozinho Ribeiro), Terra de Noel (Josias Sobrinho), além de Chorinho de Herança, parceria sua com Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe, música que já havia sido lançada como single e foi novamente gravada por Lena Machado – a mesma cantora que a lançou – em seu segundo disco, Samba de Minha Aldeia, a sair ainda em 2009.

Agenda intensa – O cenário musical, gastronômico e boêmio da Praia Grande, aos poucos, está mudando de endereço: deixou o antigo Largo do Comércio (Rua da Estrela) e ocupa agora, principalmente, a Rua do Giz. Chico Nô é bamba que lidera rodas de samba e choro no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 129, Praia Grande), ao lado dos regionais Feitiço da Ilha e Conversa de Botequim, ambos integrados por ele. Apresenta-se naquele palco todas as sextas (a partir das 19h30min) e sábados (a partir das 13h30min).

Músico autodidata, afirma: “Meu maior prazer é tocar e cantar. Então o público não deve esperar cansaço, apesar da agenda intensa. O Urubu Malandro tem integrantes comuns aos regionais com que tenho me apresentado com mais frequência, o que já garante entrosamento, além de ginga. Todos nós temos muito prazer em tocar, é uma diversão, uma festa”, promete e garante Chico Nô.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 101ª. edição.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe o cantor, compositor e violonista Chico Nô.
Quando: dia 7 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

Nosly e Quarteto Retratos na mudança do Clube do Choro

23 setembro 2009

Nova formação instrumental acompanhará o cantor Nosly na última edição do Clube do Choro Recebe no Restaurante Chico Canhoto; projeto mudará de endereço em outubro.

Entre os anos de 1956 e 1958 o maestro Radamés Gnatalli escreveu a Suíte Retratos, em que homenageava quatro mestres da música instrumental brasileira: Pixinguinha, Ernesto Nazareth, Anacleto de Medeiros e Chiquinha Gonzaga. A suíte tem quatro movimentos, cada um homenageando um destes grandes nomes.

Nosly tocará pela primeira vez no Clube do Choro Recebe

Nosly tocará pela primeira vez no Clube do Choro Recebe

Em homenagem a esta importante peça – cujas versões mais conhecidas são as gravações do próprio Radamés com Jacob do Bandolim, em 1964, e a da Camerata Carioca, à época com João Pedro Borges ao violão, em 1979 – foi batizado o Quarteto Retratos, recentemente formado por Paulo Trabulsi (cavaquinho), João Neto (flauta), Luiz Cláudio (percussão) e João Eudes (violão sete cordas) para acompanhar o cantor e compositor Nosly (foto). O músico está em São Luís após passagem pela Alemanha, onde realizou parte de seu novo disco, Nave dos sonhos.

Nosly é violonista, cantor e compositor e tem parcerias com diversos nomes da música brasileira, entre os quais merecem destaque Celso Borges, Chico Anísio, Chico César, Fausto Nilo, Gerude, João Nogueira, Nonato Buzar, Sérgio Natureza e Zeca Baleiro. Nascido em 1967 em Caxias/MA, sua música é fruto de influências tão distintas como a cultura popular maranhense, a bossa nova e o Clube da Esquina, movimento mineiro de nomes como Milton Nascimento e Lô Borges, entre outros.

Exímio instrumentista, Nosly já integrou a Orquestra de Violões do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, onde morou e foi aluno de nomes como Toninho Horta, Dori Caymmi, Heraldo do Monte e Hermeto Pascoal, em workshops. Na capital mineira estudou também na Fundação Clóvis Salgado, além de ter participado de shows de Toninho Horta, Lô Borges, Flávio Venturini e Paulinho Pedra Azul.

Retratos de uma despedida – O Quarteto Retratos valoriza a diversidade da música instrumental maranhense contemporânea ao integrar em um grupo, membros de vários outros. A nova formação tocará pela primeira vez no sarau que marca a despedida do Clube do Choro Recebe, após dois anos de atividades, do Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama), por motivos de força maior.

O novo palco do projeto, a partir de 10 de outubro – não haverá sarau dia 3 – será a Pousada Portas da Amazônia/Le Pizzeria, na Rua do Giz, Praia Grande.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 96ª. edição.
Quem: o Quarteto Retratos recebe o cantor e compositor Nosly.
Quando: dia 26 de setembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 8,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e/ou clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.