Posts Tagged ‘luiz jr.’

Outros 400 encerra temporada em grande estilo

17 novembro 2011

Joãozinho Ribeiro encerra temporada anunciando novidades para o fim do ano e para 2012

Após oito apresentações, nesta sexta-feira (18), o palco do Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande) recebe a última edição da temporada 2011 de São Luís – Outros 400, show apresentado pelo compositor Joãozinho Ribeiro acompanhado do Regional 400, formado por Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete). No hall do Novo Armazém, exposição do artista plástico Marconi Lima.

Por ocasião do encerramento, Joãozinho Ribeiro terá como convidados o cantor Chico Nô e as cantoras Bruna Serra e Sheila Castro. Para quem procura diversão, a festa promete ir até tarde. “Realizamos oito apresentações às quintas-feiras, desde julho. Desta  vez mudamos para a sexta, que é um dia que pede uma esticada, após a semana cansativa de trabalho”, convida o anfitrião.

A “esticada” a que ele se refere está garantida: além das atrações já anunciadas, os grupos instrumentais SL Tubones e o Trio Bumba Jazz, formado por Luiz Jr. (violão sete cordas), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho) e Rui Mário (sanfona), além dos cantores Léo Capiba e Léo Spirro animarão um grande baile de gafieira, acompanhados do Regional Sururu no Galinheiro – o Regional 400 acrescido de um naipe de sopros e de Juca do Cavaco, empunhando o instrumento que lhe dá nome artístico.

Joãozinho Ribeiro promete para 2012 a gravação de seu primeiro disco, após tanto ter sido gravado pelos mais diversos intérpretes do Maranhão. “A ideia da temporada Outros 400 era me desenferrujar, retomar contato com o público. Agradeço ao amigo e parceiro Zeca Baleiro pela dica, foi uma experiência incrível. Ano que vem devemos voltar ao palco e no segundo semestre lançar um cd recheado de participações superespeciais”, promete.

Ainda em 2011, encerrando seu ano musical, Joãozinho Ribeiro ainda volta ao palco. Dia 10 de dezembro, aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ele divide com Chico Saldanha e Josias Sobrinho o show Rosas seculares, em que repetirão o feito de ano passado, quando, com Cesar Teixeira, homenagearam o compositor Noel Rosa por seu centenário de nascimento. Para este ano surpresas: “Homenagearemos Noel e outros compositores seculares, como Assis Valente, Cartola, Mário Lago e Nelson Cavaquinho, além de importantes nomes da música do Maranhão, que infelizmente não chegaram aos 100 anos: Antonio Vieira, Cristóvão Alô Brasil e Lopes Bogéa”, anuncia.

Serviço

O quê: encerramento da temporada São Luís – Outros 400.
Quem: O compositor Joãozinho Ribeiro, acompanhado do Regional 400, com participações especiais de Bruna Serra, Chico Nô e Sheila Castro, além dos grupos instrumentais SL Tubones e Trio Bumba Jazz. Grande Baile de Gafieira com Léo Capiba, Léo Spirro e Regional Sururu no Galinheiro. Exposição do artista plástico Marconi Lima.
Quando: dia 18 (sexta-feira), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00.

Antonio Vieira é homenageado no Clube do Choro Recebe

25 maio 2010

Falecido em abril do ano passado aos 88 anos, Vieira teria completado 90, no último 9 de maio – compositor permanece vivíssimo em sua vasta obra musical.

Mestre Vieira em uma de suas apresentações no Clube do Choro Recebe

Antonio Vieira nasceu em São Luís em 9 de maio de 1920. “Menino pobre criado por família rica”, como gostava de contar, compôs sua primeira música aos 16 anos: Mulata bonita. Viu-a e ouviu-a fazer sucesso na década de 40 do século passado: brilhou no palco da Rádio Timbira, acompanhada ao piano pelo então também jovem Sivuca, de passagem por São Luís para uma temporada no Casino Maranhense. “O mestre da sanfona, adivinhando-lhe o talento, dissera, na ocasião que Vieira iria ser um grande compositor. Cumpriu-se a profecia”, como conta outro grande compositor, Cesar Teixeira, no encarte da Antoniologia Vieira, tributo em disco produzido pelo maestro Adelino Valente há dez anos, reunindo um expressivo contingente de artistas maranhenses para reverenciar o autor de Tem quem queira – esta, não incluída naquela antologia.

O reencontro dos mestres Antonio Vieira e Sivuca nos ensaios de gravação de "O samba é bom"

É Adelino Valente quem comanda um time de primeiríssima linha que repetirá parte da Antoniologia no palco do Clube do Choro Recebe, neste sábado, 29, às 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar). Com Vieira (percussão), Valente (bandolim) fundou o Regional Tira-Teima, em fins da década de 1970, mais antigo grupamento de choro em atividade em São Luís – embora já sem a sua formação original, que incluía ainda nomes como Chico Saldanha, Ubiratan Sousa e Cesar Teixeira.

Outra das antológicas aparições de Mestre Antonio Vieira no palco do Clube do Choro Recebe

Outro grupo integrado por Adelino Valente foi o Insensatez, reeditado para este sábado com nova formação: além dele próprio (piano, direção musical), Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Rogério Leitão (bateria), Antonio Paiva (contrabaixo), Paulo Trabulsi (cavaquinho) e Luiz Jr. (violão) receberão os intérpretes Célia Maria, Chico Saldanha, Cláudio Lima, Josias Sobrinho, Léo Capiba, Léo Spirro, Luiz Mochel, Rogéryo du Maranhão, Ticiana Valente, Tutuca e Zeca do Cavaco, que irão prestar homenagem a Mestre Antonio Vieira, falecido em 7 de abril de 2009.

Não faltarão ao repertório temas como Poema para o azul, Cocada, Mocambo, Nordeste seco, Vou pro mar, Olha a nêga, Na cabecinha da Dora, O samba é bom, Ingredientes do samba, Samba de Nêgo e Mulata bonita, entre muitas outras da vasta lavra de Seu Vieira.

“São mais de 300 composições, a grande maioria ainda desconhecida do grande público”, afirma Adelino Valente, produtor desta espécie de “Antoniologia ao vivo”. Ele relembra emocionado: “Nossa amizade vem desde a década de 70, quando fundamos o Tira-Teima. Eu era bandolinista, Vieira percussionista e até então ninguém conhecia música nenhuma dele. Depois de dois ou três anos de convívio, ele começou a mostrar umas coisas e a gente ficou encantado. Eu sempre disse que um dia a gente ia fazer um disco com aquela obra. Demorou, mas saiu”.

Homenagens a Vieira continuarão, segundo Adelino Valente

Segundo Adelino, este show – que remonta parte do espetáculo realizado no Teatro Arthur Azevedo, trazendo algumas novidades – é parte de uma homenagem maior ao “velho moleque”. Entre os vários projetos há o de se fazer um Volume 2 da Antoniologia e um cd instrumental só com composições do autor de Banho cheiroso.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 118ª. edição.
Quem: o grupo Insensatez recebe vários cantores e cantoras em homenagem a Mestre Antonio Vieira.
Quando: dia 29 de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Célia Maria e Grand Trio: talento de sobra

14 abril 2010

Cantora maranhense, de volta ao estado natal, será recebida pelo Grand Trio, mais nova formação instrumental do cenário maranhense.

Célia Maria de volta ao palco do Clube do Choro Recebe

Maranhense de reconhecido talento, embora infelizmente ainda pouco conhecida do grande público em sua terra natal, Célia Maria (foto) é a convidada da 113ª. edição do Clube do Choro Recebe, que acontece neste sábado, 17, a partir das 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF). Ela será acompanhada pelo Grand Trio, nova formação instrumental surgida na capital maranhense.

Com apenas um disco gravado, em Célia Maria sobra talento. Vencedora de diversos concursos – recentemente o Talentos da Maturidade, promovido por um banco brasileiro, e, à época de Célia Maria, o disco homônimo, de 2001, o Prêmio Universidade FM – a diva negra tem encantado plateias por onde passa: já morou várias vezes no Rio de Janeiro – de onde retornou recentemente, para novamente fixar residência em São Luís – onde conheceu Cartola, Zé Kéti e outros astros do samba brasileiro, notadamente os que frequentavam o bar e restaurante Zicartola, outrora espécie de templo sagrado do gênero.

Seu disco, aliás, não se prende ao samba. Nele estão registradas obras dos maranhenses Antonio Vieira (Ingredientes do samba), Cesar Teixeira (Lápis de cor), Joãozinho Ribeiro (Milhões de uns), Bibi Silva (Lágrimas) e João do Vale (Na asa do vento), entre outros. Esgotado, o disco nunca teve um show de lançamento oficial.

Nova formação – Egressos do Choro Pungado formam o Grand Trio: Luiz Jr. (violão sete cordas), Luiz Cláudio (percussão) e Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho), músicos de reconhecido talento e merecido destaque na cena instrumental maranhense contemporânea.

Robertinho Chinês regressou recentemente de Brasília/DF, cidade que tem um dos mais ativos clubes do choro do país, que esteve visitando e aprimorando sua técnica sobre os instrumentos que tão bem já toca, tão jovem.

Luiz Cláudio e Luiz Jr., sempre às voltas com experimentações sonoras, têm como investida anterior ao Grand Trio, o Duo Sound, em que seus violões e percussões se encontravam para tocar os sons do mundo, passando necessariamente pelos tão brasileiros samba e choro.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 113ª. edição – sétima em 2010.
Quem: o grupo Grand Trio recebe a cantora Célia Maria.
Quando: dia 17 de abril (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Milla Camões substitui Patativa no Clube do Choro Recebe

12 março 2010

Radicada no Maranhão, a cantora carioca Milla Camões substitui a compositora Patativa, sábado, no Clube do Choro Recebe. Patativa está acometida de forte gripe.

Acometida por uma forte gripe, a compositora Patativa foi obrigada a adiar sua apresentação no Clube do Choro Recebe, agendada para amanhã, 13.

Com o Urubu Malandro, Milla Camões mostrará toda sua versatilidade, afinação e talento

Quem sobe ao palco, acompanhada pelo grupo Urubu Malandro, é a cantora carioca Milla Camões.

Versátil, passeando entre choro, samba, bossa e jazz, entre outros gêneros, equilibrando-se entre o tradicional, o moderno e o regional, ela promete uma apresentação vibrante e divertida, características do regional que a acompanhará.

Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone desfilarão um repertório de clássicos do choro e prometem momentos dançantes.

Festivais e prêmios – Cantora talentosa e afinada, Milla Camões está gravando seu disco de estreia, que tem direção musical do violonista Celson Mendes. Em janeiro passado, ao lado do cantor Adão Camilo, ela venceu, com a música Mascarados namorados (Henrique e Marco Duailibe), o 9º. Festival Maranhense de Música Carnavalesca, promovido pelo Sistema Mirante. Com Os pais do sertão (Carlinhos Carvalho) venceu o Festival de Música de Pinheiro (FESMAP), em 2006.

Por dois anos consecutivos, em 2006 e 2007, Milla Camões venceu o Prêmio Universidade FM na categoria Talento da Noite. Em 2007 realizou turnê pelos Açores (Ilha Terceira, Portugal), com Fernando de Carvalho e os violonistas Luiz Jr. e Victor Castro.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 108ª. edição – 2ª. em 2010.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a cantora Milla Camões.
Quando: dia 13 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria.

Urubu Malandro e o ar da graça de Patativa

9 março 2010

Presença alegre de Patativa levará, com o Urubu Malandro, choro, samba e bom humor ao Clube do Choro Recebe.

A primeira edição do Clube do Choro Recebe em 2010, acontecida sábado passado (6), mostrou que o projeto já está consolidado na vida boêmio-cultural da capital maranhense. Com diversas outras atrações espalhadas pela cidade, o público, fiel, lotou o espaço da Associação do Pessoal da Caixa (Calhau), que volta a ser o palco do Clube do Choro do Maranhão. O cantor e compositor Carlinhos Veloz brindou os presentes com um belíssimo show, com o repertório variando entre temas de samba e choro, além de canções de sua autoria. Entre as canjas, destaques para Osmar do Trombone, Léo Capiba, Luiz Cláudio e Luiz Jr. (Duo Sound), Augusto Pellegrini, João Neto e Isaac Barros.

“Esse retorno superou todas as expectativas. Ainda temos que trabalhar em alguns ajustes, para receber ainda melhor o público, que esperamos manter, em número e qualidade”, afirma Ricarte Almeida Santos, radialista, produtor e apresentador do projeto.

Carnaval, samba, alegria e irreverência são sinônimos de Patativa

Para a segunda edição do projeto em 2010 – já são 108 no total – o brilho da presença da madre-divina dama Patativa, compositora que aos mais de 70 anos, começa a ter o merecido reconhecimento do público. Ainda que lentamente. Recentemente, ela teve sua Colher de chá gravada por Lena Machado em Samba de Minha Aldeia, seu segundo disco, recém-lançado. Colher de chá é certamente seu segundo samba mais conhecido, cantado por quantos frequentem rodas de choro e samba pela Madre Deus e arredores ou no palco do Clube do Choro Recebe. A peça mais famosa da lavra de Patativa tem título impublicável, mas a plateia certamente irá ouvi-la nesta segunda apresentação que a compositora faz no projeto – a primeira foi em sua 62ª. edição, em dezembro de 2008.

Reverenciada por nomes como Cesar Teixeira, Rita Ribeiro – que em dueto cantaram Colher de chá em concorridas apresentações no projeto Brasil de Todos os Sambas, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, em 2004 – e Jorge Aragão – que no disco de estreia de Serrinha e Cia. cantava “Patativa vem sambar, oh, na palma da mão”, no samba Uns e Alguns, de que participa – Patativa será acompanhada pelo grupo Urubu Malandro, que segura a peteca de sua jocosidade.

Também é divertidíssima essa turma que acompanhará Patativa em seus sambas e marchas, em grande parte com letras engraçadíssimas onde não falta duplo sentido, com inteligência: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. São os mesmos chorões que já acompanharam a compositora em sua primeira aparição no palco do Clube do Choro Recebe.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 108ª. edição – 2ª. em 2010.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a compositora Patativa.
Quando: dia 13 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: Solar Consultoria.

Lena Machado autografa “Samba de Minha Aldeia”

12 janeiro 2010

Cantora realiza sessão de audição e noite de autógrafos de seu segundo disco no Bar do Léo.

Adiado por motivos de força maior, finalmente chegou à São Luís o segundo disco de Lena Machado, Samba de Minha Aldeia, todo gravado aqui e mixado/masterizado em Fortaleza/CE. Doze faixas dão uma panorâmica na produção contemporânea do Maranhão, com especial atenção ao samba e ao choro, mas sem deixar de fora blues, baião e xote.

Samba de Minha Aldeia. Capa. Reprodução. Projeto gráfico: Waldeilson Paixão

Entre inéditas e regravações, Lena Machado captou a mensagem do velho escritor russo. Para embalar sua voz, acompanhada dos arranjos do violonista Luiz Jr., dando uma sonoridade que alia o tradicional e o moderno às canções de Josias Sobrinho, Ricarte Almeida Santos, Chico Nô, Chico Canhoto, Gildomar Marinho, Bruno Batista, Aquiles Andrade, Cesar Teixeira, Joãozinho Ribeiro e Patativa – os compositores de sua aldeia musical –, o cenário do Bar do Léo.

“O Bar do Léo não é só um bar. É um museu, um templo por que temos um carinho todo especial. E é também um importantíssimo espaço de divulgação de nossa música”, afirma, não escondendo o carinho pelo recinto de Leonildo Peixoto, que demonstra ser verdadeira a recíproca: “O disco está muito bom, tem muita qualidade…” Interrompido pelo repórter, que brinca: “E o encarte, então, hein?”. “Sou suspeito”, responde, satisfeito com o resultado e com a sessão desta quinta-feira.

Audição e autógrafos – Dia 14, às 20h, o Bar do Léo (Hortomercado do Vinhais) realizará uma sessão de audição do disco de Lena Machado, que autografará exemplares a interessados – Samba de Minha Aldeia custa apenas R$ 20,00.

Não fazemos música ao vivo – A placa numa das paredes da Academia Musical Bar do Léo não perdeu o significado: a sessão de audição/ noite de autógrafos não será um show. “A idéia é reunir amigos, ouvir o disco, bater um papo, tomar alguma coisa, tudo isso ao mesmo tempo”, anuncia Lena Machado, que se confessa nervosa: “Sempre dá um friozinho na barriga”, sua modéstia natural.

A cantora autografará Samba de Minha Aldeia em "audição pública" no Bar do Léo. Foto: Rivânio Almeida Santos

“Acima de tudo vai ser um encontro de amigos. Eu, Léo, os compositores, a compositora Patativa (autora de Colher de chá, gravada no disco com a participação especial de Zé da Velha e Silvério Pontes), diversas pessoas que acreditam em nosso trabalho e que, de uma forma ou de outra, colaboraram para a sua realização”, convida Lena Machado.

Show – “Em breve a gente vai fazer o show de lançamento, reunindo alguns músicos que tocaram no disco, dialogando com outros, identificando afinidades”, anuncia. Samba de Minha Aldeia deveria ter sido lançado ainda ano passado, mas motivos de força maior adiaram a chegada do material à São Luís.

O trabalho foi selecionado no Plano Fonográfico da Secretaria de Estado da Cultura em 2008, na categoria gravação. Samba de Minha Aldeia conta ainda com o apoio cultural da Pousada Portas da Amazônia e TVN São Luís.

SERVIÇO

O quê: Sessão de audição e noite de autógrafos de Samba de Minha Aldeia.
Quem: a cantora Lena Machado.
Onde: Bar do Léo (Hortomercado do Vinhais).
Quando: dia 14 (quinta-feira), às 20h.
Quanto: entrada franca. Presentes pagam apenas seu consumo. O disco será vendido por R$ 20,00.
Maiores informações: (98) 8182-1717, lenamachadomusica@gmail.com, http://www.myspace.com/lenamachado

Doutor em clarineta é o convidado do Clube do Choro Recebe

15 setembro 2009

Juvino Alves, doutor em música pela Universidade Federal da Bahia e professor da UFMA, será acompanhado pelo novo Instrumental 3×4.

Fundador e coordenador da Banda de Câmara Passo Doble, da Escola de Choro do Pandeiro e atual presidente do Clube do Choro da Bahia, doutorado em Música com concentração em Clarineta pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), tendo ainda especialização em Clarineta na Escola Superior de Música e Artes Cênicas de Stuttgart, na Alemanha, o professor Juvino Alves veio parar na Ilha do amor – e do choro – como professor adjunto de Música da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Autoridade no assunto: Juvino Alves é doutor em música com concentração em clarineta pela UFBA. Foto: Clarice Cajueiro

Autoridade no assunto: Juvino Alves é doutor em música com concentração em clarineta pela UFBA. Foto: Clarice Cajueiro

No próximo sábado, 19, o professor é o convidado da 95ª. edição do Clube do Choro Recebe, que acontece a partir das 19h30min no Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama). Como anfitrião, um grupo novo, recém-formado, especialmente para acompanhá-lo, com a ginga, o talento e a agilidade necessários para garantir uma noite memorável: o Instrumental 3×4 é formado por Luiz Jr. (violões de seis e sete cordas), Rui Mário (sanfona), Carlos Pial (percussão) e Wendell Cosme (bandolim e cavaquinho).

Em vinte anos de carreira Juvino Alves já tocou com nomes como Paulo Sérgio Santos, Luiz Melodia, Toninho Carrasqueira, Reco do Bandolim e Riachão, entre outros, além de já ter atuado como solista em diversos concertos, recitais e óperas no Brasil e no exterior. No repertório, certamente estarão nomes como Abel Ferreira e Paulo Moura, grandes mestres brasileiros do instrumento, entre outros clássicos do choro e da música contemporânea.

O professor Juvino Alves já participou da coletânea Rumos Brasil Música, da série Rumos, do Instituto Itaú Cultural, em 2004/2005. Tem ainda vários trabalhos apresentados e publicados sobre cultura musical brasileira, notadamente manifestações musicais baianas, choro e banda de música e filarmônica, interpretação musical, história da música e formas alternativas de educação musical na sociedade brasileira.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 95ª. edição.
Quem: o Instrumental 3×4 recebe o clarinetista Juvino Alves.
Quando: dia 19 de setembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 8,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e/ou clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Autêntico Chopp de Vinho e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

A aldeia sambista de Lena Machado

7 julho 2009

Lena Machado, acompanhada do Chorando Calado, começa a dar pistas de seu aguardado segundo disco de carreira.

O reencontro do grupo Chorando Calado com a cantora Lena Machado, em palco, previsto para maio passado, acabou adiado pelas chuvas – que ainda teimam em cair sobre a ilha, aqui ou ali. A última vez que João Eudes (violão), Paulinho Sabujá (pandeiro), Wendell Cosme (cavaquinho) e Elton (flauta) se encontraram com a intérprete – cujo segundo disco acaba de ser mixado e masterizado (em Fortaleza/CE) – foi em agosto passado, quando apresentaram, no Clube do Choro Recebe (Restaurante Chico Canhoto, Residencial São Domingos, Cohama), um belo e concorrido Tributo a Clara Nunes, quando a “guerreira” teria completado 65 anos de idade.

Lena Machado mostrará ao público parte do repertório de seu novo disco. Foto: Acervo Rádio Universidade FM. Divulgação

Lena Machado mostrará ao público parte do repertório de seu novo disco. Foto: Acervo Rádio Universidade FM. Divulgação

Lena Machado, que tem feito raras apresentações, dedicada ao processo de finalização do segundo disco da carreira, mostrará parte do repertório de Samba de minha aldeia, o título do trabalho aprovado em edital da Secretaria de Estado da Cultura do Maranhão (SECMA) em 2008, que traz composições de nomes como Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Joãozinho Ribeiro, Chico Nô, Ricarte Almeida Santos, Gildomar Marinho, Bruno Batista e Aquiles Andrade, entre outros. O trabalho tem direção musical e arranjos do violonista Luiz Jr. (Choro Pungado) e as gravações foram realizadas em São Luís, nos Estúdios Bagasound.

Entre os instrumentistas arregimentados por Lena Machado e Luiz Jr., figuram nomes como João Neto (flauta), Rui Mário (sanfona), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho), Luiz Cláudio (percussão), Presuntinho (trombone), João Paulo (contrabaixo), Thales do Valle (trompete), entre outros, além das participações especiais de Zé da Velha (trombone) e Silvério Pontes (trompete) em Colher de chá (Patativa), Netinho Albuquerque (pandeiro), Henrique Martins (violão sete cordas) e DJ Franklin (efeitos) em Chorinho de herança (Ricarte Almeida Santos e Chico Nô).

O novo disco de Lena Machado, que será lançado ainda em 2009, realiza um importante intercâmbio: apresenta um panorama musical bastante interessante do Maranhão a bambas cariocas – Zé da Velha e Silvério Pontes são considerados “a menor big band do mundo”, Netinho Albuquerque é percussionista de Flávia Bittencourt e Luiz Melodia e Henrique Martins esteve em São Luís acompanhando o jovem e talentoso sambista Moysés Marques.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 85ª. edição.
Quem: o grupo Chorando Calado recebe a cantora Lena Machado.
Quando: dia 11 de julho (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 8,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e/ou clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.