Posts Tagged ‘léo capiba’

Outros 400 encerra temporada em grande estilo

17 novembro 2011

Joãozinho Ribeiro encerra temporada anunciando novidades para o fim do ano e para 2012

Após oito apresentações, nesta sexta-feira (18), o palco do Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande) recebe a última edição da temporada 2011 de São Luís – Outros 400, show apresentado pelo compositor Joãozinho Ribeiro acompanhado do Regional 400, formado por Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete). No hall do Novo Armazém, exposição do artista plástico Marconi Lima.

Por ocasião do encerramento, Joãozinho Ribeiro terá como convidados o cantor Chico Nô e as cantoras Bruna Serra e Sheila Castro. Para quem procura diversão, a festa promete ir até tarde. “Realizamos oito apresentações às quintas-feiras, desde julho. Desta  vez mudamos para a sexta, que é um dia que pede uma esticada, após a semana cansativa de trabalho”, convida o anfitrião.

A “esticada” a que ele se refere está garantida: além das atrações já anunciadas, os grupos instrumentais SL Tubones e o Trio Bumba Jazz, formado por Luiz Jr. (violão sete cordas), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho) e Rui Mário (sanfona), além dos cantores Léo Capiba e Léo Spirro animarão um grande baile de gafieira, acompanhados do Regional Sururu no Galinheiro – o Regional 400 acrescido de um naipe de sopros e de Juca do Cavaco, empunhando o instrumento que lhe dá nome artístico.

Joãozinho Ribeiro promete para 2012 a gravação de seu primeiro disco, após tanto ter sido gravado pelos mais diversos intérpretes do Maranhão. “A ideia da temporada Outros 400 era me desenferrujar, retomar contato com o público. Agradeço ao amigo e parceiro Zeca Baleiro pela dica, foi uma experiência incrível. Ano que vem devemos voltar ao palco e no segundo semestre lançar um cd recheado de participações superespeciais”, promete.

Ainda em 2011, encerrando seu ano musical, Joãozinho Ribeiro ainda volta ao palco. Dia 10 de dezembro, aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ele divide com Chico Saldanha e Josias Sobrinho o show Rosas seculares, em que repetirão o feito de ano passado, quando, com Cesar Teixeira, homenagearam o compositor Noel Rosa por seu centenário de nascimento. Para este ano surpresas: “Homenagearemos Noel e outros compositores seculares, como Assis Valente, Cartola, Mário Lago e Nelson Cavaquinho, além de importantes nomes da música do Maranhão, que infelizmente não chegaram aos 100 anos: Antonio Vieira, Cristóvão Alô Brasil e Lopes Bogéa”, anuncia.

Serviço

O quê: encerramento da temporada São Luís – Outros 400.
Quem: O compositor Joãozinho Ribeiro, acompanhado do Regional 400, com participações especiais de Bruna Serra, Chico Nô e Sheila Castro, além dos grupos instrumentais SL Tubones e Trio Bumba Jazz. Grande Baile de Gafieira com Léo Capiba, Léo Spirro e Regional Sururu no Galinheiro. Exposição do artista plástico Marconi Lima.
Quando: dia 18 (sexta-feira), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00.

Antonio Vieira é homenageado no Clube do Choro Recebe

25 maio 2010

Falecido em abril do ano passado aos 88 anos, Vieira teria completado 90, no último 9 de maio – compositor permanece vivíssimo em sua vasta obra musical.

Mestre Vieira em uma de suas apresentações no Clube do Choro Recebe

Antonio Vieira nasceu em São Luís em 9 de maio de 1920. “Menino pobre criado por família rica”, como gostava de contar, compôs sua primeira música aos 16 anos: Mulata bonita. Viu-a e ouviu-a fazer sucesso na década de 40 do século passado: brilhou no palco da Rádio Timbira, acompanhada ao piano pelo então também jovem Sivuca, de passagem por São Luís para uma temporada no Casino Maranhense. “O mestre da sanfona, adivinhando-lhe o talento, dissera, na ocasião que Vieira iria ser um grande compositor. Cumpriu-se a profecia”, como conta outro grande compositor, Cesar Teixeira, no encarte da Antoniologia Vieira, tributo em disco produzido pelo maestro Adelino Valente há dez anos, reunindo um expressivo contingente de artistas maranhenses para reverenciar o autor de Tem quem queira – esta, não incluída naquela antologia.

O reencontro dos mestres Antonio Vieira e Sivuca nos ensaios de gravação de "O samba é bom"

É Adelino Valente quem comanda um time de primeiríssima linha que repetirá parte da Antoniologia no palco do Clube do Choro Recebe, neste sábado, 29, às 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar). Com Vieira (percussão), Valente (bandolim) fundou o Regional Tira-Teima, em fins da década de 1970, mais antigo grupamento de choro em atividade em São Luís – embora já sem a sua formação original, que incluía ainda nomes como Chico Saldanha, Ubiratan Sousa e Cesar Teixeira.

Outra das antológicas aparições de Mestre Antonio Vieira no palco do Clube do Choro Recebe

Outro grupo integrado por Adelino Valente foi o Insensatez, reeditado para este sábado com nova formação: além dele próprio (piano, direção musical), Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Rogério Leitão (bateria), Antonio Paiva (contrabaixo), Paulo Trabulsi (cavaquinho) e Luiz Jr. (violão) receberão os intérpretes Célia Maria, Chico Saldanha, Cláudio Lima, Josias Sobrinho, Léo Capiba, Léo Spirro, Luiz Mochel, Rogéryo du Maranhão, Ticiana Valente, Tutuca e Zeca do Cavaco, que irão prestar homenagem a Mestre Antonio Vieira, falecido em 7 de abril de 2009.

Não faltarão ao repertório temas como Poema para o azul, Cocada, Mocambo, Nordeste seco, Vou pro mar, Olha a nêga, Na cabecinha da Dora, O samba é bom, Ingredientes do samba, Samba de Nêgo e Mulata bonita, entre muitas outras da vasta lavra de Seu Vieira.

“São mais de 300 composições, a grande maioria ainda desconhecida do grande público”, afirma Adelino Valente, produtor desta espécie de “Antoniologia ao vivo”. Ele relembra emocionado: “Nossa amizade vem desde a década de 70, quando fundamos o Tira-Teima. Eu era bandolinista, Vieira percussionista e até então ninguém conhecia música nenhuma dele. Depois de dois ou três anos de convívio, ele começou a mostrar umas coisas e a gente ficou encantado. Eu sempre disse que um dia a gente ia fazer um disco com aquela obra. Demorou, mas saiu”.

Homenagens a Vieira continuarão, segundo Adelino Valente

Segundo Adelino, este show – que remonta parte do espetáculo realizado no Teatro Arthur Azevedo, trazendo algumas novidades – é parte de uma homenagem maior ao “velho moleque”. Entre os vários projetos há o de se fazer um Volume 2 da Antoniologia e um cd instrumental só com composições do autor de Banho cheiroso.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 118ª. edição.
Quem: o grupo Insensatez recebe vários cantores e cantoras em homenagem a Mestre Antonio Vieira.
Quando: dia 29 de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Capiba e Spirro: Clube do Choro Recebe os Léos

14 maio 2010

Duas das mais belas vozes do Maranhão se apresentam na 116ª. edição do projeto, na Associação do Pessoal da Caixa, no Calhau.

O encontro de duas das mais belas vozes da música do Maranhão em qualquer tempo. É isto o que promete a 116ª. edição do projeto Clube do Choro Recebe, que acontece neste sábado, 15, às 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).

Léo Capiba e Léo Spirro passearão por clássicos do samba e do choro, em inspirados duetos, com o luxuoso acompanhamento do Regional Tira-Teima, formado por Paulo Trabulsi (cavaquinho), Francisco Solano (violão sete cordas), Serra de Almeida (flauta) e Zé Carlos (percussão), a mais antiga formação instrumental do Maranhão em atividade.

No repertório da noite, nomes como Tom Jobim, Pixinguinha, Chico Buarque, João Nogueira e Jackson do Pandeiro, entre muitos outros. “Este encontro já aconteceu no projeto e seu retorno ao palco do Clube do Choro Recebe atende a muitos pedidos”, explica Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador da iniciativa.

Curiosidades – Spirro foi o primeiro convidado do projeto Clube do Choro Recebe, que iniciou as atividades em setembro de 2007. Teve como anfitrião, na ocasião, o Regional Tira-Teima. Léo Capiba, cearense de nascimento há muito radicado no Maranhão, também já esteve no palco do projeto, prestando tributo a João Nogueira, cantor e compositor que muito admira, e em outras oportunidades.

Juntos no palco, Léo Capiba e Léo Spirro sempre proporcionam ao público uma apresentação descontraída, vibrante, com um repertório alto astral, de gosto apurado. Ponto alto do espetáculo é a interpretação bem-humorada da dupla para o clássico Tereza da Praia, parceria de Billy Blanco e Tom Jobim.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 116ª. edição.
Quem: o Regional Tira-Teima recebe os cantores Léo Capiba e Léo Spirro.
Quando: dia 15 de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Discotecassamba

10 março 2010

Palco dos projetos Mixando o Mundo, do DJ Pedro Sobrinho, e Chorinho no Cantinho, com o Regional Feitiço da Ilha, Cantinho da Estrela é opção certa para quem gosta de boa música.

Projeto realizado desde o ano passado, o Chorinho no Cantinho, capitaneado por Chico Nô (voz, violão, percussão) e pelos bambas do Regional Feitiço da Ilha – além dele, Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – já é referência na vida boêmia de São Luís, sobretudo no bairro da Praia Grande, onde está instalado o Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Todas as sextas, a partir das 19h, o Regional Feitiço da Ilha tem executado repertório de samba e choro e prestado tributos a grandes nomes destes gêneros brasileiríssimos: Roberto Ribeiro, João Nogueira, Chico Buarque e Pixinguinha, entre outros, já receberam homenagens. O grupo conta ainda com o auxílio luxuoso de diversos convidados: entre outros, já passaram pelo palco do projeto nomes como Josias Sobrinho, Lena Machado, Nivaldo do Cavaco, Cacá do Banjo, Léo Capiba, Chico Chinês e Neto Peperi. O couvert artístico individual custa apenas R$ 7,00.

Quinta – A novidade que o Cantinho da Estrela traz neste mês de março é o projeto Mixando o Mundo, que terá as pick-ups pilotadas pelo DJ Pedro Sobrinho. A primeira edição aconteceu dia 4 (quinta-feira passada) e as festas acontecerão todas as quintas de março.

Para o dia 11, a promessa é muito drum’n bass, world music, latina, eletrônica, samba, dub e acid jazz. Pedro Sobrinho discotecará ainda dias 18 e 25 de março, sempre a partir das 20h. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Maiores informações: (98) 8724 2940.

Urubu Malandro e o ar da graça de Patativa

9 março 2010

Presença alegre de Patativa levará, com o Urubu Malandro, choro, samba e bom humor ao Clube do Choro Recebe.

A primeira edição do Clube do Choro Recebe em 2010, acontecida sábado passado (6), mostrou que o projeto já está consolidado na vida boêmio-cultural da capital maranhense. Com diversas outras atrações espalhadas pela cidade, o público, fiel, lotou o espaço da Associação do Pessoal da Caixa (Calhau), que volta a ser o palco do Clube do Choro do Maranhão. O cantor e compositor Carlinhos Veloz brindou os presentes com um belíssimo show, com o repertório variando entre temas de samba e choro, além de canções de sua autoria. Entre as canjas, destaques para Osmar do Trombone, Léo Capiba, Luiz Cláudio e Luiz Jr. (Duo Sound), Augusto Pellegrini, João Neto e Isaac Barros.

“Esse retorno superou todas as expectativas. Ainda temos que trabalhar em alguns ajustes, para receber ainda melhor o público, que esperamos manter, em número e qualidade”, afirma Ricarte Almeida Santos, radialista, produtor e apresentador do projeto.

Carnaval, samba, alegria e irreverência são sinônimos de Patativa

Para a segunda edição do projeto em 2010 – já são 108 no total – o brilho da presença da madre-divina dama Patativa, compositora que aos mais de 70 anos, começa a ter o merecido reconhecimento do público. Ainda que lentamente. Recentemente, ela teve sua Colher de chá gravada por Lena Machado em Samba de Minha Aldeia, seu segundo disco, recém-lançado. Colher de chá é certamente seu segundo samba mais conhecido, cantado por quantos frequentem rodas de choro e samba pela Madre Deus e arredores ou no palco do Clube do Choro Recebe. A peça mais famosa da lavra de Patativa tem título impublicável, mas a plateia certamente irá ouvi-la nesta segunda apresentação que a compositora faz no projeto – a primeira foi em sua 62ª. edição, em dezembro de 2008.

Reverenciada por nomes como Cesar Teixeira, Rita Ribeiro – que em dueto cantaram Colher de chá em concorridas apresentações no projeto Brasil de Todos os Sambas, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, em 2004 – e Jorge Aragão – que no disco de estreia de Serrinha e Cia. cantava “Patativa vem sambar, oh, na palma da mão”, no samba Uns e Alguns, de que participa – Patativa será acompanhada pelo grupo Urubu Malandro, que segura a peteca de sua jocosidade.

Também é divertidíssima essa turma que acompanhará Patativa em seus sambas e marchas, em grande parte com letras engraçadíssimas onde não falta duplo sentido, com inteligência: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. São os mesmos chorões que já acompanharam a compositora em sua primeira aparição no palco do Clube do Choro Recebe.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 108ª. edição – 2ª. em 2010.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a compositora Patativa.
Quando: dia 13 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: Solar Consultoria.

As Brasileirinhas e Vibrações

15 dezembro 2009

Mestres do choro recebem a ginga sambista de As Brasileirinhas.

Encontro dos mais raros no palco do Clube do Choro Recebe é um grupo ser anfitrião de outro. É o que acontece neste sábado, 19, a partir das 19h30min, no Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama), na 105ª. edição do projeto.

Como convidadas Helô Santana, Eline Cunha e Rose Carrenho, que formam o grupo As Brasileirinhas, que há 17 anos vem mostrando o jeito feminino de fazer samba no Maranhão. Elas serão recebidas pelo Quarteto Vibrações, formado especialmente para a ocasião: Francisco Solano (violão sete cordas), João Neto (flauta), Léo Capiba (pandeiro) e Paulo Trabulsi (cavaquinho).

Na primeira parte da noite, como de praxe, clássicos da música instrumental brasileira, notadamente o choro, pelas mãos habilidosas destes grandes mestres. Na segunda parte, toda a animação e vibração – não por acaso – de As Brasileirinhas, com o melhor do samba brasileiro, em repertório onde não faltarão clássicos de compositores como Leci Brandão, Jorge Ben, Dona Ivone Lara e João do Vale, entre outros.

Clássico de Jacob batiza uma das atrações de sábado no Clube do Choro Recebe

Vibrações – Um dos grandes álbuns do choro brasileiro, Vibrações é um dos mais modernos e atuais discos de música instrumental já realizados no país. Sob a regência de Jacob do Bandolim, seu conjunto Época de Ouro imortalizou diversas composições que viriam a se tornar verdadeiros clássicos do gênero, de autoria do próprio Jacob, de Ernesto Nazareth e Fon Fon, entre outros.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 105ª. edição.
Quem: o Quarteto Vibrações recebe o grupo As Brasileirinhas.
Quando: dia 19 de dezembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: Solar Consultoria.

Léo Capiba e Os Cinco Companheiros no Clube do Choro Recebe

10 novembro 2009

Clássicos do samba e choro recebem roupagem de gafieira em noite que promete dança e alegria.

Capiba relembrará grandes mestres do samba e choro em clima dançante 

Léo Capiba (foto) é o convidado da 102ª. edição do Clube do Choro Recebe, que acontece este sábado (14), a partir das 19h30min, na Pousada Portas da Amazônia/La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande). Atualmente o cantor está gravando seu disco de estreia, que terá arranjos do violonista João Pedro Borges, onde interpretará diversos nomes do samba produzido no Maranhão. Cearense de nascimento e maranhense de coração, Capiba tem uma vasta experiência acumulada na noite ludovicense.

“O sorriso mais largo da paróquia”, como Capiba também é conhecido, terá como anfitriões Os Cinco Companheiros: Osmar do Trombone, Osmarzinho (clarinete e saxofone), Rafael Guterres (cavaquinho), João Soeiro (violão) e Wanderson (percussão). Natural de Cajari, o líder do grupo também está gravando seu disco de estreia, cujo repertório é instrumental e, em grande parte autoral, intitulado Cinco gerações, as de músicos de sua família. Osmar do Trombone tem sempre mostrado com boa aceitação o choro-título de seu disco.

Os sopros d’Os Cinco Companheiros garantem a cada apresentação que fazem um clima de gafieira que pode render bons passos de dança ao público – no palco, Capiba não se faz de rogado. A interpretação firme, a ginga e o bom humor de Capiba dão o tom no passeio pelo repertório de grandes mestres do samba e do choro, como Cartola, Cesar Teixeira, Tom Jobim, Jackson do Pandeiro, João Nogueira e tantos outros.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 102ª. edição.
Quem: o grupo Os Cinco Companheiros recebe o cantor Léo Capiba.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.