Posts Tagged ‘juca do cavaco’

Outros 400 encerra temporada em grande estilo

17 novembro 2011

Joãozinho Ribeiro encerra temporada anunciando novidades para o fim do ano e para 2012

Após oito apresentações, nesta sexta-feira (18), o palco do Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande) recebe a última edição da temporada 2011 de São Luís – Outros 400, show apresentado pelo compositor Joãozinho Ribeiro acompanhado do Regional 400, formado por Arlindo Carvalho (percussão), Celson Mendes (violão e direção musical), Fleming (bateria), Mauro Travincas (contrabaixo) e Miranda Neto (trompete). No hall do Novo Armazém, exposição do artista plástico Marconi Lima.

Por ocasião do encerramento, Joãozinho Ribeiro terá como convidados o cantor Chico Nô e as cantoras Bruna Serra e Sheila Castro. Para quem procura diversão, a festa promete ir até tarde. “Realizamos oito apresentações às quintas-feiras, desde julho. Desta  vez mudamos para a sexta, que é um dia que pede uma esticada, após a semana cansativa de trabalho”, convida o anfitrião.

A “esticada” a que ele se refere está garantida: além das atrações já anunciadas, os grupos instrumentais SL Tubones e o Trio Bumba Jazz, formado por Luiz Jr. (violão sete cordas), Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho) e Rui Mário (sanfona), além dos cantores Léo Capiba e Léo Spirro animarão um grande baile de gafieira, acompanhados do Regional Sururu no Galinheiro – o Regional 400 acrescido de um naipe de sopros e de Juca do Cavaco, empunhando o instrumento que lhe dá nome artístico.

Joãozinho Ribeiro promete para 2012 a gravação de seu primeiro disco, após tanto ter sido gravado pelos mais diversos intérpretes do Maranhão. “A ideia da temporada Outros 400 era me desenferrujar, retomar contato com o público. Agradeço ao amigo e parceiro Zeca Baleiro pela dica, foi uma experiência incrível. Ano que vem devemos voltar ao palco e no segundo semestre lançar um cd recheado de participações superespeciais”, promete.

Ainda em 2011, encerrando seu ano musical, Joãozinho Ribeiro ainda volta ao palco. Dia 10 de dezembro, aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, ele divide com Chico Saldanha e Josias Sobrinho o show Rosas seculares, em que repetirão o feito de ano passado, quando, com Cesar Teixeira, homenagearam o compositor Noel Rosa por seu centenário de nascimento. Para este ano surpresas: “Homenagearemos Noel e outros compositores seculares, como Assis Valente, Cartola, Mário Lago e Nelson Cavaquinho, além de importantes nomes da música do Maranhão, que infelizmente não chegaram aos 100 anos: Antonio Vieira, Cristóvão Alô Brasil e Lopes Bogéa”, anuncia.

Serviço

O quê: encerramento da temporada São Luís – Outros 400.
Quem: O compositor Joãozinho Ribeiro, acompanhado do Regional 400, com participações especiais de Bruna Serra, Chico Nô e Sheila Castro, além dos grupos instrumentais SL Tubones e Trio Bumba Jazz. Grande Baile de Gafieira com Léo Capiba, Léo Spirro e Regional Sururu no Galinheiro. Exposição do artista plástico Marconi Lima.
Quando: dia 18 (sexta-feira), às 21h.
Onde: Novo Armazém (Rua da Estrela, 401, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00.

Anúncios

Na Toca do Choro: para se despedir das férias em grande estilo

28 julho 2011

A formação muda, mas a peteca não cai: o Regional Azeite Brasil traz para você, todas as sextas-feiras, o melhor happy hour de São Luís, a base de choro. João Soeiro (violão), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Wanderson (percussão) passeiam entre Pixinguinhas, Nazarés, Azevedos e Jacobs, entre outros mestres, para garantir sua diversão.

O ambiente agradável da Toca da Empada, a boa conversa com amigos, a cerveja gelada e os deliciosos tira-gostos garantem o cenário perfeito para você se despedir das férias. Se ainda resta o fim de semana inteiro, para a praia e quem sabe outras baladas, comece a despedida temperando-a com Azeite Brasil.

Mas o fim das férias não é motivo nenhum para a tristeza: alegria e descontração nas noites de sexta estão garantidas, mesmo (ou principalmente) em tempos de trabalho duro. Como prenuncia o slogan: “onde se toca empada, também se come choro”. É a mais deliciosa empada da Ilha com a melhor música do Brasil.

A Toca da Empada do Renascença fica no Edifício Executive Center (Rua Queopes, ao lado da Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais). O couvert artístico individual custa apenas R$ 10,00. A apresentação tem início às 19h.

Uma Toca de novidades

7 julho 2011

Petiscos do cardápio da Toca da Empada homenageiam choros de autores maranhenses. Visite e confira!

O que você quer temperar com Azeite Brasil? A Toca da Empada tem novidades para você! Toda sexta tem sarau com o grupo formado por Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Sabujá (percussão). O happy hour ideal: bom papo, boa música, ambiente aconchegante, e é claro, cerveja gelada. Sempre a partir das 19h.

A partir desta sexta (8), algumas novidades no cardápio. Destaque para o Candiru, comida de boteco a base de camarão seco de Tutóia e farinha biriba de Pinheiro: gastronomia e geografia sentimental, um passeio pelo Maranhão em sua mesa, na Toca da Empada.

Candiru – O choro de Zezé Alves e Omar Cutrim gravado pelo Instrumental Pixinguinha em seu disco de estreia batiza o novo petisco da Toca da Empada, em cujo cardápio já constam outros pratos e outros choros, vale a pena conferir!

A Toca da Empada você já sabe: fica ali no Renascença, no Edifício Executive Center, Rua Queóps, ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais. O couvert artístico custa apenas R$ 10,00.

Pixinguinha Na Toca do Choro

16 junho 2011

Choro em pleno São João na Toca da Empada

Duas novidades vão deixar você com ainda mais vontade de prestigiar o sarau Na Toca do Choro, na Toca da Empada do Renascença (Edifício Executive Center, Rua Queóps, ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).

O Instrumental Pixinguinha assume o palco, diante de compromissos juninos dos integrantes do Azeite Brasil, por assim dizer os titulares da casa. Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas), Sabujá (percussão) e João Neto (flauta), o ubíquo remanescente do outro grupo, não deixarão a peteca cair: música brasileira instrumental e cantada – Na glória! – com “historietas hilariantes” contadas por mestre Juca para animar as noites de sexta de junho, regadas a comida gostosa e cerveja gelada.

E por falar em cerveja gelada, eis a segunda novidade que a Toca da Empada tem o prazer de lhes apresentar: promoção da casa, Devassa 600 ml por apenas R$ 6,00. É ou não é uma boa pedida, juntar boa música, comida gostosa, bebida idem e(m) ambiente agradável? Sexta-feira o seu happy hour tem endereço certo: Na Toca do Choro na Toca da Empada! O couvert artístico individual custa apenas R$ 10,00.

Serviço

O quê: Na Toca do Choro.
Quem: Instrumental Pixinguinha: Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas), Sabujá (percussão) e João Neto (flauta).
Quando: sexta-feira (17), às 19h.
Onde: Toca da Empada (Edifício Executive Center, Rua Queóps, Renascença. Ao lado da locadora Backbeat e da Harmônica Instrumentos Musicais).
Quanto: R$ 10,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com
Redação:
Zema Ribeiro

Baile do Parangolé: 32 anos da SMDH

6 fevereiro 2011

Arte: Bruno Galvão

Realizado pela primeira vez em 2010, o Baile do Parangolé chega sábado, 12, às 21h30min, a sua segunda edição. Trata-se de festa carnavalesca que marca o aniversário de 32 anos da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) – fundada nesta data, em 1979, no bojo das lutas pela anistia.

Nesta temporada pré-carnavalesca de 2011, o Baile do Parangolé mudou de endereço, esperando abrigar um público ainda maior que o de sua primeira edição, com conforto e segurança. Será seu palco o Circo Cultural Nelson Brito (Circo da Cidade, ao lado do Terminal de Integração da Praia Grande).

A Banda do Parangolé foi formada exclusivamente para a ocasião, reunindo “feras da mais alta periculosidade instrumental”, como salientou o sociólogo e radialista Ricarte Almeida Santos no Chorinhos e Chorões de domingo passado (6); Antonio Paiva (contrabaixo), Arlindo Carvalho (percussão), Fleming (bateria), Hugo Barbosa (trompete), João Soeiro (violão), Juca do Cavaco, Nelma Carafunim (saxofone) e Osmar do Trombone.

Grupo para ninguém botar defeito, as estrelas da noite idem: Cesar Teixeira, autor do coco que empresta nome ao baile, Joãozinho Ribeiro, sócios da SMDH, Lena Machado e Rosa Reis – todos, artistas de reconhecimento nacional.

As camisas para o Baile do Parangolé custam R$ 40,00 (unidade) e R$ 30,00 (preço promocional para quem comprar a partir de duas). Podem ser adquiridas nas sedes da SMDH (Av. Castelo Branco, 697, Altos, São Francisco) e União por Moradia Popular (Rua dos Afogados, 554, Centro) e na Livraria Poeme-se (Rua João Gualberto, 52, Praia Grande).

Personagens – Conheça um pouco da história de quem faz o 2º. Baile do Parangolé.

A SMDH – A Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH) foi fundada em 12 de fevereiro de 1979 – à época com um D a mais na sigla, de “defesa”. Entidade da sociedade civil de natureza pública, espaço político de denúncia contra o arbítrio e a violência, tão comuns durante a ditadura militar, quando de sua fundação. Mobilização popular, educação de base e formulação de denúncias de violações de direitos foram, desde sempre, suas estratégias de atuação.

Cesar Teixeira – Jornalista, poeta, compositor, artista plástico. Foi assessor de comunicação da SMDH entre 1989 e 2002. É sócio da entidade, da qual já integrou o Conselho Consultivo. Lançou, em 2004, Shopping Brazil, seu único disco. Autor de clássicos da música produzida no Maranhão, tem sua obra gravada sistematicamente desde a década de 1970. Atualmente é coordenadora editorial do jornal Vias de Fato.

Joãozinho Ribeiro – Bacharel em Direito, especialista em Direitos Autorais. Funcionário público, é técnico da Receita Federal. Poeta, publicou em 2006 o livro Paisagem feita de tempo (Ed. do autor). É um dos compositores mais gravados do Maranhão, tendo vencido em 2001 o Prêmio Universidade FM, com seu choro Milhões de uns, interpretado por Célia Maria. Ex-secretário de Estado da Cultura, foi coordenador executivo da II Conferência Nacional de Cultura (MinC).

Lena Machado – Assessora da Cáritas Brasileira Regional Maranhão estreou em disco em 2006 com Canção de Vida, que celebrou os 50 anos de atuação da entidade no Brasil. No ano anterior, participou, ao lado de Cesar Teixeira, Joãozinho Ribeiro e Gildomar Marinho, do show que festejou os 26 anos da SMDH. Ano passado lançou, com músicas destes e outros compositores maranhenses, Samba de minha aldeia, elogiado entre outros por Nelson Motta.

Rosa Reis – Coordenadora do Laboratório de Expressões Artísticas do Maranhão (Laborarte), pesquisadora da cultura popular do Maranhão. Cantora que valoriza estes elementos em seu trabalho, tem vários discos gravados, o mais recente Brincos (Funarte, 2009), no qual realiza um apanhado de clássicos da música do Maranhão nas últimas quatro décadas.

Bruno Galvão – Artista plástico, assina a identidade visual do 2º. Baile do Parangolé. Somou seu talento ao aprendizado em cursos de desenho e artes nos centros de Cultura Negra (CCN/MA) e de Criatividade Odylo Costa, filho (CCOCf), em São Luís. integra o coletivo Nagô, que assina diversos painéis em grafite na Ilha. Realizará em breve sua primeira exposição individual.

Serviço

2º. Baile do Parangolé celebrará 32 anos da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos

1 fevereiro 2011

Festa de aniversário terá shows de Cesar Teixeira, Joãozinho Ribeiro, Lena Machado e Rosa Reis, no Circo da Cidade

Arte: Bruno Galvão

Fundada em 12 de fevereiro de 1979, no bojo das lutas pela anistia, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH), celebra seus 32 anos de luta pela defesa, proteção e promoção dos direitos humanos com um grande baile carnavalesco.

Para Joãozinho Ribeiro, sócio da entidade e um dos artistas a se apresentar no 2º. Baile do Parangolé, direitos humanos e cultura caminham juntos: “A cultura precisa ser entendida, para além da dimensão das festividades, como um direito. Temos avançado nesta questão no Brasil. Cultura é um direito humano, os direitos culturais  têm sido cada vez mais alvo de discussões. A SMDH tem uma história importantíssima na luta pelos direitos humanos no Maranhão e isso precisamos festejar”, comentou.

Além de Joãozinho Ribeiro, o Baile do Parangolé terá shows de Cesar Teixeira, também sócio da SMDH e autor da música que dá nome à festa, Lena Machado e Rosa Reis, que serão acompanhados da Banda do Parangolé: Arlindo Carvalho (percussão), Fleming (bateria), Hugo Barbosa (trompete), João Soeiro (violão), Juca do Cavaco, Mauro Travincas (contrabaixo), Nelma Carafunim (saxofone) e Osmar do Trombone.

Serviço – O Baile do Parangolé acontece dia 12 de fevereiro (sábado), a partir das 21h30min, no Circo Cultural Nelson Brito (Circo da Cidade, ao lado do Terminal de Integração da Praia Grande). As camisas-ingressos estão à venda nas sedes da SMDH (Av. Castelo Branco, 697, Altos, São Francisco) e União por Moradia Popular (Rua dos Afogados, 674, Centro) e na Livraria Poeme-se (Rua João Gualberto, 52, Praia Grande). Maiores informações: (98) 3231-1601, 3231-1897, 8888-3722, smdh@terra.com.br, twitter.com/smdhvida

Centenário de Noel Rosa será celebrado em São Luís

29 novembro 2010

Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho prestam homenagem ao compositor carioca, falecido há 73 anos.

Nascido há exatos cem anos, em 11 de dezembro de 1910, Noel de Medeiros Rosa, teve existência curta – faleceria aos 26, de tuberculose – mas deixou obra vasta, que influenciou e até hoje influencia um sem-número de artistas da música.

Sambista por excelência, são de sua lavra clássicos como Com que roupa?, Filsofia, Pela décima vez, Feitiço da Vila, Três apitos, Pra quê mentir?, Feitio de oração e inúmeros outros. Convenhamos: não existe roda de samba que se preze em que não seja executada ao menos uma dessas canções.

Diante da grandiosidade e da genialidade de Noel Rosa, quatro grandes mestres da música do Maranhão se reúnem para prestar-lhe merecido tributo. Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho subirão ao palco do Bar Daquele Jeito (próximo ao Viva Vinhais) para apresentar o show Noel, Rosa secular.

Os quatro bambas serão acompanhados por Arlindo Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Paulinho Oliveira (violão, direção musical) e Vandico (percussão). Eles contarão também com as participações especiais das damas da música maranhense Célia Maria, Fernanda Garcia, Lena Machado e Lenita Pinheiro. O show acontece dia 11 de dezembro, às 22h, e os ingressos custam apenas R$ 15,00.

“A música brasileira, e a arte de maneira geral, só são tão ricas e diversas por conta das inúmeras trocas que nos levaram a essa miscigenação em todos os campos, fazendo de nós o país culturalmente mais rico do planeta. Por isso não poderíamos nunca deixar de homenagear Noel Rosa, no ano de seu centenário, pelo imenso legado que ele nos deixou, apesar de sua vida ter sido tão curta”, afirmou Joãozinho Ribeiro.

Noel, Rosa secular, terá ainda, durante sua apresentação, breves esquetes comentando passagens da vida do parceiro de Vadico. A teatralização de trechos da existência do Poeta da Vila fica a cargo de Joana Bittencourt, que também assina o cenário.

Serviço

O quê: show Noel, Rosa secular.
Quem: Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho. Participações especiais de Célia Maria, Fernanda Garcia, Lena Machado e Lenita Pinheiro.
Quando: 11 de dezembro (sábado), às 22h.
Onde: Bar Daquele Jeito (próximo ao Viva Vinhais).
Quanto: R$ 15,00. Ingressos à venda no local.
Maiores informações: zemaribeiro@gmail.com, (98) 8888-3722.

Após recesso, o Clube do Choro Recebe está de volta

28 julho 2010

Instrumental Pixinguinha e Eraldo do Ébano são as atrações do retorno do projeto ao calendário cultural da capital maranhense.

Sem realizar saraus desde o dia 5 de julho, quando Zeca do Cavaco e o grupo Urubu Malandro prestaram tributo a Adoniran Barbosa (1910-1982), o Clube do Choro Recebe está de volta neste sábado, 31 de julho, após um recesso por conta do período junino e de Copa do Mundo.

“O Brasil acabou não indo bem na Copa do Mundo, mas a gente sabe a força que o maior evento do futebol mundial tem. É impossível concorrer com o torneio e com o São João, muito tradicional e com muita força no Maranhão”, avalia Ivo Segura, coordenador do Clube do Choro do Maranhão.

“O público já estava cobrando, são quase dois meses parado. É a maior interrupção desde o início do projeto, em setembro de 2007”, continua, “recebíamos telefonemas e e-mails direto, cobrando, querendo saber quando voltaria, quem seria a próxima atração, se seria no mesmo local”.

Instituições da música brasileira, os mangueirenses comparecem ao repertório de Eraldo Ébano

As perguntas já têm resposta: o Instrumental Pixinguinha recebe o cantor Eraldo do Ébano, no retorno do projeto ao palco da Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar). O grupo é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Raimundo Luiz (bandolim) e Vandico (percussão). Eraldo do Ébano é sambista reconhecido por seu repertório voltado para nomes como Cartola, Nelson Cavaquinho (ambos vistos acima em foto de Walter Firmo), Paulinho da Viola e Cesar Teixeira, entre outros, isto é, os grandes mestres do gênero.

O sarau de retorno do Clube do Choro Recebe tem início às 19h30min e os ingressos custam apenas R$ 10,00 (R$ 8,00 para sócios da APCEF com carteira).

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM, Banco Ficsa e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 120ª. edição.
Quem: o Instrumental Pixinguinha recebe o cantor Eraldo do Ébano.
Quando: dia 31 de agosto (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com, (98) 8413-6035.
Apoio Cultural: TVN São Luís, Rádio Universidade FM, Banco Ficsa e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

O Arnesto nos convidou prum choro…

1 junho 2010

Autor de inúmeros clássicos como Trem das onze, Samba do Arnesto e Tiro ao Álvaro, entre outros, Adoniran Barbosa será lembrado por Zeca do Cavaco em tributo no Clube do Choro Recebe.

Adoniran Barbosa (fotos) não esperou o trem das onze ou o bonde da história passar. Antes de tornar-se sucesso radiofônico e discográfico, de modo tardio, já na década de 1970, fez um sem fim de programas de rádio, filmes, telenovelas e comerciais, capítulo importante da biografia de João Rubinato – seu nome de batismo – quase sempre desprezado por admiradores, digamos, comuns.

Enquanto interpretava personagens humorísticos como Charutinho – criação de seu parceiro Oswaldo Moles – no rádio, ou tipos como o professor Pancrácio no cinema – o personagem soltava o bordão “sem duvidamente” quando queria dizer “com certeza” –, apresentava, sem muito sucesso, até então, suas músicas a diversos artistas que encontrava pelos corredores das rádios, onde reinou absoluto por décadas, apesar do começo difícil.

Adoniran Barbosa conheceria o sucesso como compositor após as interpretações marcantes e definitivas do conjunto Os Demônios da Garoa para suas criações. E depois, com ele próprio cantando, em seus discos homônimos lançados em 1973 e 1974, sob a batuta de Pelão, produtor de discos históricos da música brasileira, entre os quais Nelson Cavaquinho, para citar apenas outro bamba centenário – controvérsias no registro do autor de Folhas secas faz com que adiemos esta celebração, no entanto, para 2011.

Eternos e de domínio público – Apesar das recusas iniciais, Adoniran Barbosa não precisou esperar muito para que diversas criações suas ganhassem o status de “domínio público”: é claro, o compositor recebia os direitos autorais devidamente, mas não havia – como ainda não há – roda de samba que se preze em que não sejam entoados versos de músicas como Trem das onze, Samba do Arnesto, Tiro ao Álvaro, Iracema, Prova de carinho, As mariposa, Saudosa maloca e Um samba no Bixiga, entre inúmeras outras.

Estes e outros clássicos do descendente de italianos nascido em São Paulo em 1910 – e falecido em 1982 – serão lembrados por Zeca do Cavaco, uma das mais belas vozes da música produzida no Maranhão. Cantor e instrumentista de destaque, Zeca aproveita a efeméride para apresentar um show certamente memorável no palco do Clube do Choro Recebe, na 119ª. edição do projeto, que acontece neste sábado, 5, às 19h30min, na Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau (Rua José Luiz Nova da Costa, esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar). Os ingressos custam apenas R$ 10,00 (R$ 8,00 para sócios da APCEF).

Zeca do Cavaco será acompanhado pelo Regional Urubu Malandro, grupo já integrado por outro saudoso mestre da música brasileira, Antonio Vieira, recém-homenageado no projeto (118ª. edição, 29 de maio). O grupo é formado por Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 119ª. edição.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe o cantor Zeca do Cavaco em tributo a Adoniran Barbosa.
Quando: dia 5 de junho (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Um belo passeio musical

27 abril 2010

Recebido pelo Instrumental Pixinguinha, Chico Saldanha passeará pelo repertório de seus três discos e lembrará compositores que admira.

Feitos os ajustes que impediram a realização do já tradicional sarau do Clube do Choro Recebe logo no sábado subsequente ao Dia Nacional do Choro, quando se comemora o aniversário de Pixinguinha (1897-1973), o projeto volta ao palco da Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), no Calhau, neste sábado, 1º. de maio, a partir das 19h30min.

A ilha, no entanto, não ficou órfã de saraus de qualidade para lembrar a efeméride. E a celebração ao mestre maior do mais brasileiro dos gêneros musicais não parou por ali. Batizado pelo gênio, o Instrumental Pixinguinha é o grupo que dará as cartas na noite festiva. Não faltarão clássicos de Alfredo da Rocha Viana Filho – nome de batismo do saudoso Pixinga – e de outros bambas, como Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, Jacob do Bandolim e muito mais.

Chico Saldanha mostrará todo seu talento no Clube do Choro Recebe

O Instrumental Pixinguinha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Lazico (percussão) e Raimundo Luiz (bandolim). O grupo terá como convidado o compositor Chico Saldanha (foto), um dos grandes nomes da nossa nada pequena constelação de craques da boa música.

Com repertório em sua maioria autoral, Saldanha passeará por seus três discos: Chico Saldanha (1988), Celebração (1998) e Emaranhado (2007). Sambas, choros, boleros, baladas e toadas compõem a paisagem musical do maranhense nascido em Rosário. Não faltarão temas como Itamirim (sua música mais conhecida), Linha puída (a mais gravada), Babalu (a mais executada em rádios, desde o lançamento do disco mais recente), além de composições alheias que Saldanha gosta de lembrar no palco, a exemplo de Araçagy (Cristóvão Alô Brasil) e Polícia bandido cachorro dentista (Sérgio Sampaio).

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria e JL Music Studios.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 114ª. edição.
Quem: o grupo Instrumental Pixinguinha recebe o compositor Chico Saldanha.
Quando: dia 1º. de maio (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (esquina com Rua dos Carcarás, em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural:
TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria e JL Music Studios.

Milla Camões substitui Patativa no Clube do Choro Recebe

12 março 2010

Radicada no Maranhão, a cantora carioca Milla Camões substitui a compositora Patativa, sábado, no Clube do Choro Recebe. Patativa está acometida de forte gripe.

Acometida por uma forte gripe, a compositora Patativa foi obrigada a adiar sua apresentação no Clube do Choro Recebe, agendada para amanhã, 13.

Com o Urubu Malandro, Milla Camões mostrará toda sua versatilidade, afinação e talento

Quem sobe ao palco, acompanhada pelo grupo Urubu Malandro, é a cantora carioca Milla Camões.

Versátil, passeando entre choro, samba, bossa e jazz, entre outros gêneros, equilibrando-se entre o tradicional, o moderno e o regional, ela promete uma apresentação vibrante e divertida, características do regional que a acompanhará.

Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone desfilarão um repertório de clássicos do choro e prometem momentos dançantes.

Festivais e prêmios – Cantora talentosa e afinada, Milla Camões está gravando seu disco de estreia, que tem direção musical do violonista Celson Mendes. Em janeiro passado, ao lado do cantor Adão Camilo, ela venceu, com a música Mascarados namorados (Henrique e Marco Duailibe), o 9º. Festival Maranhense de Música Carnavalesca, promovido pelo Sistema Mirante. Com Os pais do sertão (Carlinhos Carvalho) venceu o Festival de Música de Pinheiro (FESMAP), em 2006.

Por dois anos consecutivos, em 2006 e 2007, Milla Camões venceu o Prêmio Universidade FM na categoria Talento da Noite. Em 2007 realizou turnê pelos Açores (Ilha Terceira, Portugal), com Fernando de Carvalho e os violonistas Luiz Jr. e Victor Castro.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF) e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 108ª. edição – 2ª. em 2010.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a cantora Milla Camões.
Quando: dia 13 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Rádio Universidade FM e Associação do Pessoal da Caixa (APCEF).
Parceria: Solar Consultoria.

Discotecassamba

10 março 2010

Palco dos projetos Mixando o Mundo, do DJ Pedro Sobrinho, e Chorinho no Cantinho, com o Regional Feitiço da Ilha, Cantinho da Estrela é opção certa para quem gosta de boa música.

Projeto realizado desde o ano passado, o Chorinho no Cantinho, capitaneado por Chico Nô (voz, violão, percussão) e pelos bambas do Regional Feitiço da Ilha – além dele, Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – já é referência na vida boêmia de São Luís, sobretudo no bairro da Praia Grande, onde está instalado o Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Todas as sextas, a partir das 19h, o Regional Feitiço da Ilha tem executado repertório de samba e choro e prestado tributos a grandes nomes destes gêneros brasileiríssimos: Roberto Ribeiro, João Nogueira, Chico Buarque e Pixinguinha, entre outros, já receberam homenagens. O grupo conta ainda com o auxílio luxuoso de diversos convidados: entre outros, já passaram pelo palco do projeto nomes como Josias Sobrinho, Lena Machado, Nivaldo do Cavaco, Cacá do Banjo, Léo Capiba, Chico Chinês e Neto Peperi. O couvert artístico individual custa apenas R$ 7,00.

Quinta – A novidade que o Cantinho da Estrela traz neste mês de março é o projeto Mixando o Mundo, que terá as pick-ups pilotadas pelo DJ Pedro Sobrinho. A primeira edição aconteceu dia 4 (quinta-feira passada) e as festas acontecerão todas as quintas de março.

Para o dia 11, a promessa é muito drum’n bass, world music, latina, eletrônica, samba, dub e acid jazz. Pedro Sobrinho discotecará ainda dias 18 e 25 de março, sempre a partir das 20h. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Maiores informações: (98) 8724 2940.

Urubu Malandro e o ar da graça de Patativa

9 março 2010

Presença alegre de Patativa levará, com o Urubu Malandro, choro, samba e bom humor ao Clube do Choro Recebe.

A primeira edição do Clube do Choro Recebe em 2010, acontecida sábado passado (6), mostrou que o projeto já está consolidado na vida boêmio-cultural da capital maranhense. Com diversas outras atrações espalhadas pela cidade, o público, fiel, lotou o espaço da Associação do Pessoal da Caixa (Calhau), que volta a ser o palco do Clube do Choro do Maranhão. O cantor e compositor Carlinhos Veloz brindou os presentes com um belíssimo show, com o repertório variando entre temas de samba e choro, além de canções de sua autoria. Entre as canjas, destaques para Osmar do Trombone, Léo Capiba, Luiz Cláudio e Luiz Jr. (Duo Sound), Augusto Pellegrini, João Neto e Isaac Barros.

“Esse retorno superou todas as expectativas. Ainda temos que trabalhar em alguns ajustes, para receber ainda melhor o público, que esperamos manter, em número e qualidade”, afirma Ricarte Almeida Santos, radialista, produtor e apresentador do projeto.

Carnaval, samba, alegria e irreverência são sinônimos de Patativa

Para a segunda edição do projeto em 2010 – já são 108 no total – o brilho da presença da madre-divina dama Patativa, compositora que aos mais de 70 anos, começa a ter o merecido reconhecimento do público. Ainda que lentamente. Recentemente, ela teve sua Colher de chá gravada por Lena Machado em Samba de Minha Aldeia, seu segundo disco, recém-lançado. Colher de chá é certamente seu segundo samba mais conhecido, cantado por quantos frequentem rodas de choro e samba pela Madre Deus e arredores ou no palco do Clube do Choro Recebe. A peça mais famosa da lavra de Patativa tem título impublicável, mas a plateia certamente irá ouvi-la nesta segunda apresentação que a compositora faz no projeto – a primeira foi em sua 62ª. edição, em dezembro de 2008.

Reverenciada por nomes como Cesar Teixeira, Rita Ribeiro – que em dueto cantaram Colher de chá em concorridas apresentações no projeto Brasil de Todos os Sambas, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, em 2004 – e Jorge Aragão – que no disco de estreia de Serrinha e Cia. cantava “Patativa vem sambar, oh, na palma da mão”, no samba Uns e Alguns, de que participa – Patativa será acompanhada pelo grupo Urubu Malandro, que segura a peteca de sua jocosidade.

Também é divertidíssima essa turma que acompanhará Patativa em seus sambas e marchas, em grande parte com letras engraçadíssimas onde não falta duplo sentido, com inteligência: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. São os mesmos chorões que já acompanharam a compositora em sua primeira aparição no palco do Clube do Choro Recebe.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria da Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 108ª. edição – 2ª. em 2010.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a compositora Patativa.
Quando: dia 13 de março (sábado), às 19h30min.
Onde: Associação do Pessoal da Caixa (APCEF), Rua José Luiz Nova da Costa, Calhau (em frente ao Barramar).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: Solar Consultoria.

Chorinho no Cantinho reestreia na Praia Grande

3 março 2010

Restaurante Cantinho da Estrela retoma projeto musical após recesso carnavalesco.

Após uma pausa no período carnavalesco, prolongada por todo o mês de fevereiro, o projeto Chorinho no Cantinho retorna ao palco do Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, 175, Praia Grande (em frente à Praça Valdelino Cécio). Acontecerá, como antes, às sextas-feiras, porém, agora, mais cedo: às 19h.

Bambas do Feitiço da Ilha voltam ao palco do Cantinho da Estrela

O Regional Feitiço da Ilha volta a mostrar o melhor do choro e do samba brasileiros, em versões instrumentais e cantadas: Vandico (percussão), Chico Nô (voz, violão, percussão), Juca do Cavaco e Domingos Santos (violão sete cordas), na ordem em que aparecem na foto, animarão as noites de sexta, no já tradicional encontro de bambas que sempre acontece no Chorinho no Cantinho.

“A gente ‘tava com saudade desse palco. Vamos continuar fazendo samba e choro, aumentando a interação que já há entre o grupo e o público que sempre tem comparecido”, comenta Chico Nô, que levou o segundo lugar do Festival Maranhense de Música Carnavalesca, promovido pelo Sistema Mirante, com a marchinha Tô engarrafado, parceria com Neto Peperi (ex-Espinha de Bacalhau).

Proprietária do Cantinho da Estrela, a sorridente Dadá confessa: “O público já estava cobrando a ausência do projeto, que a gente retoma com muita alegria, cerveja gelada e o cardápio variado que sempre temos oferecido. Tudo isso regado pelo ótimo repertório do Feitiço da Ilha”.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho.
Quem: Regional Feitiço da Ilha: Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão).
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: sexta-feira, 5 de março, às 19h.
Quanto: R$ 7,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: [98] 8724-2940, 8814-1407.

João dos Carnavais celebra João Nogueira

4 fevereiro 2010

Prestando homenagem ao sambista carioca, Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o músico Carlinhos da Cuíca.

Nogueira será homenageado em "João dos Carnavais"

O cantor e compositor carioca João Nogueira (foto) será o homenageado desta sexta-feira (5) no projeto Chorinho no Cantinho, que acontece a partir das 21h, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

No show João dos Carnavais, o Regional Feitiço da Ilha, formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão), com Chico Nô (voz, violão, percussão) à frente, terá como convidado o músico Carlinhos da Cuíca (Espinha de Bacalhau). O repertório focará as composições de Nogueira mais voltadas ao carnaval.

João Nogueira é autor de diversos clássicos da música brasileira, gravados por um sem-número de intérpretes. Entre outros, são de sua lavra músicas memoráveis como Clube do samba, Nó na madeira (com Eugênio Monteiro), Do jeito que o rei mandou (com Zé Catimba), Espelho, As forças da natureza, O poder da criação e Eu, hein, Rosa! (as quatro últimas em parceria com Paulo César Pinheiro).

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

CARNAVAL COM FEIJÃO – A roda de samba mais animada de São Luís tem endereço certo: o Restaurante Cantinho da Estrela, aos sábados, a partir das 17h. Em temporada pré-carnavalesca, o grupo Conversa de Botequim, além do tradicional repertório de sambas, também tem apresentado marchinhas e outros gêneros do período de momo.

A diversão é garantida. A entrada custa apenas R$ 10,00.

A volta de Chico Nô

20 janeiro 2010

Nivaldo da Estação será o convidado do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, no projeto Chorinho no Cantinho.

O Chorinho no Cantinho, já tradicional encontro de bambas que acontece todas as sextas-feiras no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), marca, dia 22, o retorno de Chico Nô ao seu palco – o repertório de sambas e choros começa a ser executado às 20h.

O cantor e compositor maranhense aproveitou o período das festas de Natal e Ano Novo para passar uma temporada no Rio de Janeiro, de onde retorna com novidades na bagagem – algumas serão mostradas sexta-feira.

Regional Feitiço da Ilha: os bambas do Chorinho no Cantinho

Chico Nô (voz, violão e percussão) e o Regional Feitiço da Ilha (foto) – Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – terão como convidado o cantor e cavaquinhista Nivaldo da Estação, que passeará por sambas-enredo e clássicos do carnaval, com destaque para os maranhenses.

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – O grupo Conversa de Botequim, a partir das 17h, continua realizado a mais animada roda de samba da Ilha, também no Restaurante Cantinho da Estrela.

Obras de nomes como Paulinho da Viola, Chico Buarque, Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Antonio Vieira e João Nogueira, entre outros, são os ingredientes do samba, que é acompanhado por uma feijoada com todos os ingredientes a que se tem direito.

A entrada custa apenas R$ 10,00.

Roberto Ribeiro será homenageado nesta sexta-feira

13 janeiro 2010

O Restaurante Cantinho da Estrela promove tributo a um dos maiores intérpretes de samba que o Brasil já ouviu.

Clássicos imortalizados por Roberto Ribeiro serão lembrados por Adriano Passos e Regional Feitiço da Ilha

Em janeiro de 1996 a música popular brasileira perdia um de seus maiores intérpretes, o cantor Dermeval Miranda Maciel, mais conhecido como Roberto Ribeiro. Colaborando para manter viva sua memória e destacar sua importância, o Restaurante Cantinho da Estrela fará uma justa homenagem a este grande sambista nesta sexta-feira, a partir das 21h, com um tributo ao cantor que gravou clássicos, como Acreditar, Estrela de Madureira, Vazio e Todo menino é um rei, esta, de longe seu registro mais lembrado.

O tributo intitulado Ele ainda é um rei será comandado pelo sambista Adriano Passos e pelo Regional Feitiço da Ilha, formado por Chico Nô (voz, violão e percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão).

As músicas escolhidas dão uma visão panorâmica da obra de Roberto Ribeiro. Do repertório do show constam canções que marcaram a carreira do sambista, como Proposta Amorosa, Tempo Ê, Só Pra Chatear, Isso não são horas e Amor de Verdade. O trabalho de Roberto foi distinto por mesclar o samba a outros ritmos, entre eles, afoxé, maracatu e outros ritmos africanos.

Dessa forma a apresentação de sexta-feira pretende fazer com que as pessoas reconheçam a importância de um sambista que caiu no esquecimento da mídia. “Quero que quem já conhece a obra de Roberto Ribeiro se lembre dele e, aqueles que não tiveram contato com a arte de um dos principais intérpretes do samba, aprenda mais sobre este artista”, revela o idealizador do tributo, Adriano Passos, que já possui uma vasta experiência no samba maranhense e que, atualmente, integra o grupo Conversa de Botequim, turma de bambas que anima as tardes de sábado no Restaurante Cantinho da Estrela.

Ele revela ainda que a parceria do Regional Feitiço da Ilha é para que o show se aproxime ao máximo dos grupos regionais que acompanhavam Roberto Ribeiro em seus espetáculos.

O HOMENAGEADO – Roberto Ribeiro nasceu Dermeval Miranda Maciel em 1940 em Campos dos Goytacazes (RJ). Saiu de sua cidade natal em 1965, para tentar a vida de goleiro de futebol no Rio de Janeiro. Chegou a treinar no Fluminense, mas a carreira de jogador de futebol não foi adiante.

Foi apresentado ao Império Serrano, pela irmã do compositor Jorge Lucas, quando já se apresentava em alguns programas de rádio. Em 1971, recebeu convite para puxar o samba da Império Serrano, o que o fez novamente de 1974 até 1981.

Gravou discos notáveis e músicas memoráveis. Favela, Propagas, Acreditar, Estrela de Madureira, Tempo Ê, Vazio e Todo menino é um rei são exemplos de sambas imortalizados em sua voz melodiosa e sua cadência sem igual. Roberto Ribeiro morreu em janeiro de 1996, vítima de um atropelamento em Jacarepaguá, ao mesmo tempo que sofria de problemas de visão. As grandes parcerias de sua carreira se consagraram com Dona Ivone Lara, Clara Nunes, Monarco, Beth Carvalho e Elza Soares.

SERVIÇO:

O quê: Tributo a Roberto Ribeiro.
Quem: Adriano Passos e Regional Feitiço da Ilha.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela, Rua do Giz, 175 (em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: dia 15 (sexta-feira), a partir das 21h.
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: (98) 8724-2940.

Samba com Mandinga no Chorinho no Cantinho

17 dezembro 2009

Antes de embarcar para o Rio, Chico Nô apresenta repertório de seu disco no Restaurante Cantinho da Estrela.

Nesta sexta-feira, 18, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), a apresentação de Chico Nô, na noite batizada Chorinho no Cantinho, tem sabor de despedida.

Mas os apreciadores de choro, samba e música brasileira de qualidade em geral não precisam ficar tristes – a “despedida” é temporária: “Vou passar as festividades de fim de ano no Rio e fazer uma curtíssima temporada por lá”, explica o músico, casado com uma carioca.

O Regional Feitiço da Ilha, com Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) segurarão a peteca, recebendo alguns convidados nas próximas sextas-feiras – Chico Nô não informou ainda sua data de retorno.

No show de sexta, Chico Nô, entre clássicos da música brasileira, mostrará o repertório de seu primeiro disco, Samba com Mandinga, já mostrado em alguns palcos ludovicenses, a exemplo do projeto Clube do Choro Recebe e do Teatro Alcione Nazaré.

“Também estaremos vendendo e autografando o disco na ocasião, uma boa pedida a quem quiser presentear familiares e amigos com boa música produzida no Maranhão neste Natal”, provoca.

Festival – Chico Nô foi o vencedor do I Festival Universitário Som na Cuca, realizado na Universidade Federal do Maranhão, mês passado, com a música Berimbolado. “A gente faz música despretensiosamente e embora acredite em nosso trabalho é sempre uma agradável surpresa vencer um festival”, diz o músico, que teve o primeiro lugar concedido pelo júri técnico.

Sábados – Aos sábados, no mesmo endereço do Chorinho no Cantinho, Chico Nô comanda animada roda de samba acompanhado do grupo Conversa de Botequim. A animação começa às 17h. Para ambas as apresentações, o couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho.
Quem: Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 18 de dezembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Chico Nô, Feitiço da Ilha e Vinicius Queiroz no Cantinho da Estrela, nesta sexta

9 dezembro 2009

Repertório autoral, instrumental, cantado e clássicos de Martinho da Vila e Zeca Pagodinho serão lembrados pelos músicos.

Acompanhado do Regional Feitiço da Ilha, o cantor, compositor e violonista Chico Nô continua comandando a música às sextas-feiras no Bar e Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio.

Nesta sexta, 11, a partir das 19h30min, o bamba receberá, como convidado, o cantor e instrumentista Vinicius Queiroz, que cantará sambas autorais e pérolas dos repertórios de Martinho da Vila e Zeca Pagodinho, entre outros.

O Regional Feitiço da Ilha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão), além do próprio Chico Nô (voz, violão, percussão).

Sábado – No mesmo endereço, aos sábados, é a vez de Chico Nô comandar roda de samba regada a feijoada. O bom barulho tem início às 17h e o músico é acompanhado pelo grupo Conversa de Botequim.

Tanto sexta quanto sábado o couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00. Maiores informações: (98) 8814-1407, 8724-2940.

“Tem muito samba, muito choro e futebol”

25 novembro 2009

Chico Buarque e Tom Jobim recebem homenagem de Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha. Exposição sobre futebol será inaugurada no espaço Cantinho da Estrela.

Nesta sexta-feira (27) é a vez do cantor e compositor Chico Nô (voz, violão, percussão), acompanhado do Regional Feitiço da Ilha, render homenagens a Chico Buarque e Tom Jobim, sem dúvidas dois dos maiores mestres da canção brasileira. O tributo acontece dentro do projeto Chorinho no Cantinho, que acontece às sextas-feiras, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio)

Clássicos como Águas de março, Meu caro amigo, Lígia, As vitrines, Chega de saudade, A Rita, Eu sei que vou te amar e Valsinha, entre muitos outros, serão lembrados pelas mãos habilidosas de Domingos Santos (violão sete cordas), Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão).

“Eis um grande desafio, para o qual contaremos com as participações especialíssimas de Lena Machado, Joãozinho Ribeiro, Zezé Alves e Neto Peperi, para dividirmos as responsabilidades. Será uma noite especialíssima”, antecipa Chico Nô.

Na ocasião será aberta ainda a exposição Emoção e paixão em campo, do jornalista e fotógrafo mineiro Valdez Maranhão. Um conjunto de 35 fotografias retratando momentos de Atlético Mineiro, Cruzeiro e América – os três maiores clubes de Minas Gerais – enfrentando outros grandes clubes brasileiros.

Duas das imagens que compõem e exposição "Emoção e paixão em campo"

“O Brasil sempre é lembrado como o país do futebol, o país do samba, o país do choro. O espaço do Cantinho da Estrela casa perfeitamente com as três temáticas, então é mais que oportuno, realizar essa exposição aqui e mais, inaugurá-la ao som da homenagem a estes dois grandes mestres”, convida Chico Nô.

SERVIÇO

O quê: Chorinho no Cantinho, com Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha. Tributo a Chico Buarque e Tom Jobim. Participações especiais de Lena Machado, Neto Peperi, Joãozinho Ribeiro e Zezé Alves. Abertura da exposição fotográfica Emoção e paixão em campo, do fotógrafo mineiro Valdez Maranhão.
Quando: dia 27 de novembro (sexta), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Chico Nô do choro e do samba

17 novembro 2009

Músico comanda homenagem a grandes mestres da música brasileira e roda de samba, às sextas e sábados, no Cantinho da Estrela.

Já consolidado como mais novo palco do choro e samba de São Luís, o Restaurante Cantinho da Estrela volta a abrir suas portas aos mais brasileiros dos gêneros musicais. A festa começa às 19h30min, às sextas-feiras, sob a batuta de Chico Nô e dos bambas do Regional Feitiço da Ilha, formado, além dele (voz, violão e percussão), por Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão). O restaurante fica na Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio.

A cada sexta, Chico Nô e o Feitiço da Ilha têm prestado tributo a um ou dois mestres da música brasileira. E contado com a participação especial de ao menos um nome da cena ludovicense. Nesta sexta, o homenageado será Paulinho da Viola e o convidado será Oberdan Oliveira.

“Há vários nomes a que ainda prestaremos tributo. Paulinho da Viola é dono de uma obra vastíssima, bastante diversificada e, no entanto, é por vezes reconhecido como um compositor menor, se comparado a outros figurões da MPB, talvez justamente por ser diretamente identificado como sambista”, diz Chico Nô. “Nossa ideia, ao homenageá-lo, é justamente tentar desmitificar isso”, conclui.

As apresentações de Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha, às sextas-feiras, no Cantinho da Estrela, são divididas em duas partes: na primeira, instrumental, os músicos passeiam por clássicos do choro; na segunda, Chico Nô canta clássicos do samba e da música popular brasileira, recebendo um convidado especial.

Sábados – Aos sábados, com o grupo Conversa de Botequim, é a vez do cantor e compositor comandar animada Roda de Samba regada a feijoada. “O restaurante funciona normalmente, servindo tudo o que está disponível em nosso cardápio”, explica Dadá, proprietária do espaço. O “samba com feijão” tem início às 17h, sob a sombra das árvores da Praça Valdelino Cécio, localizada em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. Tanto sexta quanto sábado, o couvert artístico custa apenas R$ 5,00.

SERVIÇO

Sexta-feira, 20
O quê: Chorinho no Cantinho
Quem: o cantor e compositor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha e convidados.
Quando: dia 20 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Sábado, 21
O quê: Samba com Feijão
Quem: o cantor e compositor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 21 de novembro (sábado), às 17h.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407 e/ou 8724-2940.

Pixinguinha, Mestre Vieira e o Feitiço da Ilha

11 novembro 2009

Grupo liderado por Chico Nô homenageará os mestres.

Pixinguinha e Mestre Antonio Vieira receberão homenagens do cantor e compositor Chico Nô e do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, 13, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Chico Nô celebrará Pixinguinha e Mestre Vieira, sexta

Alfredo da Rocha Viana, o Pixinguinha, terá músicas tocadas tanto na parte instrumental da noite, quanto na parte cantada. “Pixinguinha é um dos maiores mestres do choro e da música brasileira como um todo. Tem muitas peças instrumentais bastante conhecidas e populares, mas também muitos compositores puseram letras em suas belíssimas melodias”, adiantou Chico Nô (foto), citando, entre outras, Lamentos, Rosa, Carinhoso e Iaô, entre outras que estarão no repertório de sexta-feira.

Formado pelo próprio Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão), o Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o cantor Neto Pepperi, um dos grandes sambistas maranhenses, formado na escola da noite, sempre prestigiando grandes mestres, como o homenageado Antonio Vieira, falecido em abril aos 88 anos, Cesar Teixeira e Josias Sobrinho, entre outros.

Já tendo feito homenagens a Noel Rosa e Cartola, as noites de sexta-feira no Cantinho da Estrela já se tornaram o novo point da Praia Grande para os apreciadores de boa música. Eis uma boa pedida. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – Também integrado por Chico Nô, o grupo Conversa de Botequim realiza, aos sábados, a partir de meio-dia, uma roda de samba regada a feijoada. No mesmo endereço. Neste sábado, 14, o grupo ocupará a praça Valdelino Cécio, em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. “Com o fechamento da Padaria do Francês, esse importante cartão postal, que tem o nome de um importante poeta, está abandonada, escura, maltratada. Nosso samba-ocupação é uma tentativa de reanimá-la e para isso a gente conta com a presença dos amigos e dos apreciadores de boa música”, explicou Chico Nô, fazendo um chamamento ao público.

SERVIÇO SEXTA 13

O quê: Homenagem a Pixinguinha e Mestre Vieira.
Quem: o cantor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 13 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

SERVIÇO SÁBADO 14

O quê: Roda de Samba com Feijoada.
Quem: o cantor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), ao meio-dia.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

Chico Nô e Urubu Malandro são as atrações do Clube do Choro Recebe

4 novembro 2009

Clássicos do choro nacional e de grandes mestres do Maranhão serão lembrados sábado (7).

A 101ª. edição do projeto Clube do Choro Recebe leva ao palco da Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, 129, Praia Grande), a ginga dos bambas do Regional Urubu Malandro, que outrora tinha entre seus integrantes o saudoso mestre Antonio Vieira: Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone. A apresentação acontece neste sábado, 7, a partir das 19h30min.

Chico Nô

Clube do Choro Recebe integra agenda intensa do músico

O grupo batizado por um clássico do choro – Urubu Malandro, de Pixinguinha, Loro e João de Barro – reviverá outros. Na ocasião, terão como convidado o cantor, compositor e violonista Chico Nô (foto), maranhense de Imperatriz, há muito radicado na Ilha capital. Entre obras de nomes como Pixinguinha – Rosa, Lamentos –, Tom Jobim e Chico Buarque, o artista reserva repertório de nomes maranhenses para sua apresentação. Antecipa temas como Saiba, rapaz (Joãozinho Ribeiro), Terra de Noel (Josias Sobrinho), além de Chorinho de Herança, parceria sua com Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe, música que já havia sido lançada como single e foi novamente gravada por Lena Machado – a mesma cantora que a lançou – em seu segundo disco, Samba de Minha Aldeia, a sair ainda em 2009.

Agenda intensa – O cenário musical, gastronômico e boêmio da Praia Grande, aos poucos, está mudando de endereço: deixou o antigo Largo do Comércio (Rua da Estrela) e ocupa agora, principalmente, a Rua do Giz. Chico Nô é bamba que lidera rodas de samba e choro no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 129, Praia Grande), ao lado dos regionais Feitiço da Ilha e Conversa de Botequim, ambos integrados por ele. Apresenta-se naquele palco todas as sextas (a partir das 19h30min) e sábados (a partir das 13h30min).

Músico autodidata, afirma: “Meu maior prazer é tocar e cantar. Então o público não deve esperar cansaço, apesar da agenda intensa. O Urubu Malandro tem integrantes comuns aos regionais com que tenho me apresentado com mais frequência, o que já garante entrosamento, além de ginga. Todos nós temos muito prazer em tocar, é uma diversão, uma festa”, promete e garante Chico Nô.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 101ª. edição.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe o cantor, compositor e violonista Chico Nô.
Quando: dia 7 de novembro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

“Onde está a honestidade?” mostra a atualidade de Noel Rosa e Gonzaguinha

27 outubro 2009

Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha prestam tributo a Noel Rosa e Gonzaguinha com participações especiais de Josias Sobrinho, Lena Machado e Chico Chinês.

Chico Nô

Foto: Paulo Socha

À frente do Regional Feitiço da Ilha – que já traz no nome explícita citação a Noel Rosa – o cantor e compositor Chico Nô (foto) tem animado as noites de sexta-feira no novo endereço de música, gastronomia e boemia da Praia Grande: o Restaurante Cantinho da Estrela, na Rua do Giz, em frente à Praça Valdelino Cécio – a casa funcionava na rua que lhe batizava, tendo mudado recentemente de endereço.

Nesta sexta, 30, a apresentação já tradicional ganha atrativos extras: Chico Nô prestará homenagens a dois compositores de sua admiração, os cariocas Noel Rosa e Gonzaguinha, no show Onde está a honestidade?

“Vivemos uma época em que os meios de comunicação não param de noticiar escândalos, principalmente políticos. Noel Rosa e Gonzaguinha foram, cada um a seu tempo e de sua maneira, tradutores em música da alma do povo, de seus reclames. Por isso suas obras permanecem tão atuais”, declarou Chico Nô explicando o título de seu espetáculo.

Como convidados, o músico nascido em Imperatriz receberá o compositor Josias Sobrinho, a cantora Lena Machado e o cantor e percussionista Chico Chinês. Chico Nô completa: “Eles também homenagearão Noel e Gonzaguinha, mas em suas participações a gente deverá cantar também coisas autorais. No disco de Lena, por exemplo, que está por sair, ela gravou coisas minhas e de Josias”.

Além de Chico Nô (voz e violão), o Regional Feitiço da Ilha é formado por Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão).

SERVIÇO

O quê: Onde está a honestidade? Show com Chico Nô e Regional Feitiço da Ilha com participações especiais de Lena Machado, Josias Sobrinho e Chico Chinês.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, em frente à Praça Valdelino Cécio, Praia Grande).
Quando: dia 30 de outubro (sexta-feira), a partir das 19h.
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).

Clube do Choro Recebe completa 100 edições

26 outubro 2009

Data marcante será celebrada com a visita da cantora cearense Fhátima Santos, convidada de sábado (31) do projeto.

A cantora cearense volta a mostrar seu talento no palco do Clube do Choro Recebe

A cantora cearense volta a mostrar seu talento no palco do Clube do Choro Recebe

O projeto Clube do Choro Recebe completa 100 edições neste sábado, 31. A marca especial será celebrada com a voz e a presença de palco marcantes da cantora cearense nascida em Alagoas Fhátima Santos (foto), que será recebida, na ocasião, pelos bambas do Instrumental Pixinguinha: Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Nonatinho (pandeiro) e Raimundo Luiz (bandolim e rabeca).

“Esse projeto tem uma importância sem tamanho para oxigenar a música no Maranhão e para tornar mais bela a nossa cidade. Os músicos, a partir dele, começaram a ter um olhar mais amplo sobre os resultados para o coletivo, para o movimento choro, de como isso tem gerado resultados para todos, já que não é um projeto com dono: é de todos nós que gostamos de choro e de boa música em geral”, afirma Ricarte Almeida Santos, produtor e apresentador do Clube do Choro Recebe – e do Chorinhos e Chorões, único programa de rádio maranhense dedicado ao gênero, que vai ao ar aos domingos, às 9h, na Rádio Universidade FM (106,9MHz, audível on-line e em tempo real também pelo site http://www.universidadefm.ufma.br).

A convidada da 100ª. edição do Clube do Choro Recebe é uma das mais versáteis intérpretes da noite da capital alencarina. “Musa dos notívagos”, para o jornalista Laécio Ricardo, Fhátima Santos passeia entre o romântico, o samba, o blues, o jazz e o bolero. Com a mesma desenvoltura e talento. No repertório de sábado, entre outros, compositores como Chico Buarque – a quem dedicou um disco inteiro – Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Noel Rosa e Cartola.

O Instrumental Pixinguinha foi o primeiro grupamento maranhense de choro a gravar um disco completamente dedicado ao mais brasileiro de todos os gêneros musicais: Choros maranhenses (2006) registra composições de seus próprios integrantes e de mestre do gênero, todos nascidos no Maranhão.

É a segunda vez que Fhátima Santos se apresenta no Clube do Choro Recebe.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís e Rádio Universidade FM e parceria de JL Music Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 100ª. edição.
Quem: o Instrumental Pixinguinha recebe a cantora cearense Fhátima Santos.
Quando: dia 31 de outubro (sábado), às 19h30min.
Onde: Pousada Portas da Amazônia/ La Pizzeria (Rua do Giz, Praia Grande).
Quanto: R$ 10,00 (entrada).
Maiores informações: clubedochorodomaranhao@gmail.com e/ou ricochoro@hotmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís e Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Music Studios e Solar Consultoria.

As voltas do Urubu Malandro e Milla Camões

14 julho 2009

Urubu Malandro volta ao palco do Clube do Choro Recebe. Grupo será anfitrião da cantora Milla Camões.

O grupo Urubu Malandro volta a se apresentar no Clube do Choro Recebe (Restaurante Chico Canhoto, Residencial São Domingos, Cohama), neste sábado (18), a partir das 19h30min. Depois do falecimento de Mestre Antonio Vieira, em abril passado, o grupo formado por Arlindo Carvalho (percussão), Caio Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco e Osmar do Trombone fez uma única apresentação: um tributo ao compositor de Cocada, no mesmo palco, dia 9 de maio, quando Vieira completaria 89 anos.

Tendo como anfitriões os bambas do Urubu Malandro, Milla Camões volta ao palco do Clube do Choro Recebe. Foto: Divulgação

Tendo como anfitriões os bambas do Urubu Malandro, Milla Camões volta ao palco do Clube do Choro Recebe. Foto: Divulgação

Desta vez a trupe de bambas terá como convidada a cantora Milla Camões, que está em estúdio, finalizando seu disco de estreia, sob a direção musical de Celson Mendes (Quinteto Bom Tom). O lançamento está previsto para acontecer ainda em 2009. No início do mês, Milla realizou o show A caminho (Zig Bar, 4/7), celebrando seus dez anos de carreira.

Sua apresentação anterior no Clube do Choro Recebe já tem mais de um ano. Agora ela volta, acompanhada por outro grupo: “É a primeira vez que canto acompanhada pelo Urubu Malandro. Em homenagem a Seu Vieira vamos fazer Na cabecinha da Dora”, promete Milla Camões, que adianta, ainda, sobre o show, que fará “dois choros clássicos e um repertório mais voltado ao samba e à MPB, como chamam por aí, com canções de Rosa Passos e Caetano Veloso, além de sambistas consagrados como Paulinho da Viola”. Sobre o restante do repertório, ela prefere guardar segredo. E arremata: “espero de coração que saia bem legal e que todos gostem”.

O projeto Clube do Choro Recebe tem apoio cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 86ª. edição.
Quem: o grupo Urubu Malandro recebe a cantora Milla Camões.
Quando: dia 18 de julho (sábado), às 19h30min.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 8,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com, chicocanhoto@ymail.com e/ou clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.