Posts Tagged ‘enchentes’

Seminário discutirá eventos de enchentes e secas no Maranhão

17 janeiro 2011

Iniciativa do Comitê de Monitoramento das Políticas Voltadas às Vítimas das Enchentes no Maranhão acontece quarta-feira no Sindicato dos Bancários

As enchentes que ora se abatem sobre o Rio de Janeiro não deviam ser tratadas como evento de emergência. Tragédia anunciada, leva a população, o poder público e os meios de comunicação a buscar culpados. As cenas de destruição – de moradias, cidades e vidas – vem se repetindo, ano a ano. E não são exclusividade carioca. Ou da Região Sudeste.

O Comitê de Monitoramento das Políticas Voltadas às Vítimas das Enchentes no Maranhão realiza, no próximo dia 19 de janeiro (quarta-feira), a partir das 8h, o Seminário “Maranhão no aperreio: a dificuldade do povo nos eventos de enchentes e secas”, no Sindicato dos Bancários (Rua do Sol, 413/417, Centro). Inscrições e maiores informações pelos telefones (98) 3231-1601 e 3231-1897 e/ou e-mail smdh@terra.com.br

O seminário objetiva discutir as perspectivas de preparação do governo para o já iniciado período de chuvas e suas consequências, assim como discutir os recorrentes eventos de secas e enchentes que se revezam anualmente, fragilizando cada vez mais a população do Estado, particularmente moradores/as das zonas rurais e periferias urbanas. O nome é inspirado no documentário Aperreio, de Doty Luz e Humberto Capucci, realizado a partir de encomenda do Comitê, com apoio da Oxfam, que também apoia a realização do Seminário. Aperreio foi recentemente premiado como melhor documentário, no Curta Carajás, no Pará.

Associação Agroecológica Tijupá, Cáritas Brasileira Regional Maranhão, Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, MST e União por Moradia Popular estão entre as organizações que compõem o Comitê. Veja a seguir, a programação completa do seminário.

PROGRAMAÇÃO

Dia 19 de janeiro (quarta-feira)

8h30min – Abertura: boas vindas aos participantes e apresentação da proposta do Seminário (Representantes do Comitê de Monitoramento das Políticas Voltadas às Vítimas das Enchentes do Maranhão)

9h – Painel I: Cenários de mudanças climáticas (enchentes e secas) no Maranhão e a previsão da atuação do Governo. Palestrantes: Márcio Eloi (Meteorologista do Laboratório de Meteorologia do Núcleo Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão), Cel. Marcos Sousa Paiva (Coordenador da Defesa Civil Estadual do Maranhão), Júlio César Correia (Superintendente da Defesa Civil de São Luís), Francisco de Assis Castro Gomes (Secretário de Estado de Desenvolvimento Social), Francisco José de Moraes Alves (Superintendente Estadual do Banco do Nordeste) e Conceição Andrade (Secretária Estadual de Desenvolvimento Agrário do Maranhão).

11h – Debate

12h – Intervalo: almoço

14h – Apresentação cultural

14h15min – Exibição do Documentário Aperreio

14h40min – Painel II: Perspectivas de atuação da sociedade civil frente aos próximos cenários de mudanças climáticas. Palestrantes: Elenita Almeida (Coletivo de Mulheres Trabalhadoras Rurais / Comitê de Monitoramento das Políticas Voltadas às Vítimas das Enchentes do Maranhão), Ermelinda Maria Dias Coelho (Fórum Maranhense de Segurança Alimentar e Nutricional), Raimundo César Martins (Fórum de Direitos Humanos do Maranhão) e Francisco Sales (Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão).

16h – Debate

16h30min – Planejamento do enfrentamento dos eventos climáticos em 2011 (Momento reservado às organizações que compõem o Comitê)

17h30min – Encerramento

Anúncios

“Café com Direitos Humanos” tem cultura na pauta

6 dezembro 2010

Exibição de documentário, lançamento de livro e disco e show musical compõem a programação, destacando a cultura maranhense

A Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH)/Escritório Brasília reúne, sempre às últimas quartas-feiras do mês, militantes de direitos humanos e a comunidade em geral, no Café Cultural da Caixa, no Setor Bancário Sul.

O Café com Direitos Humanos pretende disseminar uma nova concepção de Direitos Humanos, que se contraponha à naturalização da violência, resgate a vida como um valor fundamental e incorpore as dimensões de direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais. O acontecimento traz os direitos humanos numa perspectiva informal e com diferentes enfoques e expressões culturais.

Nesta quarta-feira (8) será realizada a segunda edição do Café com Direitos Humanos, a partir das 18h30min. Expressões culturais maranhenses serão fortemente manifestadas. “A partir da execução nacional do Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas, o Provita, pela SMDH temos um escritório em Brasília. É preciso valorizarmos o M de nossa sigla”, comenta a advogada Joisiane Gamba, da coordenação da entidade.

Às 18h30min será exibido o documentário Aperreio (2010, 20min.), curta-metragem de Doty Luz e Humberto Capucci, feito sob encomenda do Comitê de Monitoramento às Políticas Voltadas às Vítimas das Enchentes no Maranhão, integrado pela SMDH e outras entidades do movimento social maranhense. O filme conta, sob a ótica dos saberes e cultura populares, as tragédias por que passaram diversos municípios do Estado em 2008 e 2009.

Em seguida, a jornalista, socióloga e professora universitária Helciane Araújo lança seu livro Memória, mediação e campesinato: as representações de uma liderança sobre as lutas camponesas da pré-Amazônia maranhense. A obra, através da pesquisa de uma história de vida, traça uma análise sociológica das representações de uma liderança camponesa, Manoel da Conceição, sobre a sua trajetória de vida e a história política do Maranhão. Mané, como gosta de ser chamado, recebeu recentemente o título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Manoel da Conceição é ainda homenageado pelo cantor e compositor Gildomar Marinho. O carimbó elétrico Batalha do cerrado, de seu segundo disco, Pedra de Cantaria, é uma espécie de microbiografia musical do líder camponês. O músico maranhense radicado em Fortaleza/CE lançará seu novo  disco no Café com Direitos Humanos. Ainda em dezembro ele fará show de lançamento em São Luís.

A SMDH – Criada em 12 de fevereiro de 1979, no bojo das lutas pela anistia, a SMDH configurou-se como uma entidade da sociedade civil de natureza pública e um espaço político de denúncia contra o arbítrio e a violência, fatos comuns durante o regime ditatorial. Para isso, adotou como uma das linhas de ação a assessoria jurídica e a formulação de denúncias e reivindicações oriundas das comunidades, junto aos governos.

A SMDH tem participado de redes temáticas de interesse técnico e institucional entre as organizações que defendem os direitos humanos e a natureza, tais como os Conselhos Estaduais de Desenvolvimento Rural Sustentável, de Igualdade Racial,  e de Defesa dos Direitos Humanos. Integra a Associação Brasileira de ONGs (ABONG), a Plataforma Brasileira de Direitos Humanos Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais (Dhesca) e o Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH).

Cáritas Brasileira: SOS Pernambuco e Alagoas

28 junho 2010

Cáritas e CNBB lançam campanha em favor das vítimas das enchentes em Pernambuco e Alagoas

 Maiores informações no site da Cáritas Brasileira.

Comunidade constroi e inaugura novas casas

22 fevereiro 2010

Lago da Pedra/MA: Em Nova Unha de Gato, com recursos solidários e em regime de mutirão, comunidade inaugurará casas que construiu. 73 unidades habitacionais diminuirão o déficit gerado pelas enchentes desde 2008. Moradores foram assessorados pela Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Comunidade inaugurará 73 casas construídas em regime de mutirão

2008: 206 casas são destruídas pelas enchentes no povoado Unha de Gato, em Lago da Pedra/MA, distante 310km da capital – a comunidade fica a 45km da sede. O rompimento de diversos açudes na região tornou a tragédia ainda maior: a força da água ia destruindo o que encontrava pela frente. Além das casas – o número representa a quantidade que havia no povoado –, as famílias também perderam bens. Apesar da tragédia, os moradores dão graças a Deus pela não-ocorrência de óbito.

2009: a cena se repete. Novas enchentes assolaram o Maranhão. Moradores de Unha de Gato já habitavam casas “remendadas” que não resistiram à nova investida das águas.

2010: após uma campanha liderada pela Cáritas Brasileira e o trabalho árduo em regime de mutirão, 73 casas de alvenaria e uma casa de farinha serão inauguradas neste sábado (27), em outra área, que está sendo chamada de Nova Unha de Gato. A nova área fica no alto, livre do risco de enchentes. As atividades do dia celebrativo, que incluirá celebração ecumênica, almoço e apresentações musiculturais, terão início às 10h e se estenderão até a noite.

213 mil reais foram empregados na construção das residências – aproximadamente R$ 2.917,00 por unidade –, recursos angariados pela Cáritas através de projetos junto à Catholic Relief Services (CRS) do Brasil, e acessados da campanha nacional SOS Norte Nordeste 2009, administrados pela Cáritas Brasileira e Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), organismos da Igreja Católica.

Além do regime de mutirão em que a comunidade se inseriu – o que certamente barateou os custos finais – algumas campanhas locais foram realizadas: “um comerciante dava um saco de cimento, outro uma carrada de barro, outro não sei quantos tijolos”, contam os moradores.

“É claro que essas 73 casas não atendem a demanda toda, afinal o povoado inteiro foi atingido. Mas é o que conseguimos por enquanto e isso foi uma forma também de exercitar a solidariedade. Para se ter uma ideia, seriam 72 casas e eles resolveram abrir mais uma janela em cada uma para que a sobra de material erguesse outra casa”, conta, emocionada, Lucineth Machado, assessora da Cáritas Brasileira Regional Maranhão que tem acompanhado mais de perto as ações emergenciais.

A comunidade, assessorada pela Cáritas, está estudando editais e projetos que possam assegurar a construção de mais 133 unidades habitacionais, de forma a zerar o déficit provocado pela tragédia naquele local – estas famílias permanecem na Unha de Gato original, sob o iminente risco de novas tragédias. O poder público municipal, até aqui ausente de todo o processo, anunciou a construção de uma escola no povoado, para a qual serão destinados recursos da ordem de 280 mil reais.

SERVIÇO

O quê: inauguração de 73 casas e casa de farinha em Nova Unha de Gato.
Onde: Comunidade Nova Unha de Gato, em Lago da Pedra/MA.
Quando: dia 27 de fevereiro (sábado), 10h.
As casas foram construídas em regime de mutirão pela própria comunidade, com recursos da CRS-Brasil e da campanha nacional SOS Norte/Nordeste 2009, fundo administrado pela Cáritas Brasileira e CNBB.

Redação: Zema Ribeiro, assessor de comunicação da Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Famílias vitimadas pelas enchentes continuam a receber apoio da Cáritas no Maranhão e Piauí

26 junho 2009

Além da ação emergencial, Cáritas defende a mobilização das famílias para a conquista de direitos e está trabalhando em projetos de reconstrução de casas e recuperação de produção agricola.

POR ZEMA RIBEIRO*

Projeto realizado em parceria pelos secretariados regionais da Cáritas Brasileira no Maranhão e Piauí com recursos da Cáritas Alemã e do Governo da Alemanha beneficiarão mais 2.050 famílias nos dois estados.

No Maranhão receberão kits de higiene, de limpeza, de dormir e cestas básicas, famílias dos municípios de Arari, Bacabal, Codó, Itapecuru-Mirim, Monção, São Luiz Gonzaga, Trizidela do Vale e Vitória do Mearim.

Os kits de higiene são compostos por dois sabonetes, dois cremes dentais (250g cada), três escovas de dente, um xampu, um condicionador e um pacote de fralda infantil de algodão; os de limpeza têm dois litros de água sanitária, duas caixas de sabão em pó (500g cada), cinco barras de sabão em pedra, um litro de desinfetante e um filtro com velas.

Duas redes, dois lençóis de solteiro, um mosqueteiro de rede e um de cama são o conteúdo do kit de dormir. As cestas básicas contêm cinco quilos de arroz, três quilos de feijão, dois pacotes de macarrão, três latas de sardinha, dois pacotes de leite em pó, dois pacotes de biscoito, dois quilos de açúcar, três pacotes de café, um litro de óleo, dois quilos de farinha, um quilo de sal e dois pacotes de fubá de milho.

Essa não é a primeira ação da Cáritas Brasileira em atendimento às emergências com as cheias que castigaram boa parte das regiões Norte e Nordeste este ano. Mês passado a Cáritas Brasileira Regional Maranhão distribuiu cerca de 100 mil reais em kits de limpeza a famílias atingidas em cinco municípios (Bacabal, Codó, Pedreiras, São Luiz Gonzaga e Trizidela do Vale), recursos recebidos da USAID (a Agência de Desenvolvimento ianque), via CRS (Catholic Relief Services, organismo da Igreja Católica Internacional).

“A primeira preocupação quando ouvimos falar em tragédias como as enchentes e nas suas consequentes vítimas é com a alimentação. Famílias perdem toda a produção e ficam sem ter o que comer. Mas esta não pode ser a única: é preciso se preocupar com isso também, mas com a saúde dessas pessoas e em políticas públicas estruturantes, que garantam os direitos dos atingidos, já que sabemos, este quadro se repetirá ano a ano e, talvez, de forma ainda mais grave”, afirma Ricarte Almeida Santos, secretário executivo da Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Cáritas está trabalhando em projeto de reconstrução de moradias destruídas pelas enchentes. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Cáritas está trabalhando em projeto de reconstrução de moradias destruídas pelas enchentes. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

“A Cáritas trabalha na perspectiva de mobilizar as famílias para a conquista de direitos. Além de ações de caráter mais emergencial, como a distribuição dos kits e cestas, estamos tentando viabilizar projetos que garantam a reconstrução de casas, experiência piloto com 30 unidades, cujos recursos destinados a essa ação serão potencializados pelo regime de mutirão em que a comunidade de Unha de Gato [no município de Lago da Pedra/MA] trabalhará. Outro projeto em que estamos trabalhando é para tentar garantir também a recuperação das produções das famílias atingidas”, continua. A farinha adquirida para distribuição nas cestas básicas, por exemplo, é adquirida junto a grupos produtivos que integram a Rede Mandioca.

A Cáritas está articulando o trabalho de distribuição dos kits nos sete municípios que serão beneficiados agora. Participam das ações as equipes de Cáritas Diocesanas e das dioceses e paróquias naquelas cidades. Assessora da Cáritas Brasileira Regional Maranhão, Lucineth Cordeiro visitará os municípios: “Alguns municípios já têm equipes estruturadas para proceder a distribuição dos kits e cestas. Em outros, o trabalho começará praticamente do zero”, afirmou.

DOAÇÕES – Interessados em realizar doações à Cáritas Brasileira Regional Maranhão podem procurar a entidade, vinculada à Igreja Católica, em horário comercial, em sua sede, localizada na Rua do Alecrim, 343, Centro, São Luís/MA. O telefone é (98) 3221-2216. Para doações em dinheiro, interessados podem depositar qualquer quantia no Banco do Brasil (001), Agência 2972-6, conta corrente nº. 32.655-0.

*ZEMA RIBEIRO é assessor de Comunicação da Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Cáritas e Defesa Civil celebram termo de cooperação e parceria

3 junho 2009

Documento lista obrigações das partes quanto à distribuição de kits de limpeza em municípios atingidos pelas enchentes no Maranhão.

A Cáritas Brasileira Regional Maranhão e a Defesa Civil Estadual assinaram na última segunda-feira (1º) um termo de cooperação e parceria para proceder a entrega de kits de limpeza em municípios atingidos pelas enchentes no Maranhão. O documento foi assinado por Ricarte Almeida Santos, representando a entidade vinculada à Igreja Católica, e pelo Cel. Marcos Sousa Paiva, Comandante Geral do Corpo de Bombeiros do Maranhão. Os kits foram adquiridos através de projeto aprovado junto à USAID (a agência de desenvolvimento norte-americana, na sigla em inglês), através da CRS Brasil (Catholic Relief Services), e atenderão 3.270 famílias nos municípios de Bacabal, Codó, Pedreiras, São Luiz Gonzaga e Trizidela do Vale.

O objetivo do termo celebrado é, de acordo com sua redação,“efetivar a distribuição de produtos de higiene e limpeza às famílias desabrigadas pelas enchentes”. As equipes de Cáritas Diocesanas ajudarão a Defesa Civil Estadual nessa tarefa, além de ter um caráter pedagógico, de orientação e acompanhamento junto às famílias.

Famílias amontoam pertences e dividem espaço dos abrigos com animais domésticos. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Famílias amontoam pertences e dividem espaço dos abrigos com animais domésticos. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

“Esses cinco municípios foram eleitos como prioritários por terem as situações mais alarmantes entre as cidades atingidas pelas enchentes no Estado. Dada a limitação orçamentária do projeto, de apenas 50 mil dólares, precisamos eleger prioridades”, explicou Ricarte Almeida Santos.

O objetivo do projeto é a aquisição de kits de limpeza para distribuição junto às famílias atingidas. Ricarte comenta: “A ideia é evitar as tragédias complementares, isto é, aquelas que pegam caronas na calamidade que a enchente já é por si só e agravam ainda mais a situação, como por exemplo, doenças cuja transmissão fica ainda mais fácil com as enchentes, a exemplo de leptospirose e doenças de pele em geral”.

800 famílias serão beneficiadas com kits de limpeza em Bacabal; em Codó, 470; 700 em Pedreiras; 500 em São Luiz Gonzaga e 800 em Trizidela do Vale. Cada kit é composto por dois panos de chão, uma vassoura, um pacote com cinco barras de sabão, dois litros de água sanitária, dois pacotes de sacos de lixo, dois baldes (um de cinco e um de dez litros), um rodo e uma caixa de sabão em pó (meio quilo).

Uma comitiva formada por Ricarte Almeida Santos, Lucineth Machado (da Cáritas Brasileira Regional Maranhão), Holly Inureta (da CRS Internacional) e Rogenir Costa (da CRS Brasil) viaja amanhã (3) para nova visita aos municípios que serão atendidos por esta ação.

DOAÇÕES – Organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Cáritas Brasileira tem 53 anos de atuação na defesa, proteção e promoção dos direitos humanos. Na situação de emergência em que se encontra o Maranhão, a entidade tem recebido doações e levado os donativos aos atingidos nos municípios, através das equipes de Cáritas Diocesanas.

Antes do projeto alvo do termo de cooperação e parceria recentemente assinado, a Cáritas já encaminhou 772 cestas básicas, 407 kits de limpeza, 500 litros de água sanitária e 1.044 peças de roupas, oriundas de doações nas Paróquias de São João (Centro) e do Espírito Santo (Liberdade). Doações de alimentos, roupas, calçados e colchões, arrecadados junto a alunos e funcionários do Colégio Santa Teresa foram encaminhados aos atingidos de Pedreiras. “Só temos a agradecer pelo gesto de solidariedade concretizado através dessas doações, em nome das pessoas desabrigadas e sem condições de agradecer diretamente a vossa preocupação para com eles”, agradeceram os padres Wagner Pereira e Valdenício da Silva, daquele município.

Famílias estão alojadas onde animais se alimentavam e defecavam. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Famílias estão alojadas onde animais se alimentavam e defecavam. Foto: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

A Cáritas Brasileira está com dois projetos em tramitação: um junto ao governo alemão, com interveniência da Cáritas Alemã, possivelmente atendendo os estados do Maranhão e Piauí – este projeto trabalhará com kits de limpeza, higiene pessoal e objetos de dormir, atendendo cerca de 1.500 famílias por estado. A visita da CRS também deverá injetar, em um novo projeto, mais 30 mil dólares para ações emergenciais. A Cáritas Brasileira Regional Maranhão também integra o comitê estadual de acompanhamento das ações junto aos atingidos pelas enchentes. “Este tem sido um quadro trágico que se repete a cada ano. É preciso que os atingidos se organizem e participem dos debates. Nossa atuação, institucionalmente, sempre foi pautada pela luta pela efetivação de políticas públicas. Nem podemos parar no mero assistencialismo, nem deixá-los crer que a doação de cestas básicas e kits de limpeza resolve o problema. Ano que vem, vai chover novamente e não é justo que essas pessoas paguem novamente um preço altíssimo por essas tragédias”, explicou Ricarte Almeida Santos.

A Cáritas Brasileira Regional Maranhão também possui uma conta corrente específica para doações às vítimas das enchentes. Qualquer valor pode ser depositado no Banco do Brasil (001), Agência 2972-6, conta corrente 32.655-0. Donativos também podem ser entregues na sede da entidade, localizada na Rua do Alecrim, 343, Centro, São Luís/MA. O telefone para contatos e maiores informações é (98) 3221-2216.

Agentes da Cáritas visitam vítimas das enchentes em Bacabal

28 maio 2009

Entrega de donativos, conhecimento da realidade e organização da ação junto à Defesa Civil foram os principais objetivos da viagem.

Bacabal sofre com um das piores enchentes da história do Maranhão

Bacabal sofre com um das piores enchentes da história do Maranhão

Dona Maria todos os dias vai até sua casa medir a altura da água. “Ainda dá acima dos peitos”, afirma. A água já chegou a cobrir-lhe inteira com os braços para cima. “A água baixa devagar. Talvez daqui a quinze dias, um mês, a gente pode voltar”, especula. Dona Maria é uma das cerca de mil pessoas alojadas na Expoaba, o parque de exposições agropecuárias de Bacabal, distante 260km da capital, onde algumas pessoas vivem sobre apriscos – currais onde bodes são expostos ao público durante a exposição e onde, consequentemente, se alimentam e defecam.

Famílias estão alojadas em apriscos de caprinos

Famílias estão alojadas em apriscos de caprinos

Este é um dos não poucos quadros trágicos encontrados por Lucineth Machado, Ricarte Almeida Santos e José Magalhães de Sousa, representantes da Cáritas Brasileira Regional Maranhão e do Secretariado Nacional da Cáritas, que visitaram Bacabal, ontem (27). Além de realizar a entrega de kits de limpeza adquiridos e donativos arrecadados às vítimas das enchentes e conhecer a realidade local, a viagem teve também como objetivo realizar uma reunião com a equipe local de Cáritas Diocesana.

Lonas cobrindo o espaço tornam a situação ainda pior: o calor é insuportável

Lonas cobrindo o espaço tornam a situação ainda pior: o calor é insuportável

Na reunião discutiram-se os procedimentos dos repasses dos kits de limpeza e donativos aos atingidos, o que será feito junto com a Defesa Civil estadual. Para esta finalidade, um termo de compromisso e parceria será assinado amanhã (29) entre a Cáritas Brasileira Regional Maranhão e a Defesa Civil do Maranhão. Um dos objetivos da participação das equipes locais de Cáritas nos municípios beneficiados pelo projeto emergencial junto à USAID (a agência norte-americana de desenvolvimento, na sigla em inglês) e a CRS Brasil é a garantia de transparência. A entrega deverá ser controlada e fiscalizada, garantindo tanto que os kits e donativos cheguem a quem realmente precisa, como que cheguem, primeiro, a quem mais precisa.

O representante do Secretariado Nacional da Cáritas Brasileira, José Magalhães de Sousa, informou que há outro projeto junto à Cáritas Alemã, cujos recursos deverão ser repassados nos próximos dias, para aplicação ainda em caráter emergencial.

Ele reafirmou ainda viver-se um momento de solidariedade, mas pediu a atenção das equipes de Cáritas e das vítimas, “para pensarmos em políticas e ações estruturantes, levantando necessidades para definir o que será feito para solucionar os problemas, sobretudo da fome, no momento pós-enchente”. Magalhães antecipou ainda que “a Cáritas está pensando em projetos de reconstrução de residências, garantindo moradia digna, e de melhoria da produção, através de hortas comunitárias e, no Maranhão, da ampliação da Rede Mandioca”, entre outros. A entidade dependerá de parcerias e do nível de organização e articulação da sociedade civil local.

Em sessão extra, A Lição arrecada donativos às famílias atingidas pelas enchentes

27 maio 2009

Espetáculo encerra temporada neste fim de semana
 
Em cartaz no Teatro Alcione Nazareth desde o dia 7 de maio, de quinta a domingo, A LIÇÃO encerra temporada neste fim de semana, com sessão extra para arrecadar donativos às famílias atingidas pelas enchentes no Estado. “Sabemos que a situação é muito grave, por isso não podíamos ficar inertes. Decidimos acrescentar uma sessão à temporada, na quinta-feira, às 18h30, onde as pessoas trocarão 2kg de alimento não perecível pelo ingresso”, explica o diretor Daniel Almeida. As doações recebidas serão entregues à Cáritas Brasileira Regional Maranhão, que fará a distribuição.
 
O espetáculo A LIÇÃO, texto do francês Ionesco, é uma tragicomédia de um ato que está sendo encenado pela primeira vez no Maranhão. A direção é de Daniel Almeida e tem no elenco Abel Lopes (de O assassinato do anão do C… grande), Letícia Lima (de Saraminda) e Vanessa Bastos (de O Grande circo viramundo). O espetáculo é recomendado para maiores de 14 anos.

Professor e governanta em ação em "A Lição". Foto: divulgação

Professor e governanta em ação em "A Lição". Foto: divulgação

Sinopse

A tragicomédia de um ato traz como personagens um professor (Abel Lopes), uma aluna (Letícia Lima) e uma governanta (Vanessa Bastos). Nesse clássico do Teatro do Absurdo, a aluna busca seu “doutoramento total” e procura o experiente professor de aulas particulares, que domina todos os assuntos. No processo de aprendizagem, em meio à geografia, matemáticas, filologia, filosofia… confrontam-se – em diálogos absurdos – as relações de poder, a busca pelo conhecimento, a ignorância, as fantasias secretas, o medo, a presunção, a dor, o problema universal da falha na comunicação, a dissimulação, a caricatura do real e tudo o mais que faça parte da condição humana – expostos de forma cômica (algumas vezes) mas também dramática, e até trágica. Tudo isso sob a observação atenta e cúmplice e a interferência da governanta (Vanessa Bastos), que se figura quase onisciente.
 
Nessa Lição é menos importante saber em que nível se situa a aula para o doutoramento total (educação básica, nível superior…) que compreender até onde pode chegar a explicação de uma simples lógica de subtração entre 4 e 3!
 
Patrocínio: SECMA, CREDI-SHOP e Estação Gráfica. Incentivo: TAN e Supermercados MATEUS. Apoio: Sindicato dos Bancários do Maranhão, Aguiar Engenharia, GUT, Faculdade São Luís, Solar Consultoria, Gráfica Autêntica, CACEM, COTEATRO, Aliança Francesa/Ano da França no Brasil e Prefeitura de São Luís/FUNC. 
 
Serviço:

Teatro: A LIÇÃO (Direção de Daniel Almeida)
Local: Teatro Alcione Nazareth (Centro de Criatividade Odylo Costa, filho – Praia Grande)
Horários: quinta e sexta (20h); sábado (18h e 20h); domingo (19h).
Classificação: 14 anos.
Ingressos à venda na bilheteria do TAN: R$5,00 (meia para estudantes).
Sessão Extra: quinta-feira, 28/05, às 18h30, com troca de ingressos por 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal)
Saiba mais em:
www.primeiroatosa.blogspot.com

[Release recebido da companhia Primeiro Ato S. A.]

Atingidos pelas enchentes em Viana e Cajari recebem visita de agentes da Cáritas

27 maio 2009

Representantes da entidade verificaram a situação e distribuíram cestas básicas e kits de limpeza.

Representantes da Cáritas Brasileira Regional Maranhão e da Cáritas Nacional visitaram ontem (26), os municípios de Viana e Cajari. Na ocasião verificaram in loco a situação dos atingidos pelas enchentes naqueles dois municípios – no primeiro reuniram-se com a equipe de Cáritas Diocesana local, pastorais sociais e Fórum de Cidadania – e procederam a distribuição de cestas básicas e kits de limpeza.

 
Agentes da Cáritas organizam a distribuição de cestas básicas

Agentes da Cáritas organizam a distribuição de cestas básicas

Lucineth Cordeiro Machado, da Cáritas Brasileira Regional Maranhão, apresenta o cenário encontrado: “Em Viana, a situação é peculiar. Apesar das enchentes, as famílias não deixaram as casas. Convivem com casas cheias d’água, a água pela cintura, com umidade e fedor insuportáveis”, explica. Ontem, em diversas residências visitadas, a água atingia ainda cerca de um metro de altura, nível que não está baixando. Em Viana foram distribuídas 50 cestas básicas e 50 kits de limpeza.

Ricarte Almeida Santos, secretário executivo da Cáritas Brasileira Regional Maranhão, explica: “Este projeto, em favor dos atingidos pelas enchentes, é fruto de um apoio obtido junto à Cáritas Alemã”. Indagado sobre os recursos da USAID, a agência de desenvolvimento americana, ele afirma: “Os recursos foram depositados na conta da Cáritas somente essa semana, quando procederemos a assinatura de um termo de parceria com a Defesa Civil estadual, que será responsável pelo encaminhamento dos kits de limpeza aos municípios beneficiados”.

Agentes da Cáritas visitam casa, habitada mesmo com a enchente

Agentes da Cáritas visitam casa, habitada mesmo com a enchente

Ontem também, 66 cestas básicas e 66 kits de limpeza foram distribuídos em Cajari. Cada cesta básica compreende cinco quilos de arroz, dois quilos de feijão, dois quilos de farinha, um litro de óleo, um quilo de macarrão, meio quilo de leite, três latas de sardinha, um quilo de sal, dois pacotes de biscoito água e sal, dois pacotes de fubá de milho, dois quilos de açúcar e um quilo de café. Cada kit de limpeza contém duas vassouras, dois baldes, dois panos de chão, água sanitária, dois pacotes de sabão, cinco barras de sabão em pedra, um desinfetante e quatro rolos de papel higiênico.

Ricarte Almeida Santos justifica o kit de limpeza: “Geralmente pensamos que a única necessidade das vítimas das enchentes é alimentação. Esta talvez seja realmente a primeira necessidade, mas um kit de limpeza também é importante, para evitar o que chamamos de tragédias complementares, ou seja, as doenças que se aproveitam das enchentes, o que já é uma tragédia em si, e rapidamente proliferam-se, desencadeando epidemias e gerando um novo grande problema”. E retoma: “Os recursos da USAID, por exemplo, serão integralmente usados na compra de kits de limpeza para os municípios de Bacabal, Codó, Pedreiras, São Luís Gonzaga e Trizidela do Vale”.

Paisagem desoladora é constante nos municípios visitados

Paisagem desoladora é constante nos municípios visitados

Para José Magalhães de Sousa, assessor do Secretariado Nacional da Cáritas Brasileira, “o que acontece é o aprofundamento de uma situação de extrema pobreza. O excesso de chuvas só vem a piorar bastante um quadro já bastante ruim. Por outro lado, fora a Cáritas e algumas pastorais sociais, não vemos nenhuma mobilização no sentido de organizar os atingidos e a sociedade civil local como um todo. Para ele “a distribuição de cestas básicas e kits de limpeza é importante e deve continuar, mas devemos pensar em projetos estruturantes. Nestes dois municípios, por exemplo, iremos tentar viabilizar projetos para a reconstrução de casas, mas isso depende de parcerias. No entanto, ou se faz algo do tipo ou ficaremos, ano a ano, acompanhando e intervindo junto às vítimas das enchentes”, finalizou.

Vários beneficiados com as cestas básicas e kits de limpeza previram “um ano de fome”, por conta da perda da produção agrícola.

*

Fotos: Acervo Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Cáritas e Clube do Choro: um show de solidariedade

28 abril 2009

Clube do Choro do Maranhão e Cáritas Brasileira Regional Maranhão realizam sarau cuja renda será revertida em favor dos desabrigados pelas enchentes no Estado.

 

Em parceria com a Cáritas, o Clube do Choro promove sarau solidário. Arte: Zema Ribeiro

Em parceria com a Cáritas, o Clube do Choro promove sarau solidário. Arte: Zema Ribeiro

 

Se as palavras harmonia, melodia, virtuosismo, acordes, cadência e ritmo lembram música e o Clube do Choro Recebe lembra música de qualidade, some-se a estes predicados solidariedade.

 

Parceria do Clube do Choro do Maranhão com a Cáritas Brasileira Regional Maranhão, a 79ª. edição do projeto terá mais esta boa causa como motivo para uma animada roda de choro.

 

O convidado para o sarau de sábado é o cantor e compositor Zé Lopes, natural de Bacabal, uma das cidades maranhenses mais castigadas pelas enchentes. Na ocasião, o artista terá como anfitriões os garotos do Regional Um a Zero: Henrique Jr. (violão), João Neto (flauta), Leozinho (pandeiro) e Roquinho (bandolim e cavaquinho).

 

Outra novidade para esta edição do Clube do Choro Recebe é o valor do ingresso: interessados em assistir essa apresentação podem trocar, antecipadamente ou na hora, dois quilos de alimentos não-perecíveis ou roupas por um ingresso. Quem preferir, também tem a opção de pagar os R$ 6,00 cobrados na entrada, valor que será integralmente revertido em favor das vítimas das enchentes.

 

ENCHENTES – No Maranhão, desde o início das chuvas, são mais de 20 municípios atingidos, com, até aqui, saldo de aproximadamente 60 mil desabrigados, com mais de seis mil pessoas alojadas em abrigos e outras mais de seis mil dividindo o teto com parentes e amigos, um cenário bastante desolador.

 

Para Ricarte Almeida Santos, secretário executivo da Cáritas Brasileira Regional Maranhão e coordenador e apresentador do Clube do Choro Recebe, “não podemos nos furtar de ajudar o próximo, lição cristã que precisamos sempre por em prática. Se as enchentes nos deixam tristes, com a situação dos desabrigados, elas não devem ser desculpa para a inércia. Devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para minimizar o sofrimento dessas pessoas”.

 

CAMPANHA – A parceria Cáritas/Clube do Choro marca o início de uma campanha em favor dos atingidos pelas enchentes no Maranhão. “Interessados em adquirir os ingressos antecipadamente já podem procurar o Restaurante Chico Canhoto ou a Cáritas Brasileira Regional Maranhão e trocar suas doações por ingressos. Doações maiores que os valores dos ingressos também serão muito bem vindas. Ser solidário é ser humano, a Cáritas e os vitimados só têm a agradecer”, convidou Lena Machado, entre os ofícios de membro da Coordenação Colegiada da Cáritas Brasileira Regional Maranhão e cantora, certamente uma das canjas confirmadas para o sarau de sábado. Indagada sobre outras iniciativas em favor das vítimas da enchente, ela afirma: “Solidariedade nunca é demais. Não tem medida”.

 

O Restaurante Chico Canhoto fica no Residencial São Domingos (Cohama). A sede da Cáritas Brasileira Regional Maranhão, na Rua do Alecrim, 343, Centro (próximo ao Palácio dos Esportes). O segundo endereço será ponto permanente de arrecadação de donativos para os desabrigados.

 

O Projeto Clube do Choro Recebe tem Apoio Cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e JL Studios e parceria da Solar Consultoria. A entrada custa apenas R$ 6,00.

 

SERVIÇO

 

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 79ª. edição.

Quem: o Regional Um a Zero recebe o cantor e compositor Zé Lopes.

Quando: dia 2 de maio (sábado), às 19h30min.

Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).

Quanto: os ingressos serão trocados por dois quilos de alimentos não-perecíveis e/ou roupas para os desabrigados pelas enchentes. Quem preferir, também pode pagar os R$ 6,00 de entrada, valor que será integralmente revertido em favor das vítimas das enchentes.

Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com e clubedochorodomaranhao@gmail.com

Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e JL Studios.

Parceria: Solar Consultoria.