Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Arcebispo de São Luís é o novo vice-presidente da CNBB

12 maio 2011

Posse da diretoria eleita acontece amanhã, 13, durante o encerramento da 49ª. assembleia da entidade

Dom Belisário foi eleito no segundo escrutínio com 215 votos

Arcebispo de São Luís, Dom José Belisário da Silva (foto) foi eleito vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) durante sua 49ª. asssembleia, em Aparecida/SP.

Bispo desde 2000, quando foi ordenado em sua cidade natal, Carmópolis/MG, Dom Belisário será vice de outro mineiro, Dom Raymundo Damasceno de Assis.

Eles terão a missão de dirigir a entidade até 2015. A CNBB completa 60 anos em 2012. Sua posse acontece amanhã, 13, na sessão de encerramento da assembleia. Após a posse, a presidência eleita dará sua primeira entrevista coletiva à imprensa. (Por Zema Ribeiro, com informações da assessoria)

Comunidade constroi e inaugura novas casas

22 fevereiro 2010

Lago da Pedra/MA: Em Nova Unha de Gato, com recursos solidários e em regime de mutirão, comunidade inaugurará casas que construiu. 73 unidades habitacionais diminuirão o déficit gerado pelas enchentes desde 2008. Moradores foram assessorados pela Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Comunidade inaugurará 73 casas construídas em regime de mutirão

2008: 206 casas são destruídas pelas enchentes no povoado Unha de Gato, em Lago da Pedra/MA, distante 310km da capital – a comunidade fica a 45km da sede. O rompimento de diversos açudes na região tornou a tragédia ainda maior: a força da água ia destruindo o que encontrava pela frente. Além das casas – o número representa a quantidade que havia no povoado –, as famílias também perderam bens. Apesar da tragédia, os moradores dão graças a Deus pela não-ocorrência de óbito.

2009: a cena se repete. Novas enchentes assolaram o Maranhão. Moradores de Unha de Gato já habitavam casas “remendadas” que não resistiram à nova investida das águas.

2010: após uma campanha liderada pela Cáritas Brasileira e o trabalho árduo em regime de mutirão, 73 casas de alvenaria e uma casa de farinha serão inauguradas neste sábado (27), em outra área, que está sendo chamada de Nova Unha de Gato. A nova área fica no alto, livre do risco de enchentes. As atividades do dia celebrativo, que incluirá celebração ecumênica, almoço e apresentações musiculturais, terão início às 10h e se estenderão até a noite.

213 mil reais foram empregados na construção das residências – aproximadamente R$ 2.917,00 por unidade –, recursos angariados pela Cáritas através de projetos junto à Catholic Relief Services (CRS) do Brasil, e acessados da campanha nacional SOS Norte Nordeste 2009, administrados pela Cáritas Brasileira e Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), organismos da Igreja Católica.

Além do regime de mutirão em que a comunidade se inseriu – o que certamente barateou os custos finais – algumas campanhas locais foram realizadas: “um comerciante dava um saco de cimento, outro uma carrada de barro, outro não sei quantos tijolos”, contam os moradores.

“É claro que essas 73 casas não atendem a demanda toda, afinal o povoado inteiro foi atingido. Mas é o que conseguimos por enquanto e isso foi uma forma também de exercitar a solidariedade. Para se ter uma ideia, seriam 72 casas e eles resolveram abrir mais uma janela em cada uma para que a sobra de material erguesse outra casa”, conta, emocionada, Lucineth Machado, assessora da Cáritas Brasileira Regional Maranhão que tem acompanhado mais de perto as ações emergenciais.

A comunidade, assessorada pela Cáritas, está estudando editais e projetos que possam assegurar a construção de mais 133 unidades habitacionais, de forma a zerar o déficit provocado pela tragédia naquele local – estas famílias permanecem na Unha de Gato original, sob o iminente risco de novas tragédias. O poder público municipal, até aqui ausente de todo o processo, anunciou a construção de uma escola no povoado, para a qual serão destinados recursos da ordem de 280 mil reais.

SERVIÇO

O quê: inauguração de 73 casas e casa de farinha em Nova Unha de Gato.
Onde: Comunidade Nova Unha de Gato, em Lago da Pedra/MA.
Quando: dia 27 de fevereiro (sábado), 10h.
As casas foram construídas em regime de mutirão pela própria comunidade, com recursos da CRS-Brasil e da campanha nacional SOS Norte/Nordeste 2009, fundo administrado pela Cáritas Brasileira e CNBB.

Redação: Zema Ribeiro, assessor de comunicação da Cáritas Brasileira Regional Maranhão

Pixinguinha, Mestre Vieira e o Feitiço da Ilha

11 novembro 2009

Grupo liderado por Chico Nô homenageará os mestres.

Pixinguinha e Mestre Antonio Vieira receberão homenagens do cantor e compositor Chico Nô e do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, 13, a partir das 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Chico Nô celebrará Pixinguinha e Mestre Vieira, sexta

Alfredo da Rocha Viana, o Pixinguinha, terá músicas tocadas tanto na parte instrumental da noite, quanto na parte cantada. “Pixinguinha é um dos maiores mestres do choro e da música brasileira como um todo. Tem muitas peças instrumentais bastante conhecidas e populares, mas também muitos compositores puseram letras em suas belíssimas melodias”, adiantou Chico Nô (foto), citando, entre outras, Lamentos, Rosa, Carinhoso e Iaô, entre outras que estarão no repertório de sexta-feira.

Formado pelo próprio Chico Nô (voz, violão e percussão), Juca do Cavaco, Domingos Santos (violão sete cordas) e Vandico (percussão), o Regional Feitiço da Ilha terá como convidado o cantor Neto Pepperi, um dos grandes sambistas maranhenses, formado na escola da noite, sempre prestigiando grandes mestres, como o homenageado Antonio Vieira, falecido em abril aos 88 anos, Cesar Teixeira e Josias Sobrinho, entre outros.

Já tendo feito homenagens a Noel Rosa e Cartola, as noites de sexta-feira no Cantinho da Estrela já se tornaram o novo point da Praia Grande para os apreciadores de boa música. Eis uma boa pedida. O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – Também integrado por Chico Nô, o grupo Conversa de Botequim realiza, aos sábados, a partir de meio-dia, uma roda de samba regada a feijoada. No mesmo endereço. Neste sábado, 14, o grupo ocupará a praça Valdelino Cécio, em frente ao Restaurante Cantinho da Estrela. “Com o fechamento da Padaria do Francês, esse importante cartão postal, que tem o nome de um importante poeta, está abandonada, escura, maltratada. Nosso samba-ocupação é uma tentativa de reanimá-la e para isso a gente conta com a presença dos amigos e dos apreciadores de boa música”, explicou Chico Nô, fazendo um chamamento ao público.

SERVIÇO SEXTA 13

O quê: Homenagem a Pixinguinha e Mestre Vieira.
Quem: o cantor Chico Nô e o Regional Feitiço da Ilha.
Quando: dia 13 de novembro (sexta-feira), às 19h30min.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

SERVIÇO SÁBADO 14

O quê: Roda de Samba com Feijoada.
Quem: o cantor Chico Nô e o grupo Conversa de Botequim.
Quando: dia 14 de novembro (sábado), ao meio-dia.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: pelos telefones (98) 8814-1407, 8724-2940.

Do reggae ao choro

14 abril 2009

Projeto Clube do Choro Recebe, em sua 77ª edição leva ao palco a cantora Nathália Ferro, que ganhou projeção entre os admiradores do ritmo que deu a São Luís o epíteto de Jamaica brasileira.

 

Tendo estreado aos vinte anos de idade como vocalista de uma banda de reggae – a Vibe, depois passando a integrar, com sucesso, a Filhos de Jah –, a cantora Nathália Ferro (fotos) é a convidada da próxima edição do projeto Clube do Choro Recebe, que acontece neste sábado, 18, a partir das 19h30min, no Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).

 

Nathália Ferro

Antes, Nathália já subiu naquele palco: deu canjas, tendo sempre boa receptividade do público. Ano passado, a propósito, além de ter participado do show Rock X Concert (vencedor do prêmio Universidade FM 2008 na categoria Melhor Show) a cantora experimentou maiores aproximações com ritmos mais, digamos, brasileiros: participou do projeto Outros Carnavais – Manobloco, dividindo palcos da folia com o cantor Mano Borges.

 

Com lançamento previsto para agosto, Nathália Ferro atualmente está gravando seu primeiro álbum solo. No Clube do Choro Recebe será acompanhada pelo grupo Os Cinco Companheiros, formado por Osmar do Trombone, Osmarzinho (clarinete e saxofone), João Soeiro (violão), Wanderson (percussão) e Rafael Guterres (cavaquinho).

 

Nathália Ferro

O Projeto Clube do Choro Recebe tem Apoio Cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria. A entrada custa apenas R$ 6,00.

 

SERVIÇO

 

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 77ª. edição.

Quem: o grupo Os Cinco Companheiros recebe a cantora Natália Ferro.

Quando: dia 18 de abril (sábado), às 19h.

Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).

Quanto: R$ 6,00 (entrada).

Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com e clubedochorodomaranhao@gmail.com

Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM.

Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.

TEM MULHER NO CHORO, TEM MULHER NA GAFIEIRA

13 abril 2009

Acompanhada do grupo Os Cinco Companheiros, a cantora Nathália Ferro é a convidada da 77ª. edição do Clube do Choro Recebe, neste sábado (18).

Depois do sucesso de Alexandra Nicolas, as mulheres continuam comandando os saraus de sábado, já tradicionais no calendário cultural de São Luís. Desta vez, a cantora Nathália Ferro é quem assume o microfone, com seu canto preci(o)so, acompanhada do grupo Os Cinco Companheiros.

Nathália Ferro no Manobloco carnavalesco

Nathália Ferro no Manobloco carnavalesco. Foto: divulgação.

A descontração e o clima de gafieira estão garantidos: se o grupo liderado por Osmar do Trombone já é festivo por si só, imagine junto de Nathália Ferro, especialista em carnaval. Quem não se lembra dela junto de Mano Borges em seu Manobloco?

A jovem cantora já subiu ao palco do Clube do Choro Recebe e sua canja teve boa receptividade do público. Como convidada é a sua primeira vez no projeto. Já o grupo Os Cinco Companheiros – que se completa com Osmarzinho (clarinete e saxofone), João Soeiro (violão), Rafael Guterres (cavaquinho) e Wanderson (percussão) – é veterano: acompanhou nomes como os cantores Chico Nô, Daffé, Djalma Chaves, Gabriel Melônio, além do trompetista Daniel Cavalcante e da saxofonista Java, entre outros.

À frente d'Os Cinco Companheiros, Osmar do Trombone será o anfitrião da noite. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão.

À frente d'Os Cinco Companheiros, Osmar do Trombone será o anfitrião da noite. Foto: Acervo Clube do Choro do Maranhão.

O público do Clube do Choro Recebe, sempre acostumado a ouvir boa música, que se prepare: para dançar.

O Projeto Clube do Choro Recebe tem Apoio Cultural de TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM e parceria de JL Studios e Solar Consultoria. A entrada custa apenas R$ 6,00.

SERVIÇO

O quê: Projeto Clube do Choro Recebe – 77ª. edição.
Quem: o grupo Os Cinco Companheiros recebe a cantora Nathália Ferro.
Quando: dia 18 de abril (sábado), às 19h.
Onde: Restaurante Chico Canhoto (Residencial São Domingos, Cohama).
Quanto: R$ 6,00 (entrada).
Maiores informações: pelo telefone [98] 3252-1219 e/ou e-mails ricochoro@hotmail.com e clubedochorodomaranhao@gmail.com
Apoio Cultural: TVN São Luís, Energético Hiro, Clinimagem, Honda Gran Line, Rádio Universidade FM.
Parceria: JL Studios e Solar Consultoria.

A resposta do MST/MA ao jornal O Globo/RJ

5 março 2009
O jornal O Globo (RJ), publicou na última terça-feira (3), na página 5 da seção O País, o texto abaixo, assinado pelo jornalista Raimundo Garrone.
No Maranhão, MST toma partido de governador
Movimento, que tem contrato com estado e disputa outros 5, mobiliza sem-terra contra cassação de Jackson Lago
 
Raimundo Garrone*
 
SÃO LUÍS. O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) deixou em segundo plano as ocupações de fazendas no Maranhão e se engajou na luta política contra a possível cassação do governador Jackson Lago (PDT), que deverá ter seu caso julgado hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O MST mobiliza centenas de sem-terra para acampar em frente ao Palácio dos Leões, sede do governo estadual, em defesa de Lago, que pode ter o mandato cassado por abuso de poder econômico.
 
– Não defendemos o governo Jackson, mas a democracia e a vontade popular – diz Maria Divina Lopes, uma das coordenadoras do MST no Maranhão.
 
Maria Divina diz que a mobilização não tem relação com as parcerias do movimento com o governo estadual. Uma delas foi fechada em 2008, na presença de João Pedro Stédile, um dos coordenadores do MST, e do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Na ocasião, foi assinado convênio com o governo do Maranhão para a implantação de um projeto de alfabetização de adultos importado de Cuba e da Venezuela – batizado de “Sim, eu posso” – que, segundo o movimento, acabou com o analfabetismo nos dois países.
 
O MST organizou o acampamento nas duas outras sessões que ocorreram para julgar o caso no TSE, adiado devido a pedido de vista e falta de quórum. Em todas essas ocasiões, Stédile participou dos acampamentos.
 
Segundo o relator do processo, ministro Eros Grau, Lago deve perder o mandato e dar posse à segunda colocada nas eleições de 2006, a senadora Roseana Sarney (PMDB). Essa, segundo os integrantes do MST, é outra razão para a defesa de Lago.
 
– Além disso, estamos contra o retorno da família Sarney ao governo do estado, pois, durante os 40 anos de seu domínio, o Maranhão foi completamente arruinado – disse Pedro Alves Barbosa, também coordenador do MST no Maranhão.
 
Para acompanhar o julgamento, o MST mobilizou cerca de 200 sem-terra do interior do estado, que armaram barracas em frente à sede do governo.
 
Após contrato de R$500 mil, MST tenta mais R$2 milhões
O convênio para o programa de alfabetização foi de R$500 mil e, segundo o MST, alfabetizou 1.236 trabalhadores sem- terra, dos 1.546 inscritos em oito meses de projeto em 55 assentamentos e 16 acampamentos no estado. O MST ainda aguarda respostas para outros cinco projetos, no valor total de R$2 milhões, nas áreas de caprinocultura e hortaliças.
 
Maria Divina disse que novas negociações estão sendo feitas com o governo para levar o programa de alfabetização a mais cinco mil sem-terra.
 
Os vídeos com aulas do programa foram produzidos em Cuba, em 2005, por artistas populares brasileiros patrocinados pelo próprio MST. Além de TV e DVD, as aulas são monitoradas por coordenadores que fazem o acompanhamento pedagógico. Sobre os outros cinco projetos nas áreas de caprinocultura e hortaliças, Pedro Alves diz que o MST participou de um edital lançado pelo governo estadual em julho de 2008 para realizar convênios com recursos do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza.
 
– Três dos cinco projetos foram devolvidos para ajustes, o que foi devidamente feito ainda no mês de setembro. Mas, até agora, nada – lamenta Pedro Alves.
*Especial para O Globo

“]Matéria na página 5 da seção O País, n'O Globo de terça-feira (3)
Matéria na página 5 da seção O País, n’O Globo de terça-feira (3)

 

Abaixo, a íntegra da carta que o MST/MA enviou à redação e aos editores do jornal:

*

RESPOSTA DO MST/MA AO JORNAL O GLOBO/RJ

O jornal O Globo da última terça-feira (3) publicou, na página 5 da seção O País, matéria intitulada No Maranhão, MST toma partido de governador, assinada pelo jornalista Raimundo Garrone. Com a não-circulação d’O Globo em bancas da capital maranhense (conforme informaram-nos diversos jornaleiros consultados em busca da edição impressa do jornal), tivemos acesso ao texto exclusivamente por e-mail (cópia digitalizada da edição impressa).

O texto não nos causa maiores estranhamentos, por conta do tratamento sempre dispensado pelos meios de comunicação de direita ao Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais Sem Terra (MST). Inclusive o trecho inicial da matéria – “O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) deixou em segundo plano as ocupações de terra”… – é um claro exemplo do desconhecimento e preconceito vigentes. Cabe, no entanto, esclarecer alguns pontos:

1) o jornalista induz o leitor a acreditar que a defesa que o MST faz do mandato do governador Jackson Lago (que viria a ser cassado em sessão na mesma data da citada edição do jornal) se dá meramente por interesses pecuniários; conforme explícito noutro ponto da matéria, no depoimento da companheira Maria Divina Lopes, “não defendemos o governo Jackson, mas a democracia e a vontade popular”.

2) o citado convênio com o governo do Estado para o programa “Sim, eu posso”, de alfabetização de adultos, já está encerrado (o texto permite pensar que o mesmo ainda está em curso), com os positivos resultados apontados ao longo da matéria: 1.236 trabalhadores alfabetizados entre os 1.546 inscritos.

3) o MST/MA não tem convênio vigente com o Governo do Estado do Maranhão.

4) entendemos que o jornalista, funcionário da Secretaria de Comunicação do Estado do Maranhão, usou o MST – e informações obtidas junto a ele – para fazer, em âmbito nacional, a defesa intransigente do mandato do governador Jackson Lago, de forma acrítica.

Só nos resta lamentar pelo profissional, pelo veículo e solicitar e esperar que o segundo publique esta carta.

Atenciosamente,

Coordenação
MST/MA

CUNHA SANTOS LANÇA DIA 16 “VOZES DO HOSPÍCIO”, NA FEIRA DO LIVRO

15 outubro 2008

O poeta e jornalista Cunha Santos lança, nesta quinta-feira, 16, às 20 horas, o livro de poesias “Vozes do Hospício”, na Casa do Escritor, auditório montado na II Feira do Livro, Praça Maria Aragão.

Cunha Santos é autor dos livros “Meu Calendário em Pedaços” (Prêmio Sioge), “O Esparadrapo de Março”, “Paquito, o Anjo Doido” (em prosa e verso), “A Madrugada dos Alcoólatras”, “Pesadelo” (contos – Prêmio Sioge), “Odisséia dos Pivetes ( Prêmio Secretaria de Estado da Cultura). O livro “Vozes do Hospício”, que lança agora, foi segundo colocado no Concurso Cidade de São Luís, da Fundação Cultural do Município – FUNC.

Neste dia 16, no mesmo horário, serão lançados “Tudo azul no planeta Itapecuru”, de Francisco Inaldo Lisboa; “Negro Cosme: Tutor e Imperador da Liberdade”, de Mundinha Araújo; “Portugal, a Arte de Falar Bem” e “Azulejos do Tempo”, de José Chagas.

Cunha Santos deveria lançar também a novela política “A Comunidade Rubra”, baseada nos livros Utopia, de Thomas Morus e Elogio da Loucura, de Erasmo de Roterdam, mas não houve tempo.

Sobre “Vozes do Hospício”, Cunha Santos disse ontem tratar-se de um livro de poemas que reúne sonetos e versos brancos e que chama a atenção para a segregação das populações ditas não normais deste mundo louco.

[Redação: Beatriz Carvalho]

18 março 2007

Azulejos, feios, belos…

O ESQUECIMENTO DO BLOGUEIRO E UM AVISO EM TEMPO

20 novembro 2006

Olha que as doses etílicas têm sido regrad(íssim)as ultimamente. Mas este blogueiro acabou esquecendo de anunciar aqui a II Jornada de Filosofia e Ciência do Cefet-MA, que rola desde a manhã de hoje no Teatro Viriato Gaspar, no Cefet-MA, logo ali na Av. Getúlio Vargas.

Como vocês (bem como este blogueiro) já perderam parte da programação, anuncio aqui a palestra de amanhã, às 14h, a ser proferida pelo compadre Marcos Ramon, vulgo Ramon de Gisele, ele Professor de Filosofia: “Filosofia e Literatura no Banquete de Platão“.

Mais sobre a Programação, preguem as orelhas aí na Rádio Universidade, que tá dando toda hora. Ou enviem um e-mail pro cabra: marcosramon@yahoo.com.br

Com o perdão da falha/falta, até o próximo post.