Archive for the ‘política cultural’ Category

Sucesso absoluto no primeiro dia da Mostra de Cinema Infantil de São Luís

13 outubro 2011

Público lotou as sessões e o parquinho montado. Crianças e adultos se divertiram

A criançada se divertiu a valer no primeiro dia da Mostra de Cinema Infantil de São Luís, ontem (12), no Cine Praia Grande (Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, Praia Grande). Quem já não é mais criança também aprovou o evento. Muita gente se perguntava quando aconteceria de novo. A programação da mostra continua hoje (13), a partir das 17h, no mesmo local – recomenda-se chegar com meia hora de antecedência para a retirada de ingressos na bilheteria; as sessões terão início às 17h, 18h15min e 19h30min.

A criançada se diverte no parquinho montado no Odylo

Mais 16 filmes serão exibidos hoje em três programas. O parquinho, montado na galeria Valdelino Cécio (CCOCf), também permanecerá: pula-pula, piscina de bolinhas e casinha inflável. E os lanches – pipoca, refrigerante, cachorro-quente e algodão doce – distribuídos à garotada, também estão mantidos. A mostra tem patrocínio da Lume Filmes, Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Cidadania, Secretaria de Estado de Esportes e Rádio Universidade FM.

Primeiro dia da Mostra teve sessões com lotação esgotada

Um menino com cara de sapeca passa com dois copos de pipoca, um em cada mão. À entrada do cinema, diz à recepcionista: “Moça, a senhora pode pegar o meu ingresso?”. As três sessões de ontem tiveram lotação máxima. Simultaneamente, muitas crianças também lotavam o parquinho. Sala lotada, movimentação intensa do lado de fora, diversão para crianças e adultos.

A programação da Mostra de Cinema Infantil de São Luís é composta pelo que de melhor já aconteceu em 10 anos de Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis – os 33 filmes exibidos aqui integram um box comemorativo e, exceto Doido Lelé (para crianças com mais de 10 anos), todos têm classificação indicativa livre.

Uma professora com a estampa dos Smurfs na camisa falou do encerramento de um projeto em sua escola com cinema. “Levamos as turmas para assistir Smurfs no box”, disse. “Faltam iniciativas como essa, muitos aqui dificilmente terão outra oportunidade de vir ao cinema”, disse, entre lamentar – a falta de acesso – e parabenizar – a produção.

Marcelo Amorim, da Sedihc, e Francisco Colombo, produtor da Mostra, falam ao público presente

“A gente fica nervoso, produzir algo é sempre muita responsabilidade, mas está dando certo, tenho ouvido elogios. Já começo a pensar na do ano que vem”, projeta Francisco Colombo, cineasta que assina a produção da Mostra. Ele que antes de se ocupar com a Mostra de Cinema Infantil que pretende repetir ano que vem, assinará a produção local de outro importante evento em São Luís: a etapa local da 6ª. Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que chega pela segunda vez à São Luís – em 2011 todas as capitais brasileiras receberão o evento, realizado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Em São Luís acontece entre os dias 31 de outubro e 6 de novembro.

Mais cinema em São Luís

30 setembro 2011

Depois de Festival Internacional Lume de Cinema, Maranhão na Tela, Guarnicê (3 a 7 de outubro) e Mostra de Cinema Infantil (12 e 13 de outubro), a capital maranhense recebe a 6ª. Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul.

Clique para ampliar. Detalhes no link

4º. Festival de Férias do Rio Una agita Morros este fim de semana

10 agosto 2011

Fest Una terá como palcos o povoado Una dos Moraes e a praça São Bernardo

O Festival de Férias do Rio Una, mais conhecido como Fest Una, teve sua primeira edição em julho de 2008, no povoado Una dos Moraes, em Morros, distante 90 km da capital São Luís do Maranhão. A ideia surgiu a partir da percepção de um grupo de moradores daquela comunidade, preocupados com a falta de programação cultural fora dos períodos carnavalesco e junino. A cidade apresentava – e continua – grandes atrativos naturais (rio, lagoas, cachoeiras e trilhas) e culturais (danças, artesanato, culinária, frutos exóticos, festejos religiosos etc.) e um número significativo de jovens artistas – rappers, poetas, escritores e músicos, cujo trabalho era desconhecido no município e na região.

O Fest Una é um acontecimento cultural estratégico que articula e mobiliza as áreas da cultura, meio ambiente e turismo, com vistas a contribuir para o desenvolvimento sustentável do município de Morros e da região do Munim, fortalecendo e difundindo a produção cultural local, dando visibilidade a seus artistas, possibilitando o acesso da população a diversos bens culturais, estimulando a criação de um mercado regional de bens e serviços oriundos das chamadas novas economias, através da ampliação do número de visitantes para a região.

Em sua quarta edição, o Fest Una é organizado pelo movimento Una Cultura, formado por artistas, gestores municipais e lideranças comunitárias. Este ano acontecerá em dois locais: dia 12, na Praça São Bernardo, sede do município, e 13 e 14 no Povoado Una dos Moraes.

Confira a seguir a programação completa.

Sexta-feira, 12
Praça São Bernardo: 9h às 20h: Feira de Artesanato e Culinária | 17h: Oficina de Danças Populares | 18h: Teatro: A Saga de Casimiro Côco | 20h30min: Dança Portuguesa | 21h: Lançamento do livro Morros: História e Memória de um Povo, de Rogério Rocha | 21h30min: Show com Rosa Reis, Josias Sobrinho e Gigi Moreira. Participação especial de Gersan Fernandes | 23h: Jornada de São Gonçalo.

Sábado, 13
Sítio Rosa do Una, Sítio de Arlete e Arena Nelson Brito (Povoado Una dos Morais): 9h às 17h: Ação Saúde (verificação de pressão arterial, cuidados com a higiene bucal e atendimento básico) | 9h: Brechó | 9h: Oficina de material reciclado | 16h: Animação para criançada | 17h: Oficina de Ritmos e Tambores Maranhenses | 18h: Teatro: Cabra Marcado para Morrer | 19h: Cine Laborarte.

Sítio de Dona Filomena (Povoado Una dos Moraes): 20h: Tambor de Crioula de Mato Grosso e Laborarte | 21h: Maratuque Upaon Açu | 22h: Sarau com Rosa Reis e Roda de Cacuriá, Josias Sobrinho e Gigi Moreira | 23h: Seu Zé do Centro Grande e os Canários do Munim.

Domingo, 14
Sítio do Chico (antigo Porto da Feira, Povoado Una dos Morais): 10h às 15h: Roda de Samba com Canhoteiro de Icatu, Zico do Centro Grande e convidados, seguida de ação de limpeza do Rio Una, com cortejo  em canoas | 16h: Torneio de futebol feminino.

Produção: Rosa Reis e Natan Máximo | Apoio: Laborarte, Fogo de Mão e Prefeitura de Municipal de Morros | Patrocínio: Funarte, Ministério da Cultura.

Cultura na pauta

12 agosto 2010

Convite para o "Cultura na pauta". Clica que amplia

Conferência Nacional de Cultura em discussão na Feira do Livro de São Luís

26 novembro 2009

Coordenador Executivo da II Conferência Nacional de Cultura, Joãozinho Ribeiro concede entrevista coletiva na III Feira do Livro de São Luís

O poeta Joãozinho Ribeiro, Coordenador Executivo da II Conferência Nacional de Cultura (II CNC), concederá entrevista coletiva dia 27 de novembro, às 9h, no auditório “Casa do Escritor”, na III Feira do Livro de São Luis, na praça Maria Aragão.
 
Joãozinho Ribeiro falará sobre as expectativas e apresentará dados numéricos e objetivos da II CNC. As etapas municipais, já realizadas, atingiram um patamar muito além da expectativa: mais de 2.600 municípios brasileiros participaram do processo, discutindo estratégias para a implantação de políticas públicas de cultura nos três níveis federativos e elegeram seus delegados para participarem das etapas estaduais – a do Maranhão acontecerá dias 2, 3 e 4 de dezembro, no Centro de Convenções Governador Pedro Neiva de Santana.
 
O Maranhão deve atingir o patamar de 100 municípios com conferências realizadas (os dados ainda não estão consolidados), o que significa um bom crescimento em relação à primeira edição, de 2005, quando somente 36 realizaram as etapas municipais.
 
Segundo  informações do Ministério da Cultura, e de consultores que participaram do processo nos municípios maranhenses, “as conferências municipais foram bastante concorridas, com uma participação intensa de gestores, artistas e produtores culturais, o que indica que teremos a II Conferência Estadual de Cultura bastante qualificada”.
Joãozinho Ribeiro abordará todo o processo da II CNC, e das conferências setoriais, que elegerá os novos representantes para o Conselho Nacional de Políticas Culturais.
 
A coletiva é aberta para jornalistas, blogueiros, radialistas, midialivristas, agentes, produtores, gestores culturais, artistas e demais interessados.
 
SERVIÇO
 
O quê: Entrevista Coletiva sobre a II Conferência Nacional de Cultura.
Quem: Joãozinho Ribeiro, coordenador executivo da II CNC.
Quando: dia 27 (sexta-feira), às 9h, no salão Casa do Escritor, na III Feira do Livro de São Luís (Praça Maria Aragão).

JOÃOZINHO RIBEIRO, SECRETÁRIO DE ESTADO DE CULTURA

10 novembro 2006

Nota na Primeira Classe (JP Turismo, Jornal Pequeno) de hoje – coincidentemente o mesmo espaço onde este blogueiro escreve – alerta que o lobby em torno do nome de Joãozinho Ribeiro para a Secretaria de Estado da Cultura poderia simplesmente reproduzir os costumes da oligarquia recém-derrotada. Não creio. O “lobby” – como estão chamando um legítimo movimento encabeçado por Laborarte e Grita, duas grandes agremiações artísticas/culturais do Estado – faz-se necessário. Ora, sabemos que, entre os boatos ouvidos até aqui/agora, o professor universitário, compositor e poeta Joãozinho Ribeiro é, de longe e sem sombra de dúvidas, o melhor, por diversos motivos: larga militância para com as questões culturais além-Estado (tradução: não seria mero tecnocrata ocupando um cargo a troco de venda da alma ou coisa que o valha), experiência administrativa (Joãozinho Ribeiro já foi Secretário Municipal de Cultura e fez bela gestão à frente da FUNC, lembram?), conhecimento, portanto, dos dois lados da moeda, entre inúmeros outros aspectos que aqui poderiam ser tra(du)zidos.

Este blogueiro, a princípio, silenciou, pensando: ora, será uma loucura Jackson Lago escolher outro nome para a pasta. Mas, sabemos, equívocos acontecem, ainda mais no campo da política (partidária). Dada a proximidade deste que vos tecla com o quase certo futuro secretário, uma possibilidade, ainda, era, a língua ferina do povo desatar aos quatro ventos: o torto da Ponte Aérea São Luís já está olhando para o próprio umbigo e, em busca de um lugar ao gabinete, defende o nome do autor de Paisagem Feita de Tempo blá blá blá…

O piloto desta Ponte Aérea tem a mesma opinião dos citados grupos importantes: Laboratório de Expressões Artísticas (Laborarte) e Grupo Independente de Teatro Amador (Grita). E os passageiros? Para ajudá-los a tirar suas próprias conclusões, eis o manifesto – abaixo, em itálico – que circula, defendendo a “candidatura” de Joãozinho Ribeiro ao cargo de Secretário de Estado.

O futuro governo do Dr. Jackson Lago representa para nós artistas, produtores, militantes e fazedores do tecido cultural maranhense, um ato decisivo na construção de um destino democrático e na elaboração de um projeto de Maranhão autônomo, includente e participativo.

A gestão do Dr. Jackson Lago significa para nós, termos a Cultura como fator de inclusão social e de desenvolvimento local e regional, promovendo a cidadania cultural e a auto-estima do maranhense. A Cultura como direito básico dos cidadãos e como política de Estado, integrada, por exemplo, às políticas de Educação e de Comunicação.Deste modo, a Cultura deve ser percebida, sobretudo, pela sua dimensão sócio-política no fortalecimento do tecido social maranhense. E para que isso seja efetivado, defendemos a nomeação do companheiro JOÃOZINHO RIBEIRO, para o posto de titular da pasta da SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA. Toda a trajetória de JOÃOZINHO RIBEIRO – como artista, militante cultural e de gestor público, quando esteve à frente da Fundação Municipal de Cultura – está alicerçada numa construção participativa, democrática e com o respeito à diversidade cultural.Nós compreendemos a Cultura como um campo fértil para criar sociabilidades, para originar laços de solidariedade e fortalecer o sentimento de pertença a uma determinada coletividade. Para isso, temos com a escolha do companheiro JOÃOZINHO RIBEIRO, à frente da Secretaria de Estado de Cultura, a chance de estabelecermos o diálogo entre a sociedade civil e o poder público, auxiliando na construção de processos integrados e solidários, formando extensa rede de cooperação.

Entendemos que o governo do Dr. Jackson Lago precisa primar por ações culturais inovadoras que possam contribuir de forma definitiva para as grandes transformações sociais, a partir do reconhecimento de cada cidadão e cidadã como produtor e beneficiário da cultura, e da valorização e vivificação das nossas diversas manifestações, saberes e fazeres culturais. E tudo isso está para nós entremeados na trajetória do companheiro JOÃOZINHO RIBEIRO.

Não se constrói um Estado livre sem uma sólida referência construída sobre os valores históricos, ético-políticos e culturais. As políticas públicas e democráticas de Cultura, são indispensáveis para a consolidação desse novo projeto de Maranhão.