Archive for novembro \29\UTC 2010

Centenário de Noel Rosa será celebrado em São Luís

29 novembro 2010

Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho prestam homenagem ao compositor carioca, falecido há 73 anos.

Nascido há exatos cem anos, em 11 de dezembro de 1910, Noel de Medeiros Rosa, teve existência curta – faleceria aos 26, de tuberculose – mas deixou obra vasta, que influenciou e até hoje influencia um sem-número de artistas da música.

Sambista por excelência, são de sua lavra clássicos como Com que roupa?, Filsofia, Pela décima vez, Feitiço da Vila, Três apitos, Pra quê mentir?, Feitio de oração e inúmeros outros. Convenhamos: não existe roda de samba que se preze em que não seja executada ao menos uma dessas canções.

Diante da grandiosidade e da genialidade de Noel Rosa, quatro grandes mestres da música do Maranhão se reúnem para prestar-lhe merecido tributo. Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho subirão ao palco do Bar Daquele Jeito (próximo ao Viva Vinhais) para apresentar o show Noel, Rosa secular.

Os quatro bambas serão acompanhados por Arlindo Carvalho (percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), João Neto (flauta), Juca do Cavaco, Paulinho Oliveira (violão, direção musical) e Vandico (percussão). Eles contarão também com as participações especiais das damas da música maranhense Célia Maria, Fernanda Garcia, Lena Machado e Lenita Pinheiro. O show acontece dia 11 de dezembro, às 22h, e os ingressos custam apenas R$ 15,00.

“A música brasileira, e a arte de maneira geral, só são tão ricas e diversas por conta das inúmeras trocas que nos levaram a essa miscigenação em todos os campos, fazendo de nós o país culturalmente mais rico do planeta. Por isso não poderíamos nunca deixar de homenagear Noel Rosa, no ano de seu centenário, pelo imenso legado que ele nos deixou, apesar de sua vida ter sido tão curta”, afirmou Joãozinho Ribeiro.

Noel, Rosa secular, terá ainda, durante sua apresentação, breves esquetes comentando passagens da vida do parceiro de Vadico. A teatralização de trechos da existência do Poeta da Vila fica a cargo de Joana Bittencourt, que também assina o cenário.

Serviço

O quê: show Noel, Rosa secular.
Quem: Cesar Teixeira, Chico Saldanha, Joãozinho Ribeiro e Josias Sobrinho. Participações especiais de Célia Maria, Fernanda Garcia, Lena Machado e Lenita Pinheiro.
Quando: 11 de dezembro (sábado), às 22h.
Onde: Bar Daquele Jeito (próximo ao Viva Vinhais).
Quanto: R$ 15,00. Ingressos à venda no local.
Maiores informações: zemaribeiro@gmail.com, (98) 8888-3722.

Anúncios

A música de Chico Nô na beleza do lugar

25 novembro 2010

Músico é atração de sexta-feira no Café Recanto Verde

Os centenários Noel Rosa e Adoniran Barbosa, ao lado de outros mestres, saudosos bambas, como Pixinguinha e Seu Antonio Vieira serão lembrados pelo cantor e compositor Chico Nô nesta sexta-feira (26). Samba, choro, bossa, baião, bumba-meu-boi e o melhor da música popular brasileira se farão presentes ao repertório do maranhense de Imperatriz.

Homem à frente de formações musicais como o Xaxados e Perdidos e o Feitiço da Ilha, Chico Nô estará acompanhado de seu violão. Ele sobe ao palco do Café Recanto Verde (Av. General Arthur Carvalho, 100, Miritiua/Turu) às 21h. Até a meia-noite é a atração principal do lugar. Antes e depois de seu show, a grande e bem cuidada área verde do lugar volta a roubar a cena.

O couvert artístico custa apenas R$ 5,00. O Café Recanto Verde dispõe de estacionamento próprio.

Chico Nô é atração do Café Recanto Verde nesta sexta-feira (19)

17 novembro 2010

Divulgação

Mais novo espaço musical, gastronômico e paisagístico de São Luís, o Café Recanto Verde (foto) terá em seu palco, nesta sexta-feira (19), a partir das 21h, show do cantor e compositor maranhense Chico Nô.

O artista apresentará repertório que passeia por música popular brasileira, samba, choro e ritmos da cultura popular do Maranhão.

O Recanto Verde (Av. General Arthur Carvalho, 100, Miritiua/Turu – 5km a partir do posto Natureza, no Turu) é um misto de chácara, bar e restaurante. Funciona às sextas-feiras, quando à noite tem música ao vivo, e aos domingos e feriados, com um delicioso café da manhã.

O café funciona já faz mais de um ano. A música ao vivo começou a ser realizada há pouco mais de um mês. O espaço agrada aos olhos – o paisagismo do jardim é cuidado pelos proprietários –, ao paladar – gastronomia é outro ponto forte do lugar –, aos ouvidos – música de qualidade em volume que respeita as boas conversas – e ao bolso: o couvert artístico custa apenas R$ 5,00 e o espaço dispõe de estacionamento próprio, gratuito (Zema Ribeiro).

Cáritas celebra 54 anos no 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca

9 novembro 2010

Arte de Zema Ribeiro

Festival tem início hoje (10) e vai até dia 12 (sexta-feira), data em que a Cáritas Brasileira completa 54 anos de atuação no País.

A Rede Mandioca atualmente articula mais de 70 grupos, comunidades e associações de produtores, fazendo-se presente em cerca de 35 municípios, em todas as regiões do Maranhão. Entre as premissas de sua Carta de Princípios, documento discutido e aprovado em plenárias estaduais, está a valorização da cultura da mandioca, elemento bastante importante na mesa do maranhense.

A Rede Mandioca e a Cáritas Brasileira Regional Maranhão realizam, entre hoje (10) e sexta-feira (12), em São Luís, o 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca. O evento integra a programação da Semana Nacional da Solidariedade, que celebra em todo o Brasil, os 54 anos de atuação da Cáritas no país. O organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil integra a rede Caritas Internationalis, presente em cerca de 200 países.

O Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho e a Praça Valdelino Cécio, ambos na Praia Grande, abrigarão as atividades ao longo dos três dias de festival: atividades de formação (debates, seminários, palestras), feira (comercialização da produção de grupos e associações filiadas à Rede Mandioca) e atividades culturais (shows musicais) compõem a programação.

Armando a Rede – A Rede Mandioca surgiu em 2004, inspirada em outras experiências bem sucedidas de articulação em rede, pautadas nos princípios da economia popular solidária. Sua área de atuação é o estado do Maranhão, embora vez por outra, dialogue com experiências em outros estados. A Cáritas Brasileira Regional Maranhão responde pela assessoria técnica à articulação.

Foi durante um encontro de planejamento da Cáritas, aliás, que surgiu a ideia de articular em rede, produtores, não só de mandioca: a Rede Mandioca congrega também artesãos, criadores de pequenos animais, extrativistas e agricultores, entre outros. O 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca terá representantes de todas as regiões do Maranhão. Veja a seguir sua programação completa.

Programação

Dia 10 (quarta-feira): 16h: Abertura oficial do 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca > Lançamento da nova logomarca da Rede Mandioca > Feira (Praça Valdelino Cécio) > 19h: Show de Chico Nô (Praça Valdelino Cécio).

Dia 11 (quinta-feira): Seminário Estadual sobre Produção, Beneficiamento, Comercialização e Consumo Ético Solidário (Auditório Rosa Mochel, Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho). 9h: Mesa: Produção e beneficiamento da produção agroecológica (Rede de Agroecologia do Maranhão/RAMA, Associação em Áreas de Assentamento no Estado do Maranhão/ASSEMA, Associação dos Trabalhadores(as) Rurais da Comunidade de Cantos dos Bois/Vargem Grande/MA) > 10h30min: Mesa: Fundos Rotativos (Clarício dos Santos Filho/BNB/ETENE) > 15h: Feira (Praça Valdelino Cécio) > 19h: Show: Forró Pé no Chão de Seu Raimundinho (Praça Valdelino Cécio).

Dia 12 (sexta-feira): 10h30min: Mesa: Comercialização e Consumo Ético Solidário (Instituto Marista de Solidariedade/IMS, Companhia Nacional de Abastecimento/Conab, Cooperativas dos Trabalhadores Agroextrativistas de Vargem Grande/Coopervag, FNDE/PNAE) (Auditório Rosa Mochel, Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho) > 15h: Feira (Praça Valdelino Cécio) > Show: Cesar Teixeira (Praça Valdelino Cécio).

SEMANA DA SOLIDARIEDADE

POR DOM DEMÉTRIO VALENTINI*

O mês de novembro sempre evoca a Cáritas. Não é por menos. Ela faz aniversário no dia 12, lembrando sua fundação em 1956, por obra e graça de Dom Helder Câmara. No mês do seu aniversário, para festejá-lo bem, a Cáritas Brasileira promove a Semana da Solidariedade, tendo o dia 12 como referência para definir seu calendário.

Neste ano, a Semana da Solidariedade faz apelo a duas circunstâncias, ambas especiais, e que interpelam a Cáritas. A primeira é a importante definição política que o País acaba de realizar, com o término das eleições, que dessa vez foram amplas e gerais.

Definidos os comandos políticos, nas esferas nacional e estadual, sejam quais forem as composições resultantes, uma constatação salta aos olhos: o governo sozinho nunca resolverá todos os problemas do povo. Sempre haverá necessidade de iniciativas e de participações, que superam as restritas obrigações legais e apelam para a solidariedade.

A solidariedade não precisa ser eleita, mas sim reconhecida, incentivada, organizada e assumida. Ela motiva a cidadania, que lhe aponta as urgências prementes, dando-lhe os contornos definidos; oferece ao Estado os seus préstimos, que acabam viabilizando uma administração pública com plenas garantias de estar a serviço das verdadeiras causas do governo, é sempre bem-vinda, sempre tem seu lugar, sempre contribui com valores que passam a ser melhor integrados nos relacionamentos sociais, econômicos, políticos e culturais.

Semente fecunda – A outra circunstância especial da Semana da Solidariedade desde ano é o Prêmio Odair Firmino, criado recentemente e que terá o seu primeiro ganhador nessa ocasião. O nome lembra a pessoa que todos recordam com saudade e admiração Odair Firmino. Ele esteve décadas ligado à Cáritas, deixando um inequívoco testemunho de humanidade, respeito, competência e identificação com os ideais dessa instituição. Odair foi a pessoa que todos gostariam de ter como companheiro de luta, como amigo de todas as jornadas, como figura a inspirar otimismo e confiança.

Realmente não podia ter sido escolhido nome mais adequado do que este, que recorda uma presença inesquecível para a Cáritas Brasileira. O objetivo do Prêmio Odair Firmino é incentivar a consolidação das Cáritas Diocesanas e impulsionar o surgimento das Cáritas Paroquiais, conforme meta estabelecida na última Assembleia da Cáritas Brasileira.

Enfim, cada vez mais se comprova que a semente fecunda da solidariedade encontra chão propício no seio das comunidades próximas à vida do povo, às paróquias, com suas ramificações comunitárias.

Neste chão, a solidariedade encontra mais facilmente condições propícias para a gratuidade, que enobrece sobremaneira a solidariedade e lhe dá o sabor especial da caridade consciente, atenta e organizada, permitindo iniciativas que dão motivações novas para as comunidades, despertando-as para a participação social adulta e comprometida.

A Semana da Solidariedade, com a concessão do Prêmio Odair Firmino, certamente deixará marcas especiais neste ano que tem muito de especial para a nossa realidade brasileira.

*Dom Demétrio Valentini é bispo de Jales (SP) e presidente da Cáritas Brasileira. Artigo originalmente publicado na Revista Família Cristã nº. 76, de novembro/2010.

Confira a programação do 1º. Festival Estadual da Rede Mandioca

4 novembro 2010

Mais detalhes em breve.