Archive for janeiro \28\UTC 2010

Agentes populares debatem Finanças Solidárias

28 janeiro 2010

Cáritas Brasileira Regional Maranhão realiza Oficina Estadual de Finanças Solidárias, tendo como público agentes de diversos municípios do interior do Estado.

Contrapondo-se ao sistema financeiro tradicional, as finanças solidárias desenvolvem produtos financeiros adequados às necessidades básicas da população, fortalecendo iniciativas de geração de trabalho e renda de caráter popular.

Entre seus principais instrumentos estão os bancos comunitários, fundos rotativos, clubes de trocas e moedas sociais, que priorizam os excluídos do modelo vigente.

O tema será alvo de discussão por agentes Cáritas, que estarão reunidos na Casa de Retiros Oásis (Rua Frei Hermenegildo, Aurora/Anil), dias 2 e 3 de fevereiro.

“A Oficina Estadual de Finanças Solidárias pretende avançar para a construção e consolidação de um sistema de finanças solidárias que garanta a inclusão das pessoas que estão fora dos organismos oficiais”, declarou Jaime Conrado, Assessor da Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Na condição de palestrantes e debatedores, a oficina contará com as presenças do economista Ademar Bertucci, do Secretariado Nacional da Cáritas Brasileira, além de representantes da União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), do Banco Palmas, do Fórum Brasileiro de Economia Solidária e do Banco do Nordeste.

A oficina tem como público agentes Cáritas e representantes das comissões diocesanas de fundos solidários. Cerca de 30 agentes de diversos municípios do interior do Maranhão se farão presentes.

Redação: Zema Ribeiro, assessor de comunicação da Cáritas Brasileira Regional Maranhão.

Anúncios

Sambas nordestinos serão lembrados por Cacá do Banjo

27 janeiro 2010

Sambas de nomes como Jackson do Pandeiro e João do Vale compõem o repertório que será apresentado pelo músico, acompanhado do Regional Feitiço da Ilha.

O samba nordestino será base do repertório apresentado pelo Regional Feitiço da Ilha no já tradicional projeto Chorinho no Cantinho, que acontece às sextas-feiras, a partir das 20h, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Chico Nô (voz, violão, percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) terão como convidado Cacá do Banjo, que cantará músicas de Jackson do Pandeiro e João do Vale, entre outros.

Embora geralmente mais identificados com o xote, o baião e o coco, grande parte do repertório de Jackson do Pandeiro é composto por sambas e João do Vale também incursionou no gênero que projetou nomes como Cartola e Nelson Cavaquinho. “O rei do ritmo”, aliás, muito tem sido lembrado por cantores da nova geração da música brasileira, que têm gravado sambas seus ou imortalizados em sua voz em seus discos.

O Regional Feitiço da Ilha promete ainda muito choro e o clima carnavalesco das marchinhas, no clima do período que já invadiu São Luís.

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – No sábado é a vez do grupo Conversa de Botequim realizar a roda de samba mais animada da ilha, regada a feijoada e outros pratos da casa. O samba tem início às 17h. A entrada custa R$ 10,00.

Escritor paraense lança livros infantis em São Luís

26 janeiro 2010

Guaracy Brito Jr, ex-integrante da Akademia dos Párias, lança dia 2 de fevereiro na livraria Athenas dois livros premiados no Pará.

O escritor e jornalista Guaracy Brito Jr lança no dia 2 de fevereiro, às 18h, na Livraria Athenas, no Monumental Shopping, os livros infantis A Nuvem e O Patinho que fazia quã, ambos premiados: o primeiro pelo Instituto de Arte do Pará; e o segundo pela Secretaria de Cultura do Estado.

A Nuvem – Escrito a partir de uma pergunta feita pela afilhada do escritor, Tereza, quando tinha seis anos (hoje tem dezessete): “Tio, o que é nuvem?”. Uma semana depois, Guaracy escreveu o que achava das nuvens e entregou a ela. “Foi um texto feito com amor. Tereza é uma pessoa doce”, afirma ele. A Nuvem também tem ligação afetiva com sua filha, Yasmin, da mesma idade de Tereza, que na época morava com a mãe em algum lugar do Brasil, longe dele.

O Patinho Que Fazia Quã – Surgiu do hábito de inventar histórias para o filho Bruno dormir. Fala de um franzino patinho de estimação com problemas na voz, que sonha em ser cantor e é bastante curioso. Vive uma aventura bem diferente, em que o personagem bíblico Noé participa pescando.

O autor – Guaracy nasceu em Belém em setembro de 1962 e atua há 20 anos na área de rádio e televisão. Publicou os livros de poemas Insanidade Vital (1983) e Sala de Visitas (1985), este editado pela Editora Guarnicê com participação de poetas do Maranhão. É diretor do programa 7 Set Independente, sobre arte & tecnologia e cidadania digital, e diretor e criador do programa lítero-musical Visagem, na rádio Cultura. Atualmente, coordena o Núcleo de Interprogramação da TV Cultura do Pará, é cronista do jornal O Liberal, roterista e diretor de documentários institucionais, redator publicitário, além de ter sido desenhista sonoro em curtas paraenses de ficção (Marília, Mente Dividida, Matinta Perera).

O escritor morou em São Luís entre 1984 e 1986 e foi fundador e um dos principais integrantes da Akademia dos Párias, reunião de jovens estudantes da Universidade Federal do Maranhão que, entre outras coisas, lançou oito edições da revista de poesia Uns & Outros. O poeta participou também dos dois livros-CDs do poeta maranhense Celso Borges, XXI e Música, fazendo trilhas para os poemas Pária, Minha vida sem saída em Edgar Alan Poe e Dialética.

A nuvem e O patinho que fazia quã serão autografados pelo poeta paraense Guaracy Brito Jr.

LANÇAMENTO DOS LIVROS
A Nuvem e O Patinho que fazia quã
De Guaracy Brito Jr.
Dia 2 de fevereiro
Livraria Athenas – Monumental Shopping, às 18h
Promoção: Associação dos Livreiros do Maranhão (ALEM)
Realização: Pegada Produções
Mais informações: Celso Borges – (98) 3227-0079/ 8179-1113

A volta de Chico Nô

20 janeiro 2010

Nivaldo da Estação será o convidado do Regional Feitiço da Ilha nesta sexta-feira, no projeto Chorinho no Cantinho.

O Chorinho no Cantinho, já tradicional encontro de bambas que acontece todas as sextas-feiras no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio), marca, dia 22, o retorno de Chico Nô ao seu palco – o repertório de sambas e choros começa a ser executado às 20h.

O cantor e compositor maranhense aproveitou o período das festas de Natal e Ano Novo para passar uma temporada no Rio de Janeiro, de onde retorna com novidades na bagagem – algumas serão mostradas sexta-feira.

Regional Feitiço da Ilha: os bambas do Chorinho no Cantinho

Chico Nô (voz, violão e percussão) e o Regional Feitiço da Ilha (foto) – Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão) – terão como convidado o cantor e cavaquinhista Nivaldo da Estação, que passeará por sambas-enredo e clássicos do carnaval, com destaque para os maranhenses.

O couvert artístico individual custa apenas R$ 5,00.

Sábado – O grupo Conversa de Botequim, a partir das 17h, continua realizado a mais animada roda de samba da Ilha, também no Restaurante Cantinho da Estrela.

Obras de nomes como Paulinho da Viola, Chico Buarque, Cesar Teixeira, Josias Sobrinho, Antonio Vieira e João Nogueira, entre outros, são os ingredientes do samba, que é acompanhado por uma feijoada com todos os ingredientes a que se tem direito.

A entrada custa apenas R$ 10,00.

CNBB e Cáritas lançam campanha em favor das vítimas do terremoto no Haiti

19 janeiro 2010

Doações em dinheiro podem ser feitas em contas correntes ou em Igrejas.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira lançaram campanha de arrecadação de donativos para doação aos atingidos pelo terremoto no Haiti.

Em nota divulgada no último dia 15 de janeiro, o presidente da CNBB, Dom Geraldo Lyrio Rocha, bispo de Mariana, e o presidente da Cáritas, Dom Demétrio Valentim, bispo de Jales, conclamam “todas as comunidades eclesiais, paróquias e dioceses a promoverem (…) dia 24 de janeiro, ou em outra data conveniente, orações e coletas em dinheiro para as vítimas do terremoto no Haiti”. A íntegra da nota pode ser lida neste link.

Doações em dinheiro podem ser depositadas nas seguintes contas correntes: Banco do Brasil – Agência: 3475-4 – Conta Corrente: 23.969-0; Caixa Econômica Federal – OP: 003 – Agência: 1041 – Conta Corrente: 1132-1; Banco Bradesco – Agência: 0606 – Conta Corrente: 70.000-2.

Os recursos das doações serão destinados às ações de socorro imediato, reconstrução e recuperação das condições de vida do povo haitiano.

A nota da CNBB e Cáritas afirma serem necessários ainda gestos de solidariedade como o perdão da dívida externa do Haiti, correspondente a 30% de seu pobre orçamento.

Não há consenso sobre o número de vítimas do terremoto: a Organização Pan-Americana de Saúde, ligada à ONU, afirma que podem ter morrido cerca de 100 mil pessoas; a Cruz Vermelha estima entre 45 mil e 50 mil o número de mortos; o governo do Haiti chegou a estimar este número em 200 mil. Em qualquer dos quadros, um quadro bastante desolador.

Segundo o governo brasileiro, morreram no país 17 militares e dois civis brasileiros: a médica Zilda Arns e o chefe-adjunto civil da missão da ONU no Haiti, Luiz Carlos da Costa.

*

Leia mais: Cáritas e CNBB lançam Campanha SOS Haiti.

A MPB de Gildomar Marinho

19 janeiro 2010

Cantor e compositor se apresenta nesta quinta-feira, 21, no Restaurante Cantinho da Estrela. Entre repertório autoral e clássicos da MPB, show terá a participação especial da cantora Lena Machado.

Gildomar Marinho passeará por clássicos da música popular e repertório autoral

Atualmente residindo em Fortaleza/CE, o cantor e compositor Gildomar Marinho, de passagem por São Luís, se apresenta nesta quinta-feira, 21, às 19h30min, no Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).

Gildomar Marinho lançou, ano passado, Olho de Boi, seu disco de estreia, com shows em Imperatriz e São Luís. O repertório, completamente autoral, faz um apanhado de mais de vinte anos de produção musical, até então restrita a um círculo de amigos e colegas de trabalho: o artista é bancário.

“Os amigos sempre insistiram para que eu gravasse um disco e pudesse registrar canções que entre eles já tinham algum sucesso. Diziam que às vezes sentiam vontade de ouvir e eu não estava por perto para tocá-las ao violão”, conta Gildomar. “Apresentamos projeto ao Banco do Nordeste, dentro do programa Cultura da Gente, que valoriza o fazer artístico da prata da casa, e tivemos a felicidade de ter o trabalho selecionado”, explica, sobre a realização de Olho de Boi, ele que já está com projeto aprovado para um segundo trabalho, a ser lançado provavelmente ainda em 2010.

Os repertórios do disco de estreia e do provisoriamente intitulado Pedra de Cantaria serão apresentados ao público do Cantinho da Estrela, além de clássicos da MPB. “Tocaremos músicas nossas, mas será uma apresentação de voz e violão, esquema barzinho mesmo. A ideia é reunir amigos e interessados em música brasileira em geral”, afirma. A cantora Lena Machado – que recentemente gravou dele o blues Gracejo, em seu segundo disco, Samba de Minha Aldeia – fará participação especial na apresentação.

Sobre Gildomar – Natural de Santa Inês, Gildomar Marinho mudou-se ainda criança para Imperatriz/MA, onde ingressou no Banco do Nordeste. Dali foi transferido para Fortaleza/CE, onde passou a década de 90 inteira. Lá tocou na noite e teve seu próprio bar, o universitário Pertinho do Céu, além de ter se formado no curso de Licenciatura em Música, pela Universidade Estadual do Ceará. De lá regressou à São Luís, onde ficou até meados do ano passado.

Seu segundo disco deverá ser gravado na capital cearense e contará, entre outros, com participações especiais de Carlinhos Veloz e Erasmo Dibell, com quem o artista conviveu musicalmente às margens do Rio Tocantins, quando ainda morava em Imperatriz, e da cantora Lena Machado.

SERVIÇO

O quê/quem: show musical com o cantor e compositor Gildomar Marinho. Participação especial: Lena Machado.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela (Rua do Giz, 175, Praia Grande, em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: quinta-feira, 21, às 19h30min.
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: (98) 8724-2940.

Ótima pedida para as sextas de janeiro

13 janeiro 2010

Criolina e Pedro Sobrinho no Carnaval "Da Gema"

Roberto Ribeiro será homenageado nesta sexta-feira

13 janeiro 2010

O Restaurante Cantinho da Estrela promove tributo a um dos maiores intérpretes de samba que o Brasil já ouviu.

Clássicos imortalizados por Roberto Ribeiro serão lembrados por Adriano Passos e Regional Feitiço da Ilha

Em janeiro de 1996 a música popular brasileira perdia um de seus maiores intérpretes, o cantor Dermeval Miranda Maciel, mais conhecido como Roberto Ribeiro. Colaborando para manter viva sua memória e destacar sua importância, o Restaurante Cantinho da Estrela fará uma justa homenagem a este grande sambista nesta sexta-feira, a partir das 21h, com um tributo ao cantor que gravou clássicos, como Acreditar, Estrela de Madureira, Vazio e Todo menino é um rei, esta, de longe seu registro mais lembrado.

O tributo intitulado Ele ainda é um rei será comandado pelo sambista Adriano Passos e pelo Regional Feitiço da Ilha, formado por Chico Nô (voz, violão e percussão), Domingos Santos (violão sete cordas), Juca do Cavaco e Vandico (percussão).

As músicas escolhidas dão uma visão panorâmica da obra de Roberto Ribeiro. Do repertório do show constam canções que marcaram a carreira do sambista, como Proposta Amorosa, Tempo Ê, Só Pra Chatear, Isso não são horas e Amor de Verdade. O trabalho de Roberto foi distinto por mesclar o samba a outros ritmos, entre eles, afoxé, maracatu e outros ritmos africanos.

Dessa forma a apresentação de sexta-feira pretende fazer com que as pessoas reconheçam a importância de um sambista que caiu no esquecimento da mídia. “Quero que quem já conhece a obra de Roberto Ribeiro se lembre dele e, aqueles que não tiveram contato com a arte de um dos principais intérpretes do samba, aprenda mais sobre este artista”, revela o idealizador do tributo, Adriano Passos, que já possui uma vasta experiência no samba maranhense e que, atualmente, integra o grupo Conversa de Botequim, turma de bambas que anima as tardes de sábado no Restaurante Cantinho da Estrela.

Ele revela ainda que a parceria do Regional Feitiço da Ilha é para que o show se aproxime ao máximo dos grupos regionais que acompanhavam Roberto Ribeiro em seus espetáculos.

O HOMENAGEADO – Roberto Ribeiro nasceu Dermeval Miranda Maciel em 1940 em Campos dos Goytacazes (RJ). Saiu de sua cidade natal em 1965, para tentar a vida de goleiro de futebol no Rio de Janeiro. Chegou a treinar no Fluminense, mas a carreira de jogador de futebol não foi adiante.

Foi apresentado ao Império Serrano, pela irmã do compositor Jorge Lucas, quando já se apresentava em alguns programas de rádio. Em 1971, recebeu convite para puxar o samba da Império Serrano, o que o fez novamente de 1974 até 1981.

Gravou discos notáveis e músicas memoráveis. Favela, Propagas, Acreditar, Estrela de Madureira, Tempo Ê, Vazio e Todo menino é um rei são exemplos de sambas imortalizados em sua voz melodiosa e sua cadência sem igual. Roberto Ribeiro morreu em janeiro de 1996, vítima de um atropelamento em Jacarepaguá, ao mesmo tempo que sofria de problemas de visão. As grandes parcerias de sua carreira se consagraram com Dona Ivone Lara, Clara Nunes, Monarco, Beth Carvalho e Elza Soares.

SERVIÇO:

O quê: Tributo a Roberto Ribeiro.
Quem: Adriano Passos e Regional Feitiço da Ilha.
Onde: Restaurante Cantinho da Estrela, Rua do Giz, 175 (em frente à Praça Valdelino Cécio).
Quando: dia 15 (sexta-feira), a partir das 21h.
Quanto: R$ 5,00 (couvert artístico individual).
Maiores informações: (98) 8724-2940.

Lena Machado autografa “Samba de Minha Aldeia”

12 janeiro 2010

Cantora realiza sessão de audição e noite de autógrafos de seu segundo disco no Bar do Léo.

Adiado por motivos de força maior, finalmente chegou à São Luís o segundo disco de Lena Machado, Samba de Minha Aldeia, todo gravado aqui e mixado/masterizado em Fortaleza/CE. Doze faixas dão uma panorâmica na produção contemporânea do Maranhão, com especial atenção ao samba e ao choro, mas sem deixar de fora blues, baião e xote.

Samba de Minha Aldeia. Capa. Reprodução. Projeto gráfico: Waldeilson Paixão

Entre inéditas e regravações, Lena Machado captou a mensagem do velho escritor russo. Para embalar sua voz, acompanhada dos arranjos do violonista Luiz Jr., dando uma sonoridade que alia o tradicional e o moderno às canções de Josias Sobrinho, Ricarte Almeida Santos, Chico Nô, Chico Canhoto, Gildomar Marinho, Bruno Batista, Aquiles Andrade, Cesar Teixeira, Joãozinho Ribeiro e Patativa – os compositores de sua aldeia musical –, o cenário do Bar do Léo.

“O Bar do Léo não é só um bar. É um museu, um templo por que temos um carinho todo especial. E é também um importantíssimo espaço de divulgação de nossa música”, afirma, não escondendo o carinho pelo recinto de Leonildo Peixoto, que demonstra ser verdadeira a recíproca: “O disco está muito bom, tem muita qualidade…” Interrompido pelo repórter, que brinca: “E o encarte, então, hein?”. “Sou suspeito”, responde, satisfeito com o resultado e com a sessão desta quinta-feira.

Audição e autógrafos – Dia 14, às 20h, o Bar do Léo (Hortomercado do Vinhais) realizará uma sessão de audição do disco de Lena Machado, que autografará exemplares a interessados – Samba de Minha Aldeia custa apenas R$ 20,00.

Não fazemos música ao vivo – A placa numa das paredes da Academia Musical Bar do Léo não perdeu o significado: a sessão de audição/ noite de autógrafos não será um show. “A idéia é reunir amigos, ouvir o disco, bater um papo, tomar alguma coisa, tudo isso ao mesmo tempo”, anuncia Lena Machado, que se confessa nervosa: “Sempre dá um friozinho na barriga”, sua modéstia natural.

A cantora autografará Samba de Minha Aldeia em "audição pública" no Bar do Léo. Foto: Rivânio Almeida Santos

“Acima de tudo vai ser um encontro de amigos. Eu, Léo, os compositores, a compositora Patativa (autora de Colher de chá, gravada no disco com a participação especial de Zé da Velha e Silvério Pontes), diversas pessoas que acreditam em nosso trabalho e que, de uma forma ou de outra, colaboraram para a sua realização”, convida Lena Machado.

Show – “Em breve a gente vai fazer o show de lançamento, reunindo alguns músicos que tocaram no disco, dialogando com outros, identificando afinidades”, anuncia. Samba de Minha Aldeia deveria ter sido lançado ainda ano passado, mas motivos de força maior adiaram a chegada do material à São Luís.

O trabalho foi selecionado no Plano Fonográfico da Secretaria de Estado da Cultura em 2008, na categoria gravação. Samba de Minha Aldeia conta ainda com o apoio cultural da Pousada Portas da Amazônia e TVN São Luís.

SERVIÇO

O quê: Sessão de audição e noite de autógrafos de Samba de Minha Aldeia.
Quem: a cantora Lena Machado.
Onde: Bar do Léo (Hortomercado do Vinhais).
Quando: dia 14 (quinta-feira), às 20h.
Quanto: entrada franca. Presentes pagam apenas seu consumo. O disco será vendido por R$ 20,00.
Maiores informações: (98) 8182-1717, lenamachadomusica@gmail.com, http://www.myspace.com/lenamachado

“Lume Sessions”: Tássia Campos se desnuda em “Crua”

7 janeiro 2010

Cantora passeará por universo pop de diversos compositores contemporâneos. Show terá participações especiais de Celso Borges e Alê Muniz.

"Crua" antecipará parte do disco de estreia de Tássia Campos, a sair este ano. Foto: divulgação

O Lume Sessions tem transformado o Cine Praia Grande no mais novo palco da boa música produzida em São Luís. Inaugurado ainda ano passado, tem como primeira atração de 2010 a cantora Tássia Campos (foto), que apresenta o show Crua – título tirado da canção que abre o novo álbum de Otto –, sexta-feira, 15, às 21h. Os ingressos para a apresentação, que podem ser adquiridos no local, custam apenas R$ 12,00 (meia para estudantes com carteira).

Tássia Campos (voz, violão) estará acompanhada de George Gomes (bateria), Marcos Cliff (teclado), Edinho Bastos (guitarra) e João Paulo (contrabaixo) e passeará pelo universo pop de compositores como Kléber Albuquerque (de quem gravou uma música para o disco de estreia, a ser lançado ainda este ano), André Lucap, Beto Ehongue, Suely Mesquita, Gilberto Gil, Gilberto Mineiro, Cazuza, Moreno Veloso e Otto, entre outros.

O show terá a participação especial do poeta Celso Borges, sobre o que Tássia Campos nada adianta, dizendo apenas que “será surpresa”. Outra participação especial é a de Alê Muniz (Criolina): “Ele vai cantar comigo a música que ele me deu pro disco”, adianta. “Alê sempre se colocou à disposição para fazermos o disco, um sonho antigo”, completa.

O repertório de Tássia Campos se equilibrará entre inéditas que estarão em seu disco de estreia e covers. “Os músicos que vão me acompanhar também estão participando da feitura do disco e para este show captaram a proposta e com muito profissionalismo respeitaram a sonoridade pretendida por mim. O público pode ter certeza de que o show está sendo pensado, em todos os detalhes, com muito carinho”, promete Tássia.

SERVIÇO

O quê: Show Crua, no projeto Lume Sessions.
Quem: Tássia Campos e banda.
Onde: Cine Praia Grande (Centro de Criatividade Odylo Costa, filho, Rampa do Comércio, nº. 200, Praia Grande).
Quando: dia 15 (sexta-feira), às 21h.
Quanto: R$ 12,00 (entrada. Metade para estudantes com carteira).